(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Nova força-tarefa para combater a dengue, zika e chikungunya

Saúde Comentários 16 de novembro de 2017

Organizações não-governamentais fazem parte do movimento que visa reduzir a infestação do mosquito Aeds aegypti


Durante solenidade realizada no Teatro Municipal, na última terça-feira,14, o Prefeito Roberto Naves reuniu dezenas de representantes da sociedade organizada, com o objetivo de reforçar, mais uma vez, o combate ao Aedes aegypti, vetor de doenças como dengue, zika e chigungunya. Na oportunidade, o chefe do Executuvo anapolino conclamou a população para que reforce as medidas preventivas de controle aos focos do mosquito, fazendo a limpeza de quintais, calhas e a retiradas de objetos que acumulam água.
Roberto Naves comemorou o resultado da campanha, que vem sendo realizada desde o começo do ano, proporcionando uma grande redução nos registros de casos de dengue em Anápolis. Ele, também, reforçou que essa redução acaba por gerar economia aos cofres públicos, uma vez que é estimado um custo mínimo de R$ 1,20 por paciente com suspeita com degue. Com a redução de casos, a economia gerada deve ter ficado em torno de R$ 3,6 milhões.
Durante o evento no teatro, a enfermeira da Vigilância Epidemilógica, Daniele Alves Lima, fez uma apresentação da situação da dengue no Município. Segundo ela, 2016 foi um ano epidêmico e, este ano, a situação se reverteu, com a redução de 76% dos casos notificados e cerca de 90% dos casos confirmados da doença. No ano passado, houve sete óbitos confirmados de dengue e suas complicações. Este ano, há registro de apenas um óbito e, no momento, não há nenhum caso suspeito sob investigação.
A gerente de Controle de Doenças Transmitidas por Vetores, Érica Dias, informou, também durante o encontro, que o Município conta, hoje, com 170 agentes de controle de endemias, 220 agentes comunitários de saúde trabalhando na vistoria de imóveis, além do apoio de cinco bombeiros e 20 militares da ALA 2. Portanto, são mais de 400 profissionais mobilizados para a vistoria de imóveis e a eliminação de focos do mosquito Aedes aegypti.
De acordo com a Vigilância Epidemiológica, cerca de 85% dos focos são encontrados em residências habitadas. Daí, a importância do engajamento da população na campanha, de forma permanente, adotando as medidas preventivas.

Boletim
Informações do Boletim Epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde, referente a semana 01 a 45 (01 de janeiro a 11 de novembro de 2017), apontam que o número de casos notificados de dengue em Anápolis, no período, é de 3.500. O Município é o terceiro colocado em número de casos, ficando atrás de Aparecida de Goiânia (10.552) e de Goiânia (31.257).
No Estado de Goiás, ainda conforme os dados do Boletim Epidemiológico, em Goiás, são 74.098 casos notificados de dengue e 37.096 confirmados. Entre os 246 municípios, 2 estão classificados na zona de alto risco, 2 na de médio risco e 242 nazona de baixo risco.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Saúde

Dengue registra mais baixas em notificações e sem casos de óbitos

19/07/2018

Uma boa notícia para a saúde pública: nos seis primeiros meses deste ano, nenhum óbito de dengue e suas complicações fo...

Anápolis precisa ampliar a sua estrutura hospitalar

18/07/2018

Além do Hospital de Urgências “Dr. Henrique Santillo”, Anápolis conta com outras seis unidades hospitalares, entre pú...

Maior conscientização sobre o SAMU pode salvar vidas

18/07/2018

Prestar atendimento pré-hospitalar de urgência e com excelência à população o mais rápido possível. Essa é a missão...

Pessoas especiais têm serviços odontológicos ampliados

18/07/2018

A cadeira de dentista já foi um problema na vida de Maria Beatriz Santos, oito anos. A menina, que tem Síndrome de Down, re...