(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Notas Gerais - Ed. 385

Causos de Polícia Comentários 28 de setembro de 2012

Notas Gerais


O desmanche
O Sargento Félix e o Cabo Márcio estavam patrulhando as ruas do Bairro São José, quando desconfiaram de uma turma próxima a um lote baldio. Pararam para ver. E não é que, dentro do lote havia uma espécie de desmanche, com dois carros desmontados? Os donos do lote, Vandison, e Suely, foram interrogados. Disseram que um dos carros, um Pálio de cor branca era de Luiz, que não se encontrava no momento. Os policiais verificaram no sistema e descobriram que havia queixa de furto do referido veículo. O casal foi conduzido para a delegacia e Luiz, ao saber do caso, contratou um advogado para representá-lo.

De Citroën
Hermógenes, comerciante honesto e trabalhador, estava em seu estabelecimento, na Avenida JK, por volta de oito e meia da noite. Nisto, chegou um elemento de cor negra, alto, bem falante, acompanhado de outro, mais baixo, moreno e magro. Conversa vai, conversa vem, a dupla revelou o que fora fazer ali. Assaltar o Hermógenes. Os bandidos estavam em um Citroën preto e saíram em disparada depois de se apoderarem de cigarros, isqueiros e R$ 125 em grama limpa. O Cabo Santana e o Soldado Fernando Silva ainda tentaram localizar os bandidos no carro preto. Mas, não cosneguiram

Ladrão de mochila
Onze e onze da manhã e Gabriel Elias andava pela Rua Pacaembu, Bairro São Paulo. De repente, surgiu em sua frente um indivíduo armado com uma faca de lâmina bem comprida, mas parecendo uma espada. Era o Anderson, com cara de ameaçador, que foi dizendo: “Eu gostei muito dessa mochila. Quero ela para mim. E você vai me entregar ou eu furo sua barriga”. O pobre do Gabriel entregou. Mas teve o cuidado de chamar a Polícia. Em dois minutos chegaram o Sargento Félix e o Cabo Márcio. Deram umas voltas pelo bairro e não é que encontraram o Anderson, ainda com a mochila do Gabriel? Resultado: material escolar devolvido e Anderson levado para a delegacia. Em lá chegando, ele ainda ameaçou a vítima dizendo “Quando sair daqui, eu vou te pegar.”. Suspeita-se que Anderson seja foragido do Cepaigo.

Folgadão
Valdinei esta dormindo tranquilamente em uma residência abandonada, na Vila Goiás, proximidades da antiga FAIANA. O Subtenente Willian andava à sua procura e o encontrou. Valdinei era um dos seis que conseguiram fugir da cela da Delegacia Geral, após abrirem um buraco na parede. Ele não ofereceu resistência, pois é velho conhecido da Polícia. A prisão aconteceu quando já passava de uma da manhã. O Subtenente Willian disse que vai encontrar os outros fugitivos.

Covardão
Cinco da manhã e Tereza estava em um ponto de ônibus no Residencial Copacabana. Ia para o trabalho. Ia, pois um bandido que ela descreveu como moreno alto, bermudas de cor cinza, camisa branca, e uma baita faca na mão, resolveu que ela não precisava dos R$ 650 que conduzia na bolsa e nem dos documentos e carregava. Tomou tudo da pobre mulher. Ela, desesperada, chamou o 190 e lá compareceram o Cabo Matos e o Soldado Marcelino. Mas, já era tarde. O bandidão covarde, que assalta mulher, já havia desaparecido.

Cabelo e assalto
Ronaldo tem uma barbearia na Avenida Mato Grosso. Esta semana apareceu por lá um indivíduo que cortou os cabelos e andou fazendo uma porção de perguntas: quanto o salão rendia diariamente; a que horas, abria, a que horas fechava, etc. Foi embora. No final do expediente, quando se preparava para ir embora, Ronaldo foi surpreendido por um elemento com blusa de moletom, usando um boné para não ser reconhecido e, apontando-lhe um objeto pontiagudo, anunciou o assalto. Não teve jeito... Ronaldo entregou os R$ 230 da féria do dia e mais seu aparelho celular. Foi esta a história que ele contou ao Cabo Washington e ao Soldado Porto.

Briga no lote
Higor tem um lote no Jardim Lusitano. Esta semana ele chegou ao imóvel e viu que Divino estava ocupando o terreno. Pediu para ele sair, Divino disse que não saía. O caldo entornou e os dois partiram para os ‘finalmentes’. Rolaram feio, se atracaram. Até Reinaldo, amigo de Higor entrou na peleja. Foi quando o Cabo Uilton e o Soldado Flávio chegaram e apartaram os brigões. Higor mostrou ao policial o documento terreno. Os três foram orientados a procurarem seus direitos, antes que um mal maior acontecesse. E, eles atenderam aos policiais.

Empastelou
Quinze para oito da noite, Rua 25, JK Nova Capital. Hélia estava em sua pastelaria, quando chegaram três indivíduos. Ela pensou que eram fregueses e, até, ficou animada. Não eram. Na verdade, se tratava de um trio assaltante. Armado de revólver, o líder do bando deu voz de assalto e levou R$ 450 do caixa, além do aparelho celular de Hélia. A comerciante, apavorada, chamou a polícia e foi atendida pelo Cabo Anísio. Os bandidos evaporam.

Lanche caro
José Luiz, Maria e Bruno foram fazer um lanche numa sanduicheria do Jundiaí. Só não esperavam que por lá fossem aparecer três indivíduos armados com revólveres, assaltando todo mundo. Os bandidos levaram 300 reais em dinheiro, celulares, chaves de veículos e outros pertences dos clientes. Faltavam 10 para a meia noite. O Cabo Anísio fez o atendimento às vítimas.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Causos de Polícia

Causos de Polícia

24/11/2017

Castelo fraco Valdeci montou um comércio no Residencial Copacabana e ia de vento em popa. Não faltavam clientes. Só que,...

Causos de Polícia

16/11/2017

Moto complicada O Gabriel estava todo prosa, circulando em uma moto novinha pelas ruas do Jardim dos Ipês. Mas, foi inter...

Causos de Polícia

09/11/2017

Bateu na mãe O Roberto, morador da Vila Jaiara, tem 45 anos, mas é muito esquentado. Qualquer coisinha ele quer bater. E,...

Causos de Polícia

03/11/2017

Maldade pura I O Eurípedes tinha uma perua FIAT Elba que era o seu maior xodó. Era, porque, esta semana, um embaixador do ...