(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Município cai várias posições no ranking do comércio exterior

Economia Comentários 13 de abril de 2018

Queda de seis posições, comparando-se ao encerramento de 2017 com o último resultado: março deste ano


As exportações feitas por Anápolis, no primeiro trimestre deste ano, comparativamente ao mesmo período do ano passado, registrou queda de 73,60%, conforme dados divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. O resultado ruim contribuiu para a queda no ranking estadual. Em relação às importações, Anápolis segue absoluta na liderança.
Os números trazidos pelo MDIC, de janeiro a março deste ano, apontam que as exportações feitas por Anápolis somaram, apenas, US$ 11,3 milhões, contra US$ 42,9 milhões no mesmo período de 2017. Queda de 73,60%. Já as importações, no primeiro trimestre deste ano, somaram US$ 457,7 milhões, contra US$ 426,4 milhões no mesma avaliação, no ano anterior, ou seja, houve um aumento de 7,32%.
A corrente de comércio, que representa a soma de valores das exportações e importações, registrou nos três primeiros meses deste ano, um volume de US$ 469 milhões. No ano passado, - o volume foi de US$ 469,4 milhões, uma queda de 0,08%.
Em 2017, Anápolis terminou no 18º lugar entre os municípios exportadores de Goiás. Já, este ano, caiu para o 24º lugar. No ranking estadual das importações, Anápolis segue absoluta na primeira posição. A lista do MDIC tem 75 cidades em Goiás, que realizaram operações de exportação e/ou importação.
No ranking das exportações, a liderança é de Rio Verde, que no primeiro trimestre deste ano, alcançou volume de US$ 162 milhões. O Município é o quinto colocado no ranking das importações.
Entre os principais produtos exportados por Anápolis, estão: Tortas e outros resíduos sólidos da extração do óleo de soja; Partes de veículos e aparelhos; Preparações e artigos farmacêuticos. Já os principais produtos importados, são: Sangue humano; sangue animal preparado para usos terapêuticos, profilácticos ou de diagnóstico; antissoros, outras fracções do sangue, produtos imunológicos modificados, mesmo obtidos por via biotecnológica; vacinas, toxinas, culturas de microrganismos; Partes e acessórios de veículos, medicamentos e veículos.

Parceiros
Os principais destinos das exportações feitas por Anápolis, no mês de março, foram: Coreia do Sul (18,93% de participação); França (17,94%); Países Baixos/Holanda (13,89%); Cuba (9,612%); Romênia (9,05%); Suécia (7,31%); Bolívia (4,01%); Argentina (3,09%); Índia (2,53%) e Nigéria (2,42%). Os principais fornecedores internacionais, no mês março, foram: Alemanha (29,49% de participação); Coreia do Sul (24,90%); Estados Unidos (14,65%); Suíça (7,29%); China (6,09%); Índia (5,77%); Japão (3,61%); Rússia (1,85%); Itália (1,69%) e Chile (0,79%).

Ranking goiano de exportações

1º Rio Verde - US$ 162,1 milhões
2º Alto Horizonte - US$ 97,7 milhões
3º Mozarlândia - US$ 85,5 milhões
4º Barro Alto - US$ 85,5 milhões
5º Ouvidor - US$ 69,1 milhões
6º Palmeiras de Goiás - US$ 58,2 milhões
7º Itumbiara - US$ 51,8 milhões
8º Crixás- US$ 49,0 milhões
9º Goiânia - US$ 40,0 milhões
10º Luziânia - US$ 31,5 milhões
24º Anápolis - US$ 11,3 milhões

Ranking goiano de importações

1º Anápolis - US$ 457,7 milhões
2º Catalão - US$ 214,6 milhões
3º Aparecida de Goiânia - US$ 86,8 milhões
4º Goiânia - US$ 61,9 milhões
5º Rio Verde - US$ 27,0 milhões
6º Itumbiara - US$ 20,1 milhões
7º Senador Canedo - US$ 16,0 milhões
8º Barro Alto - US$ 12,9 milhões
9º Nerópolis - US$ 5,2 milhões
10º Alto Horizonte - US$ 4,6 milhões

Ranking nacional de importações

1º Manaus (AM) - US$ 2,715 bilhões
2º São Paulo (SP) - US$ 2,610 bilhões
3º Itajaí (SC) - US$ 1,638 bilhões
4º Rio de Janeiro (RJ) - US$ 1,143 bilhão
5º Ipojuca (PE) - US$ 941,8 milhões
6º Campinas (SP) - US$ 821,4 milhões
7º São Bernardo do Campo (SP) - US$ 740,1 milhões
8º Angra dos Reis (RJ) - US$ 680,9 milhões
9º Guarulhos (SP) - US$ 671,9 milhões
10º São Luís (MA) - US$ 663,1 milhões

Ranking nacional de exportações

1º São Paulo (SP) - US$ 2,813 bilhões
2º Angra dos Reis (RJ) - US$ 2,216 bilhões
3º Rio de Janeiro (RJ) - US$ 1,867 bilhão
4º São José do Norte (RS) - US$ 1,541 bilhão
5º Parauapebas (PA) - US$ 1,348 bilhão
6º Ilhabela (SP) - US$ 1,114 bilhão
7º São Bernardo do Campo (SP) - US$ 1,105 bilhão
8º Santos (SP)- US$ 1,000 bilhão
9º Petrópolis (RJ) - US$ 813,5 milhões
10º Itajaí (SC) - US$ 781,6 milhões

Painel da balança comercial

Mês de março (2018)
Exportações
US$ 4,8 milhões
Importações
US$ 165 milhões

Janeiro/Março (2018)
Exportações
US$ 11,3 milhões
Importações
US$ 457,7 milhões

Mês de março (2017)
Exportações
US$ 21 milhões
Importações
US$ 148,7 milhões

Janeiro/Março (2017)
Exportações
US$ 42,9 milhões
Importações
US$ 426,4 milhões

Fonte: MInistério
do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior

Autor(a): Claudius Brito

Clique aqui para ler a página em formato PDF


Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Ações do Polo de Defesa vão gerar impactos positivos na economia

20/09/2018

Com localização estratégica, no centro geográfico do país, notável base infraestrutural, logística competitiva e atrat...

Soja e banana são os destaques na produção agrícola de Anápolis

20/09/2018

As lavouras de soja em grão ocupam 4.550 hectares de área plantada no Município de Anápolis, com produção estimada em 1...

Câmara Municipal começa a apreciar mais mudanças no Código Tributário

20/09/2018

Começou a tramitar esta semana na Câmara Municipal de Anápolis, o Projeto de Lei de iniciativa do Executivo que dispõe so...

Programa Nota Anapolina Premiada deve começar no mês de outubro

14/09/2018

A Prefeitura de Anápolis, através da Secretaria Municipal da Fazenda, deve publicar, na semana que vem, o decreto com as re...