(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Novo titular da SIC fala sobre os seus projetos

Política Comentários 17 de abril de 2014

O empresário William Leyser O’Dwyer toma posse dentro dos próximos dias, no comando da Secretaria Estadual de Indústria e Comércio. A nomeação, pelo Governador Marconi Perillo (PSDB), foi anunciada na segunda-feira, 14, e colocou fim a um suspense que vinha se arrastando desde o final do ano passado. Natural de Ipameri-GO, Bill O’Dwyer - como é mais conhecido - tem 62 anos e há cerca de 50 vive e trabalha em Anápolis. É diretor do Grupo Anadiesel, concessionária de veículos Mercedes Benz e revendedora da Michelan (marca de pneus). Bill é, ainda, diretor para Comércio Exterior da Associação Comercial e Industrial de Anápolis, cônsul honorário da Alemanha em Goiás e vice-chairman do Comitê da Convenção Internacional de Sidney. No Governo de Goiás, Bill O’Dwyer foi superintendente da extinta Secretaria de Comércio Exterior, no segundo mandato do governador Marconi Perillo (2003-2006), cujas funções foram absorvidas pela atual SIC.


Depois de alguns meses de suspense, o Governador Marconi Perillo anunciou publicamente o nome do senhor para a Secretaria de Indústria e Comércio. O senhor ficou surpreso? De que forma recebeu esta indicação?

William O’Dwyer - Não vou dizer surpreso, mas até não esperava porque este é um cargo, como sempre, muito disputado por ter a preferência de Anápolis, que é um dos principais polos econômicos do Estado. Esta indicação partiu do Fórum Empresarial de Goiás e nós aguardávamos alguma novidade e as novidades surgiram através da apresentação de vários nomes. Mas, eu sempre firmei em minha consciência de que, se fosse para mim, chegaria. E fiquei muito feliz e honrado de ser escolhido.

O senhor é uma personalidade com múltiplas atividades: é um executivo de uma empresa renomada no País, atua como Cônsul na Embaixada da Alemanha em Goiás e em entidades de classe e clubes de serviço, como o Rotary, enfim, como o senhor pretende conciliar toda essa agenda?

William O’Dwyer - Me fizeram essa mesma pergunta na Embaixada da Alemanha. E, a primeira coisa que fiz, quando sugeriram o meu nome, foi entrar em contato com a própria Embaixada e ver qual a posição do governo alemão de um Cônsul exercer um cargo como este, que não deixa de ser político. A resposta foi muito simples, ou seja, que eu poderia exercer sem problema, mas, se fosse um cargo eletivo, aí sim, eu teria de renunciar. Como a secretaria não tem essa natureza, é um convite, não é uma eleição, nada poderia atrapalhar junto ao consulado. E, quanto a minha participação nas entidades e na empresa, sobretudo, nós temos bons assessores e eu aproveito e destaco a presença do meu pai (Waldyr O’Dwyer), que está na empresa com os seus 98 anos, lá estão, também, dois de meus filhos e isso tudo nos dá muita tranquilidade. Então, dá para conciliar.

O senhor vai estar à frente da SIC por um período relativamente pequeno, porque estamos no último ano do atual Governo. Já tem em mente o que será priorizado durante este período de gestão?

William O’Dwyer - A primeira coisa que nós temos de fazer é elogiar o trabalho dos dois últimos secretários, o Rafael Lousa e o Alexandre Baldy e, daí, juntamente com toda a equipe, fazer uma análise do que precisa ser concluído, ou seja, do que precisamos fazer nestes oito meses. Eu tenho a impressão de que não podemos pensar em grandes realizações, grandes obras. A melhor coisa que você faz para concretizar uma missão é terminar aquilo que foi começado e ver o que pode ser feito como um legado que a gente pode deixar para a Secretaria, principalmente, para a atração de investimentos. Eu estive com o Governador e ele me dizia: “traga empresas para Goiás; traga parcerias; traga novos empregos”. Então é o que já estou fazendo. Nesta quarta-feira (15), coincidentemente, eu estive reunido com as câmaras comerciais Brasil-Alemanha de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Curitiba e já traçamos um plano de ação para que possamos estar com a SIC nessas câmaras para apresentar Goiás. Eles reúnem os empresários que têm ligação com a Alemanha e nós vamos lá para mostrar as nossas potencialidades, os nossos atrativos e oportunidades de investimentos e os incentivos fiscais. E nós sabemos que Goiás desperta muito interesse lá fora porque é um estado pujante, emergente.

Recentemente, surgiram informações da vinda de uma montadora da BMW para o Brasil. O senhor sabe o que ficou definido em relação a este empreendimento?

William O’Dwyer - Sim, eu tive uma informação a respeito com um colega Cônsul de Santa Catarina e a construção dessa fábrica já está acontecendo lá. E, já havia entendimentos já concretizados em relação a isso. Então, não digo que nós perdemos, mas não tivemos como concorrer.

