(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Município presente no combate à violência contra a mulher

Segurança Comentários 24 de novembro de 2017

Projeto terá programação com mães de crianças e adolescentes do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos


Uma vítima a cada sete minutos, ou quase 206 em apenas um dia. A face fria da estatística não revela a dor, mas ilustra a violência que ainda hoje ronda as brasileiras. Os dados, fornecidos pela Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180, dão conta também do avanço dos casos em todo o País. De 2015 para 2016, as denúncias aumentaram para assustadores 44,7%. Anápolis não foge à tendência nacional, com mais de 3,2 mil vítimas de violência nos registros da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM) esse ano.
Em meio a tantos números alarmantes, movimentos se articulam mundo afora com vistas ao 25 de novembro, quando se celebra o Dia Internacional da Não Violência Contra a Mulher. Em Anápolis, uma programação específica foi articulada para a sexta-feira, 24, no Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) – Núcleo da Vila Formosa. “A intenção é disponibilizar para as mulheres informações e orientações, divulgando as políticas públicas, a fim de que sintam apoio e segurança na rede de proteção do município”, explica Eerizânia Freitas Lobo, diretora de Proteção Especial da Secretaria de Desenvolvimento Social, Trabalho, Emprego e Renda.
Com início agendado para as 13h30, a ação é voltada, especialmente, às mães de crianças e adolescentes que frequentam o SCFV. “Além da ação de conscientização, nosso objetivo é que as vítimas, dentro de uma demanda ainda reprimida e de dimensão desconhecida, saibam a quem recorrer”, detalha Eerizânia, destacando que é preciso encorajar as mulheres a denunciar todo tipo de violência. “E essa atitude virá como consequência da segurança que a rede de proteção oferece, e ainda por meio das políticas públicas, que visem ao seu empoderamento”, conclui a diretora de Proteção Especial, vinculada ao Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRAM).

Rede
Em Anápolis, a Secretaria de Desenvolvimento Social, Trabalho, Emprego e Renda, por meio do Centro de Referência de Atendimento à Mulher, acolhe e oferece acompanhamento psicossocial e orientação jurídica às mulheres em situação de violência de diversas ordens: doméstica e familiar, sexual, patrimonial, moral, física, psicológica, entre outras. Somente esse ano, o CRAM recebeu 1749 mulheres para inserção e acompanhamento.
O Centro de Referência de Atendimento às Mulheres visaassistir integralmente a mulher em situação de violência, o que inclui a busca pela inserção no mercado de trabalho. O órgão atua em parceria com a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

Baixe o PDF de Edições Anteriores

Arte em Propaganda Arte em Propaganda

+ de Notícias Segurança

Ministério Público cobra investimento no sistema prisional

07/12/2018

O coordenador do Centro de Apoio Operacional Criminal do Ministério Público de Goiás, Luciano Miranda Meireles, juntamente...

Parceria prevê mais 350 câmeras

07/12/2018

A Prefeitura de Anápolis, representada pelo Observatório Municipal de Segurança, e a empresa Enel devem bater o martelo, n...

Milhões de brasileiros são vítimas de fraudes

23/11/2018

Um levantamento da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil...

Promotor exige lanche noturno para presos

16/11/2018

O Promotor de Justiça Marcelo Celestino instaurou incidente de desvio de execução contra a Diretoria-Geral de Administraç...