(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Núcleo de Acessibilidade será implantado na UEG

Educação Comentários 16 de agosto de 2013

Objetivo é oferecer melhor suporte aos estudantes portadores de deficiência para que os mesmos possam se dedicar à atividade acadêmica


A Pró-Reitoria de Graduação (PrG) da Universidade Estadual de Goiás começou nesta segunda-feira, 12 de agosto, a discutir a implantação do Núcleo de Acessibilidade Aprender Sem Limites (NAASLU). A proposta foi apresentada aos servidores da PrG pelo professor Sebastião Donizete, presidente da Câmara de Educação Superior, do Conselho Estadual de Educação (CEE), que será o coordenador do Núcleo na UEG.
De acordo com a pró-reitora de Graduação Maria Olinda Barreto, o Núcleo vem suprir uma lacuna da Instituição e “é uma prioridade para a política da graduação na UEG no sentido de promover a inclusão social de alunos com deficiência visando prestar assistência de forma que estes alunos se dediquem às suas atividades acadêmicas”, define a pró-reitora.
De acordo com estudos preliminares, Sebastião Donizete calcula que a UEG tenha em cada uma das Unidades Universitárias cerca de três alunos com deficiência. “Eles fazem parte de um total de 45 milhões de brasileiros, ou seja, 23,9% da população, que apresentam algum tipo de deficiência que pode ser de caráter sensorial, físico ou intelectual”. Em Goiás 690 mil pessoas fazem parte desse contingente.
“Atender a pessoa com deficiência é tentar reduzir as desigualdades sociais” relatou Sebastião Donizete ao esclarecer que as instituições é que devem mudar para receber os alunos deficientes, sem correr o perigo de excluir ao fazer a inclusão que pressupõe a educação de qualidade para todos.

Projeto
O Núcleo de Acessibilidade Aprender Sem Limites foi criado pela resolução 020/2013, do Conselho Universitário, com o objetivo de atender aos alunos da graduação e aos órgãos da Universidade que possuem pessoas com deficiências, com transtornos globais do desenvolvimento e com altas habilidades e/ou superdotação, para que inseridas em suas atividades possam ter garantidos o acesso e a permanência, com perspectivas de aproveitamento de suas habilidades, no processo de educação.
Até o dia 23 de agosto as Unidades Universitárias devem realizar um levantamento quantitativo para ser enviado à coordenação do NAASLU. “Depois iremos conversar com diretores e professores para apresentar as necessidades de cada Unidade. Em seguida ouviremos os alunos com deficiência para saber o que eles querem da Universidade”, destaca Sebastião Donizete. De acordo com a PrG o regulamento do Núcleo será apresentado na próxima reunião do Conselho Acadêmico.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

Baixe o PDF de Edições Anteriores

Arte em Propaganda Arte em Propaganda

+ de Notícias Educação

Atlas Escolar envolve escolas e universidades

08/11/2018

A Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Educação, e as universidades Estadual de Goiás (UEG) e Federal de Goiás...

Pesquisadores da UniEVANGÉLICA realizam trabalho inédito no Direito

02/11/2018

O Núcleo de Pesquisa em Direito da UniEVANGÉLICA (NPDU) realiza há quatro meses um trabalho inédito para uma instituiçã...

Cursinho PreparaAção realiza aulão musical com cerca de 400 alunos

02/11/2018

O Aulão Musical, organizado pelo PreparAção – cursinho oferecido pela Prefeitura de Anápolis – reuniu mais de 400 est...

Curso de Medicina da UniEVANGÉLICA tem selo SAEME de qualidade de ensino

25/10/2018

“O nosso desejo é que o aluno não seja apenas tecnicamente formado, mas que seja um cidadão bem formado, tenha valores ...