(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

“Não temos apenas grandes obrigações a cumprir, temos grandes oportunidades a aproveitar”. (John Kennedy)

Contexto Político Comentários 02 de outubro de 2009


Cítricos
Anápolis está se transformando em um dos maiores centros de produção de laranjas do Brasil Central. Politicamente e economicamente falando, claro.

Martelo
Carlos Antônio, dublê de radialista e vereador, já definiu: vai ser candidato a deputado estadual pelo PSC no ano que vem. Além de Anápolis, ele está abrindo espaços junto ao eleitorado de várias cidades da região.

Evolução
Na esteira do progresso econômico de Anápolis, destaque, também, para altos investimentos na construção civil. Lideranças locais aproveitam o bom momento e constroem belíssimas residências.

Persistente
Com Meirelles, ou, sem Meirelles, o deputado federal Rubens Otoni (PT) mantém a coerência e percorre Goiás de ponta a ponta alinhavando entendimentos para as eleições presidenciais. De quebra, assegura que seu nome é, sim, alternativa para concorrer ao Governo em 2010. Aliás, Otoni tem recebido muitas manifestações de apoio nesse sentido.

Último capítulo
Ainda está longe o desfecho da novela Meirelles. O simples fato de o mais famoso anapolino da atualidade optar por sua filiação ao PMDB não significa muita coisa. Ninguém sabe o que Henrique Meirelles, o ainda Presidente do Banco Central, está pensando, a não ser, claro, ele próprio. E, dizem, o homem gosta de pensar alto. Aliás, esta é a sua marca. E, pensar alto, pode significar, até, o desejo de ser indicado candidato a Presidente da República, com o aval do Governo Lula e, muito mais do que isso, da comunidade econômico/financeira internacional.
Negar que Meirelles seja a pessoa mais influente e mais respeitável da equipe de Lula no exterior, seria, no mínimo, um contra-senso. Qual outro ministro do atual governo abriria, com facilidade, portas junto aos países desenvolvidos a não ser Henrique Meirelles? Nenhum, certamente. E, com base nisso é que em Brasília se pensa ser um desperdício, a candidatura dele a senador ou a Governador de Goiás. Sem contar que, para ser, novamente, presidente do Banco Central, Meirelles independe de status político, ou, muito menos, de quem seja o Presidente da República eleito.

Exportando
Anápolis tem mais um produto de exportação: presidiárias. Isso mesmo! Mulheres detidas pelas polícias (Civil e Militar) em flagrante delito, ou, por ordem judicial, estão sendo recambiadas para cadeias de cidades próximas, como Nerópolis. Isto porque a ala feminina do Centro de Inserção “Monsenhor Luiz Ilc” (cadeia pública) está interditada pela justiça, por falta absoluta de condições para funcionar. Só faltava isso!

Problema
Toda a esperança para se resolver esta situação reside na propalada construção do mini-presídio de Anápolis. Só que, um presídio, como se sabe, não se constrói “da noite para o dia”’. No caso de Anápolis é pior ainda: só tem, até agora, o terreno. Faltam o projeto, o dinheiro, a licitação as obras físicas, o quadro de servidores e muitos outros detalhes. Coisa para dois ou três anos. Para ser otimista. Até lá, ninguém sabe como vai ficar a situação.

Competência
Diretor Municipal de Cultura, o professor Augusto Almeida vem se revelando um dos mais eficientes auxiliares do prefeito Antônio Gomide. Criativo, dinâmico, inovador e participativo, ele montou uma boa equipe e está revolucionando o setor cultural da cidade.

Silêncio
Não se ouve de parte da Câmara Municipal de Anápolis, nenhum pronunciamento em defesa da UEG - Universidade Estadual de Goiás - que vem sendo bombardeada por parte da mídia regional e por grupos interessados em seu fracasso. Mas, esperar isso do parlamento anapolino, é exigir demais.

Pesadelo
O sonho de se implantar o aeroporto de cargas em Anápolis virou pesadelo. O Governo não dá a mínima pelota para isso, pois, passam-se os dias e a tal licitação para as obras nem é mencionada. E, lembrar que o Governador Alcides Rodrigues obteve em Anápolis a maior votação proporcional no primeiro e no segundo turnos das eleições em 2006. Parafraseando o ex-presidente Jânio Quadros, “forças ocultas estariam conspirando contra a obra”. Só pode ser.

Cotovelo
Não demora nada e o PP rompe com o PT em Goiás. É o que se apregoa por aí. E, pelo menos em nível de primeiro turno, o partido governista já teria um nome para concorrer ao Palácio das Esmeraldas: Jorcelino Braga, o todo-poderoso Secretário Estadual da Fazenda. Se ganhar a eleição, Braga passa a mandar, de direito, no Estado. De fato ele já manda.

Suplentes
Muitos dos suplentes de vereador que teriam direito a assumir o posto imediatamente, por conta da aprovação da PEC que modificou o quantitativo de cadeiras dos parlamentos em várias cidades brasileiras, estão indóceis. Mas, o Presidente Sírio Miguel já avisou: só dá a posse se a justiça determinar. Então, os suplentes asseguram que vão buscar a justiça.

Motivos
Há quem diga que não só Sírio Miguel, como de resto os demais vereadores em curso de mandato, têm resistência à posse dos novos parlamentares porque teriam, em tese, de dividir o dinheiro (R$ Um milhão todo mês) com os novatos. O que valeria dizer, o enxugamento da chamada verba de representação.

Cabide
Pode não ser verdade, mas a conversa que rola nos arraiais da Câmara Municipal é que tem vereador abrigando, até, 30 assessores em seu gabinete. A informação, embora de fonte confiável, carece de provas mais consistentes.

Como é
Funcionaria assim: o vereador recruta assessores (cabos eleitorais) sem o compromisso de darem expediente integral. Alguns não dão de jeito nenhum. Como não comparecem para trabalhar, recebem um salário pequeno, mais a título de manutenção. Com isso, o bolo pode ser repartido para um número maior. Todo mundo fica satisfeito. O político, porque mantém os cabos eleitorais. E, estes, porque colocam, todo mês, um dinheirinho a mais no bolso. Fácil, né?

Sinuca
Homem da irrestrita confiança do Prefeito Antônio Gomide, o Secretário Municipal da Saúde, advogado Vilmar Martins, enfrenta verdadeiro inferno astral. Alguns vereadores, inclusive da chamada base de sustentação do Prefeito, estão contrariados com o seu trabalho. E agora?

Com Gomide
Mesmo contrariando a direção regional, que fechou com a candidatura Marconi Perillo, o PMN (Partido da Mobilização Nacional) em Anápolis, hipotecou total apoio ao Prefeito Antônio Gomide, e, por extensão, ao PT. Um documento assinado pelo presidente Anderson José foi distribuído para a mídia na cidade. Segundo a nota, “o PMN não pode ficar contra um prefeito realizador”.

Autor(a): Nilton Pereira

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Contexto Político

Clique na imagem para ver a coluna

18/08/2017

Contexto Político...

Clique na imagem para ver a coluna - Ed.634

10/08/2017

Contexto Político...

Clique na imagem para ver a coluna - Ed.633

03/08/2017

Contexto Político...

Clique na imagem para ver a coluna - Ed.632

28/07/2017

Contexto Político...