(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Movimentos discutem demolição do Terminal Urbano

Cidade Comentários 06 de dezembro de 2013

De um lado, pessoas buscam alternativas para impedir que o local venha ao chão, de outro, pessoas que acreditam que a determinação precisa ser cumprida


A decisão judicial do Tribunal de Justiça de Goiás que exige a demolição do Terminal Urbano 2 de Anápolis tem divido opiniões da população. Na última sexta-feira, 29, os conselhos das Associações dos Moradores, Estudantes e dos Estudantes do Ensino Superior de Anápolis, se uniram em um movimento que tem por objetivo colher assinaturas para evitar a demolição e transformar o prédio da antiga estação ferroviária em um museu. Mas, também, há quem defenda que a construção precisa vir abaixo para dar mais visibilidade ao prédio que é patrimônio histórico da cidade.
Uma das preocupações que levaram os Conselhos das Associações de Moradores, Estudantes e Estudantes do Ensino Superior de Anápolis a criar o movimento é a centralização do Terminal Urbano 2. De acordo com o presidente do Conselho da Associação dos Moradores de Anápolis (Conama), Paulo Henrique Ribeiro, uma média de 40 mil pessoas toma ônibus no local todos os dias. “Se tirar o terminal daqui, nós vamos gastar, no mínimo, 20 minutos a mais para chegar ao nosso destino, isso sem contar o tempo de espera do ônibus. Esse tempo faz muita diferença para os estudantes e trabalhadores”, apontou.
A proposta do movimento é que o prédio passe por uma restauração, custeada pela Prefeitura de Anápolis e pela empresa de Transportes Coletivos de Anápolis (TCA), e seja transformado no Museu Histórico do Transporte de Anápolis. O movimento garantiu, esta semana, além de seis mil assinaturas de usuários do transporte público, o apoio do vereador Paulo de Lima, que requereu a criação de frente parlamentar para defender a permanência do Terminal Urbano 2 e preservação do Prédio da Estação Ferroviária de Anápolis por meio de um plebiscito para o próximo ano.

As opiniões
Para a professora aposentada, Maria Antunes Silva, o erro foi da gestão que permitiu a construção do Terminal Urbano 2 em 1998, na frente da antiga Estação Ferroviária. “Agora acho que não deve ser demolido, até porque quem vai pagar as despesas da construção de um novo terminal somos nós”, falou. O aposentado, Leison Caixeta também não concorda com a demolição. “Eu já vim de trem de ferro até aqui. Até hoje conheço isso aqui e não vejo motivo para derrubar o terminal, tem que ter outra saída”, opinou.
O assunto já chegou às redes sociais. Foi criada, no Facebook, uma página que já agrega 300 seguidores. Todos são favoráveis à demolição do Terminal Urbano 2. A expectativa, entre eles, é de que a Estação Ferroviária seja restaurada e o local dê sede a um centro cultural. Algumas pessoas que utilizam o transporte público todos os dias também concordam. É o caso da vendedora, Maria Eunice Elias, que entende que a demolição não vai prejudicar a ninguém. “Além da preservação do patrimônio histórico, seria bom ter um terminal mais novo e moderno”, argumentou.
A decisão de demolição do Terminal Urbano 2 foi dada pelo Tribunal de Justiça do Estado de Goiás há dois anos. Uma nova sentença, do dia 30 de outubro deste ano, estendeu para mais 120 dias o prazo. De acordo com a promotora de justiça, e autora da ação que visa assegurar a visibilidade e acesso da população ao patrimônio, Sandra Mara Garbelini, existe uma grande desinformação acerca do caso na Cidade. “O objetivo não é demolir o local do dia pra noite. Para isso foi dado um novo prazo para que se possa correr atrás do tempo e essa é uma decisão que já passou por todos os tribunais competentes”, garantiu. Ainda, de acordo com a promotora, não há com o que a população se preocupar já que um estudo feito por engenheiros de trânsito para o edital de licitação da exploração do transporte coletivo de Anápolis demonstra que não há necessidade de um terminal. “A partir da conclusão dessa licitação, a bilhetagem será eletrônica e por isso haverá a adequação de vários pontos de embarque a passageiros”, explicou.

Autor(a): Wanessa Mereb

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Cidade

Monumentos históricos de Anápolis completam 60 anos

13/07/2017

Ignorados por grande parte da população e, até, pelas autoridades governamentais, dois monumentos que ficam no centro de A...

Câmara Municipal de Anápolis vai ter seu hino oficial em breve

15/06/2017

O vereador Teles Júnior (PMN) informou, durante o uso da tribuna, na sessão ordinária da última segunda-feira,12, que pro...

Presidente da UVG defende 13º e férias para os vereadores

09/06/2017

Em visita à Câmara Municipal de Anápolis, na manhã da última quarta-feira,07, o Presidente da União dos Vereadores de G...

Anápolis ainda tem muito caminho para melhorar em informação

02/06/2017

Criada em 2011, a Lei de Acesso à Informação ainda não é aplicável de forma plena por boa parte dos municípios brasile...