(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

MJ acompanha projeto de visita em Anápolis

Cidade Comentários 08 de setembro de 2017

Filhos de presas podem visitá-las fora das cadeias


Representantes do Ministério da Justiça e da Secretaria de Segurança Pública do Estado de Goiás vieram a Anápolis para acompanharem uma visita humanizada do Projeto Amparando Filhos - Transformando Realidade com a Comunidade Solidária. A visita foi solicitada pela coordenadora de Políticas para Mulheres e Promoção das Diversidades do Ministério da Justiça, Susana Inês de Almeida. Ela pretendia saber como funciona a visita dos familiares das mulheres encarceradas fora do ambiente prisional e saber como é possível realizar esses encontros em ambientes mais tranqüilos, assim como, aprender mais sobre as técnicas utilizadas pelo juiz Carlos José Limongi Sterse e pela equipe do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás.
A gerente da Central de Alternativas à Prisão da Superintendência Executiva de Administração Penitenciária da Secretaria de Segurança Pública do Estado de Goiás, Antiara Cardoso Leal também participou da visita. De acordo com ela, o Projeto Amparando Filhos “é fantástico. O projeto é viável, simples e muito humanizador. É de suma importância esse olhar sensível para o elo de amor e atenção das mães para com os filhos e vice-versa. Direito à família é constitucional”, completou Antiara.

Sobre o concurso
O Projeto Amparando Filhos funciona em Anápolis desde maio de 2016. As visitas humanizadas acontecem com uma frequência mensal, fora do presídio. A equipe responsável pelo programa é composta pela pedagoga Cindy Michelle da Silva, pela psicóloga Fernanda Arantes Borges, pela assistente social Michelle Jerônimo da Costa e pelo estagiário de psicologia Misael Ribeiro Gondim.
Trata-se de uma medida preventiva, baseada nos princípios da intervenção precoce, proteção integral e melhor interesse das crianças e adolescentes. Tem, também, o objetivo de evitar a dupla penalização (mães - filhos), propiciando condições para que, enquanto perdurar o encarceramento das genitoras, os filhos estejam em ambiente de proteção social, econômico e afetivo. O projeto já funciona em 14 comarcas de Goiás.
Acompanharam a visita, o desembargador Luiz Eduardo Sousa; o juiz Carlos José Limongi Sterse, do Juizado da Infância e da Juventude de Anápolis; o promotor de Justiça João Biffe Júnior; e Eunice Machado Nogueira, diretora de Planejamento da Secretaria de Gestão Estratégica do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás. (com informações do TJGO)

Autor(a): Nilton Pereira

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Cidade

Segundo viaduto da Brasil já tem a primeira rampa pavimentada

12/10/2017

A impermeabilização da rampa sul do viaduto “Idelfonso Limírio”, erguido na confluência da Avenida Brasil e da Rua Am...

Certificado presta homenagem a personalidades anapolinas

12/10/2017

Seis personalidades que em suas ações defendem a vida e a família foram homenageadas durante sessão solene realizada no d...

Passe Livre Estudantil deve funcionar a partir do dia 17

12/10/2017

O programa Passe Livre Estudantil (PLE) deverá começar a funcionar em Anápolis no início da próxima semana, provavelment...

Ministério Público terá nova sede

05/10/2017

Com previsão de as obras começarem a serem executadas ainda este ano, o Ministério Público, em Anápolis, vai funcionar n...