(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Ministério libera mais um lote de remédio

Saúde Comentários 13 de maro de 2015

Novos medicamentos vão ajudar no combate a transtornos bipolares


A partir de agora, os brasileiros que sofrem Transtorno Afetivo Bipolar contarão com a linha completa de tratamento para a doença após a incorporação dos medicamentos Clozapina; Lamotrigina; Olanzapina, Quetiapina e Risperidona. Isto representa um investimento do Ministério da Saúde na ordem de R$ 755 milhões em cinco anos. Outra novidade importante é a publicação do primeiro Protocolo Clinico e Diretrizes Terapêuticas, que servirá como guia para a orientação do diagnostico, tratamento e acompanhamento desses doentes. Segundo estimativas de associações de pacientes, o transtorno pode afetar até dois milhões de brasileiros.
Os medicamentos incorporados servem para o tratamento dos sintomas associados à doença, caracterizada por alterações de humor - fases de depressão e euforia (mania). Além disso, auxiliam na prevenção dos diferentes estágios dos episódios de mania e depressão, sintomas clássicos da doença. A estimativa é de que, já em 2015, cerca de 270 mil pessoas sejam atendidas com esse novo tratamento, e a previsão é de que o número chegue a 330 mil em 2019.
Estima-se que os pacientes diagnosticados com transtorno bipolar podem desenvolver mais de 10 episódios de mania e de depressão durante toda a vida. A duração das crises e dos intervalos entre elas, em geral, se estabiliza após a quarta ou quinta crises. Frequentemente, o intervalo entre os primeiro e segundo episódios pode durar cinco anos ou mais, embora 50% dos pacientes possam apresentar outra crise maníaca dois anos após sua crise inicial.
O transtorno bipolar pode se apresentar em diferentes graus, do mais leve ao mais grave, por isso é importante promover o diagnóstico correto e o acesso ao melhor tratamento existente. Com essa incorporação a expectativa do Ministério da Saúde é que até o final deste primeiro semestre os medicamentos já estejam à disposição da população.
Protocolo
Além disso, o Ministério da Saúde acaba de publicar o primeiro Protocolo Clinico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT), destinado à orientação sobre diagnostico, tratamento e acompanhamento dos doentes que é fundamental para a ampliação do acesso aos tratamentos. Por acometerem adultos jovens e por se tratar de doença crônica de longa evolução que prejudica os aspectos familiar, social e profissional dos doentes, o tratamento é muito importante para garantir a qualidade de vida das pessoas das famílias e da sociedade.
Esse protocolo vai orientar os médicos no SUS a prescreverem os medicamentos combinados de acordo com o quadro clínico do paciente com o objetivo de conseguir o melhor resultado possível no tratamento do transtorno bipolar. Além das pessoas terem acesso aos medicamentos de maneira facilitada, os pacientes passam a contar com um protocolo padrão feito com base em evidências científicas disponíveis e consultando especialistas de forma a ter uma padronização do tratamento desse transtorno.
Para a inclusão de qualquer medicamento no SUS, é necessário que sejam obedecidas às regras da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias, que garantem a proteção do cidadão quanto ao uso e eficácia do medicamento, por meio da comprovação da evidência clínica consolidada e o custo-efetividade dos produtos. Após a incorporação, o medicamento ou tecnologia pode levar até 180 dias para estar disponível ao paciente.
Medicamentos incorporados
Clozapina - Medicamento indicado para o tratamento de esquizofrenia resistente ao tratamento de risco de comportamento suicida recorrente em pacientes com esquizofrenia, ou distúrbio esquizoafetivo e psicose durante a doença de Parkinson.
Lamotrigina - Indicado para prevenir episódios de alteração de humor, especificamente, episódios depressivos.
Olanzapina - Indicado para o trata mento de episódios de mania aguda, ou, mistos de TAB (com, ou sem sintomas psicóticos e com, ou sem, ciclagem rápida) e para prolongar o tempo entre os episódios e reduzir as taxas de recorrência dos episódios de mania, mistos ou depressivos no TAB.
Quetiapina - Indicado como adjuvante no tratamento de episódios de mania, depressão, manutenção do transtorno afetivo bipolar I (episódio maníaco misto, ou, depressivo) em combinação com os estabilizadores de humor lítico, ou valproato e como monoterapia no tratamento de manutenção do transtorno afetivo bipolar (episódio de mania, mistos e depressivos).
Risperidona – Indicado para o tratamento de curto prazo para a mania aguda ou sódios mistos associados com transtorno bipolar I

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Saúde

Infectologia tem jornada sábado

18/05/2017

A Sociedade Goiana de infectologia realiza neste sábado, 20, a I Jornana de Infectologia de Anápolis. As palestras têm por...

Como superar o fim de um relacionamento?

27/04/2017

Ter o ‘coração partido‘ é uma das experiências mais traumáticas da vida. No entanto, de acordo com um estudo da Univ...

Obras no Huana continuam com recursos da venda da CELG

27/04/2017

As obras de ampliação e reforma do Hospital de Urgências de Anápolis “Dr. Henrique Santillo” terão continuidade com ...

Saúde realiza vacinação contra a gripe até dia 26 de maio

19/04/2017

A 19ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe começou na última segunda-feira, 17, e as vacinas estão disponívei...