Ministério da Saúde confirmou hoje a circulação de um novo vírus no país -- o z" />
(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Nova doença transmitida pelo mosquito da dengue

Saúde Comentários 21 de maio de 2015

Transmitido pelo Aedes aegypti, o mesmo mosquito da dengue, o vírus zika já infectou 16 pessoas em dois Estados brasileiros


Ministério da Saúde confirmou hoje a circulação de um novo vírus no país -- o zika. Até agora, há dezesseis casos de infecção causados pelo agente. Transmitida pelo Aedes aegypti, mesmo mosquito da dengue, da chicungunya e da febre amarela, a doença causa dores nas articulações, no corpo e na cabeça, febre, náuseas e diarreia. Há algumas peculiaridades da infeção pelo zika, porém: o doente sofre de fotofobia, conjuntivite e erupções na pele. De acordo com especialistas, a infecção causada pelo zika é mais branda em relação a dengue e a chikungunya -- não há registro de morte.


Os primeiros sintomas da infecção pelo zika aparecem entre três a doze dias após a picada do mosquito e duram de quatro dias a uma semana. Ainda não se sabe como o vírus, originário da África, chegou ao Brasil. Mas os pesquisadores acreditam que ele tenha chegado ao país por meio de turistas durante a Copa do Mundo.


 


Perigo de coinfecção


Segundo a virologista Claudia Nunes Duarte dos Santos, chefe do Laboratório de Virologia Molecular do Instituto Carlos Chagas do Paraná, é fundamental agora investigar o impacto da coinfecção entre o Zika, o vírus da dengue e vírus chikungunya. "Não temos ainda como medir as consequências da coinfecção ou de infecções sucessivas dos três vírus em um mesmo paciente", explicou.


Os casos do Rio Grande do Norte já haviam sido analisados e confirmados por cientistas da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) do Paraná. A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) havia enviado para a fundação 21 amostras suspeitas de Natal. Destas, oito foram confirmadas. Na Bahia, houve a confirmação de mais oito pessoas infectadas pelo zika no município de Camaçari.


Tratamento


Assim como as outras doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, o tratamento da febre zika é sintomático e baseado no uso de acetaminofeno (paracetamol) para febre e dor. Assim como na dengue, não é indicado o uso de ácido acetilsalicílico (aspirina) e medicamentos anti-inflamatórios devido ao alto risco de complicações hemorrágicas.


 

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Saúde

Combate à “farra” dos cartões do SUS

17/01/2019

O Prefeito Roberto Naves anunciou que deverá enviar uma equipe técnica para conhecer o modelo de gestão de uma espécie de...

Secretário Municipal de Saúde faz “raio-x” nas unidades ligadas ao setor

17/01/2019

Avaliar de perto a realidade de cada uma das unidades da rede municipal e fiscalizar a prestação de serviços ao cidadão. ...

Crise na Saúde - Municípios estão em dificuldades sem os repasses do Estado

10/01/2019

De acordo com o Atlas da Eficiência da Educação (versão 2018) em Goiás, a gestão da educação em 213 municípios (93% ...

Verba para equipamentos na odontologia municipal

10/01/2019

Devido ao trabalho executado na área de saúde bucal, inclusive com a criação de 12 novas equipes em dois anos, a Prefeitu...