(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Nomes de Anápolis para a equipe de Marconi Perillo

Política Comentários 06 de novembro de 2010

Com base em declarações do governador eleito, surgem as primeiras especulações sobre nomes que poderão assumir cargos de primeiro escalão na Administração Estadual


Assim que terminaram as apurações confirmando a eleição de Marconi Perillo como Governador eleito e que toma posse em primeiro de janeiro de 2011 para seu terceiro mandato à frente do Governo de Goiás, ele próprio (Marconi) declarou, por reiteradas vezes, que Anápolis terá uma participação especial em sua gestão. E, por participação especial, entende-se a destinação de cargos importantes, principalmente secretarias, para parceiros que atuaram, por diferentes formas, na construção da vitória tucana em Anápolis.
Um dos compromissos de Marconi Perillo para com Anápolis, feito em diferentes oportunidades, é a manutenção da Secretaria Estadual de Indústria e Comércio sob o comando de um representante da Cidade. Nos últimos anos isto tem sido uma constante. O atual secretário, Luiz Medeiros Pinto, é de Anápolis, o mesmo ocorrendo com seu antecessor Ridoval Chiareloto. Antes já haviam passado pelo mesmo cargo outros anapolinos, como Mozart Soares Filho e Benjamim Bezze Júnior. E, diante da proposta repetida pelo Governador eleito, tanto durante o encontro com os membros do Fórum Empresarial e Associação Comercial e Industrial de Anápolis, como em outras ocasiões, vários nomes começam a ser apontados como o provável secretário estadual da Indústria e Comércio.
Quem seria
Na bolsa das especulações pelo menos quatro nomes têm sido lembrados. Ubiratan Lopes, atual presidente da ACIA; Deocleciano Moreira Alves, da Federação das Associações Comerciais Industriais e Agropecuárias de Goiás (Facieg); Ridoval Chiareloto, ex titular daquela pasta e Francisco Gonzaga Pontes, empresário do Distrito Agro Industrial de Anápolis, este último participante ativo da campanha de Marconi e com respaldo no meio empresarial anapolino. Ressalte-se, entretanto, que o Governador eleito não mencionou que critérios adotará para escolher o secretário, muito embora tenha dito, por diversas vezes, que vai ouvir as principais lideranças empresariais do Município para tomar uma decisão. Fala-se, inclusive, que, embora seja um cargo mais técnico, não faltará o ingrediente político em sua definição. E, mais ainda que, além do PSDB, também o Democratas, via senador Demóstenes Torres, será consultado a respeito do assunto.
Mas, a participação de Anápolis no futuro Governo Marconi, ao que consta, não se resumirá, apenas, na Secretaria de Indústria e Comércio. Outros nomes da Cidade se projetam como eventuais integrantes do primeiro e do segundo escalões. A vereadora Miriam Garcia, por exemplo, que foi candidata a deputada federal pelo PSDB de Anápolis em outubro último, tem seu nome lembrado para ocupar um cargo no futuro Governo Estadual. O mesmo ocorre em relação ao vereador Fernando de Almeida Cunha (PSDB), que atuou como um dos coordenadores da campanha vitoriosa de Marconi em Anápolis. Além deles, são citados nomes como Nicolai Rodrigues, que fez parte da estrutura organizacional da campanha; Carlos Santillo, amigo particular de Marconi e um dos coordenadores do trabalho em Anápolis; Roberto Naves, empresário do setor educacional e outros.
Política
Sem contar que, de acordo com declarações do deputado Frei Valdair (PTB), há um compromisso de aproveitá-lo tanto como parlamentar, visto ser ele o segundo suplente de sua coligação, ou, com um cargo em nível de secretaria. Neste caso, Marconi Perillo convocaria deputados para assumirem cargos, abrindo uma vaga para Valdair. O mesmo ocorre em relação ao suplente de deputado Breno Leite (PHS/PMN), que teria o mesmo compromisso feito com Frei Valdair.
Em nível de município, existem vários cargos do Governo Estadual em Anápolis e que, teoricamente, terão novos nomes no comando a partir de janeiro. É o caso da gerência e sub-gerência da CELG; Saneago; Ipasgo; Regional de Saúde; Agência Rural; Delegacia Fiscal, comandos das polícias Civil e Militar, dentre outros. Todavia, embora existam especulações em torno de vários nomes, nenhuma confirmação foi feita ainda, o que deverá ocorrer, somente, a partir do final de novembro e início de dezembro. Até lá, os interessados, certamente, vão “correr atrás”. Uns para permanecerem onde estão. Outros, para conseguirem uma vaga, mesmo que temporária, no funcionalismo estadual de Goiás. Além é claro, daqueles que declinarão de um eventual convite.

Autor(a): Nilton Pereira

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

Baixe o PDF de Edições Anteriores

Arte em Propaganda Arte em Propaganda

+ de Notícias Política

Ronaldo Caiado acusa Governo de usar dados para mascarar crise do Estado

08/11/2018

O governador eleito Ronaldo Caiado (Democratas) cobrou maior transparência nos dados repassados à equipe de transição pel...

Partido realiza ação social em prol da Casa Joana

08/11/2018

O Democratas Mulher Anápolis irá realizar nesta sexta-feira, 09, a partir das 09 horas, em Anápolis, uma manhã odontológ...

Vereador exige explicações para aumento da energia elétrica em Goiás

08/11/2018

O vereador João da Luz (PHS) informou na tribuna, durante a sessão ordinária da última quarta-feira,07, que esteve em Bra...

Ronaldo Caiado terá muitos desafios para enfrentar em sua terra natal

02/11/2018

Não dá para falar que se trata de uma “herança maldita”. Mas, dá para dizer que os “gargalos” de Anápolis vão o...