Em relação ao projeto da Plataforma Logística Multimodal, que é um sonho da classe empresarial anapolina e, em especial, um sonho do seu pai que é um grande entusiasta deste projeto. O senhor espera vê-lo sair do papel?

William O’Dwyer - Eu gostaria que isso acontecesse e acho que vai acontecer, pois nós teremos em breve a licitação. Agora, nós temos que estar com os pés na realidade, porque estamos num ano atípico, um ano de eleições, estamos nos aproximando do final do mandato e temos certa instabilidade econômica no País. Mas, espero que mais um passo seja dado para que a Plataforma avance, vamos dar o sangue para que mais alguma coisa aconteça.

O Estado de Goiás tem apresentado ótimos resultados e bons indicadores de comércio exterior. O senhor sempre teve um bom trânsito nas embaixadas, não só da Alemanha, mas de outros países. Isso ajudará no trabalho de atração de investimentos externos?

William O’Dwyer - Quando estivemos na assessoria do secretário de Comércio Exterior, já naquela época, a gente tinha essa preocupação de que Goiás tivesse um destaque no comércio internacional. E, hoje, nós temos mais de mil produtos que estão na nossa pauta de exportações, desde peixes ornamentais, pedras, soja e minerais. Então, temos toda uma gama de produtos que são vendidos para 150 países e a gente vem batendo recordes em vendas externas. Então isso mostra, como já mencionei, que vamos ter de sentar com a equipe e ver o que está dando certo para que possa continuar e alcançar melhores resultados.

Algumas pessoas até criticam as missões comerciais, mas o fato é que elas trouxeram resultados e Goiás tem colhido bons frutos com o comércio exterior. O senhor pretende fortalecer este trabalho?

William O’Dwyer - Essas missões são muito importantes. Eu participei de uma reunião e o Governador já nos autorizou a preparar uma missão empresarial para a Alemanha. E, por quê a Alemanha? É pelo fato de a Alemanha ser a economia mais forte da União Europeia. É uma porta de entrada importante para os nossos produtos nesse mercado. Nos próximos dias, vamos, também, estar em Brasília apresentando Goiás para o mercado Asian, que reúne sete países do continente asiático e que tem interesse em receber Goiás como um parceiro. Hoje, a liderança desse fórum está com as Filipinas, onde países como a Malásia e a Indonésia, também, participam como economias emergentes e mais cinco países. E teremos a apresentação do Estado na Embaixada do Canadá, que terá a participação de representações dos Estados Unidos e de outros países.

Obviamente, o senhor será um embaixador de Anápolis nessa divulgação?

William O’Dwyer - Também. E, agora, no mês de maio vou a Sidney, na Austrália, numa missão do Rotary. Mas, vou aproveitar para, também, fazer uma apresentação de Goiás. Ou seja, onde a gente for, estaremos divulgando o nosso potencial.

Falta um pouco mais de oito meses para o final do atual mandato. Caso o Governador Marconi Perillo venha a ser reeleito, já houve alguma conversa para que o senhor possa continuar na equipe, num eventual novo mandato?

William O’Dwyer - Não tratamos desse assunto. Essa escolha do secretário não é assim. Tanto é que o Governador levou quatro meses para a definição. Acho que esta é uma questão que vai ser discutida mais adiante. Eu só espero fazer um bom trabalho e entregar a secretaria em plena ordem.


O senhor já teve tempo para avaliar como está o projeto para a ampliação do Distrito Agro Industrial de Anápolis?

William O’Dwyer - Ainda não, como deveria. Tenho conhecimento, mais pelo que foi noticiado através da imprensa. Entretanto, na semana que vem, tomaremos ciência de todos os assuntos que envolvem a Secretaria. Vamos fazer várias reuniões, ver a participação de cada um. E, lá na SIC, nós temos superintendências com técnicos de alto nível para quem temos de tirar o chapéu. Então, nós temos de aproveitar essa força. Eu espero ter as informações todas a partir da semana que vem.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Política

Câmara homenageia professores com a outorga de comendas

20/10/2017

A Câmara Municipa, realizou, na última terça-feira,17, no Teatro São Francisco, sessão solene para a outorga da Comenda ...

Justiça faz trocar armas com defeito

20/10/2017

O juiz de direito da 2ª Vara da Fazenda Pública Estadual, Ricardo Prata, acatou ação impetrada pelo Governo de Goiás e d...

Governo faz homenagem a jovens com a comenda

20/10/2017

A ação transformadora da juventude e a reafirmação das liberdades democráticas foram destacadas pelo governador Marconi ...

Baldy relata projeto de fiscalização em insntituições financeiras

19/10/2017

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou na quarta-feira (18), o projeto de lei que aumenta o poder de Banco Central do B...