(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Mulher tem a cabeça decepada durante briga

Violência Comentários 04 de outubro de 2013

Vitima era envolvida com grupo de usuários e traficantes de drogas na Vila Jaiara


Aos 32 anos, Alexandra Gomes da Silva era uma velha conhecida da Polícia de Anápolis. Com várias passagens por delegacias e pela Cadeia Pública da Cidade, ela respondeu por uma série de delitos, dentre eles, o envolvimento com drogas. Ultimamente, Alessandra fazia parte de uma espécie de colônia de drogativos e criminosos, com atuação em diversos pontos de Anápolis, especialmente na região conhecida como “Grande Jaiara”.
Na terça-feira passada, Alessandra foi assassinada a pancadas e golpes de faca. E, com requintes de crueldade, teve a cabeça separada do corpo. Agentes da Polícia Militar começaram a desvendar o crime depois que uma denúncia chegou dando conta de que o corpo de uma mulher havia sido jogado em uma cisterna. A informação procedia e, com a ajuda do Corpo de Bombeiros, o cadáver foi resgatado, surpreendentemente, sem a cabeça. O primeiro suspeito a ser detido foi Antônio Fábio Vaz de Oliveira, que, segundo denúncias, havia brigado com Alessandra pela posse do imóvel. Ele, inclusive, havia residido na casa, em companhia da família por algum tempo. O imóvel, por sinal, se transformou em esconderijo e refúgio de andarilhos e consumidores de drogas. Antônio negou tudo, mas deu pistas que levaram à descoberta de toda a trama.

Cronologia
Quem matou Alessandra, segundo a Polícia, foi Éder Nascimento Alves, 27 anos, mais conhecido por “Edinho”, também com uma extensa ficha criminal. O motivo, segundo se apurou, seria um “acerto de contas” pois a vítima havia jurado de morte a companheira de “Edinho”, Marine de Faria. Isto, em decorrência de outros crimes cometidos anteriormente, envolvendo, ainda, Rafael Chimite Gomes (23 anos) e outras pessoas. Rafael e Marine estavam presentes quando “Edinho” matou Alessandra. O acusado como autor do crime, Eder Nascimento Alves, já teria assassinado um homem que, tempos atrás, matara seu irmão e que teria ligações com Alessandra.
Com a prisão dos envolvidos, em ação que durou praticamente toda a noite de quarta-feira, 02, surgiu uma pista de onde estaria a cabeça de Alessandra. Na manhã de quinta-feira, 03, a cabeça foi localizada dentro de um saco plástico, em um córrego que corta a região. Foi, assim, desmontado todo o quebra-cabeças de um dos mais horripilantes crimes cometidos em Anápolis nos últimos tempos. A Polícia acredita, ainda, que com a prisão dos envolvidos, será possível esclarecer uma série de outros delitos, inclusive vários homicídios de autoria desconhecida até agora, naquela região da Cidade.

Outros crimes
Às dez da noite de terça-feira, 01, a Polícia registrou, também, o assassinato de Rafael Luiz Bernardes, crime ocorrido no Parque das Primaveras, região Oeste da Cidade., Ele foi atingido por uma rajada de tiros disparados por uma dupla que surgiu, de repente, em uma motocicleta. Pessoas que estavam próximas ao local não conseguiram identificar os autores do crime que desapareceram pelas ruas do bairro. A família de Rafael não ofereceu maiores elementos para um trabalho de investigação mais aprofundado.
E, ainda no dia 01, só que, às duas da tarde, a Polícia registou o assassinato de Gustavo Henrique Barreto de Jesus, morto a golpes de faca. O crime aconteceu na divisa do Bairro de Lourdes com o setor Real Conquista. Mesmo sendo levado ao Hospital de Urgência, ele acabou morrendo. A Polícia Militar fez investigações no local e ficou sabendo que uma mulher, de nome Daniela, havia recolhido dois celulares que estavam com Gustavo na hora do crime. Localizada, ela entregou os aparelhos nos quais estavam registradas várias mensagens enigmáticas, uma delas enviadas por Wellington Rodrigues para Lucas Pereira dos Santos, onde este perguntava a Lucas o que ele havia feito com Gustavo. Wellington foi localizado e disse que não sabia onde estava Lucas. Mas, os policiais, com a ajuda de Rafaela Morais, esposa da vítima, conseguiram descobrir o paradeiro do acusado. Ao chegam a uma casa nas proximidades, os policias perceberam que havia um grupo de pessoas em seu interior. Foi dada a voz de prisão e ninguém saiu, o que resultou no adentramento por parte dos policiais. Lucas foi encontrado no banheiro da residência. Ele e os demais ocupantes do imóvel foram levados para a delegacia de plantão, onde foram tomadas as providências legais.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Violência

Anápolis aparece em relação das cidades mais violentas do Brasil

09/06/2017

Em 2015, a taxa de homicídios por 100 mil habitantes de Anápolis, ficou em 40,9. Somada às Mortes Violentas com Causa Inde...

Governo diz que Goiás é um dos estados com menor índice criminal

09/06/2017

Os índices de criminalidade em Goiás apresentam queda sequenciada a partir de 2016. Na comparação entre janeiro e maio de...

Judiciário quer ações práticas para reduzir criminalidade em Anápolis

02/06/2017

A busca de soluções para o crescente aumento do índice de criminalidade em Anápolis foi debatida no final da tarde da úl...

Emanuelle Muniz e Emanuelle Ferreira: passageiras da agonia

04/05/2017

Emanuelle Muniz Gomes tinha 21 anos. Era transexual. Bela; extrovertida; meiga, alegre e filha carinhosa. Apesar da pouca ida...