(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Mil alqueires divididos para obras cristãs em Goiás

Especial Comentários 05 de janeiro de 2013

A cinco quilômetros de Cocalzinho existe uma faixa de terras considerada um verdadeiro paraíso, doada para projetos sociais de igrejas evangélicas


Do ponto de vista turístico/empresarial, trata-se de uma das áreas mais valiosas no entorno de Anápolis: ao lado do Salto de Corumbá (a 50 quilômetros de Anápolis), seguindo pela BR-414, distante 15 quilômetros da cidade de Corumbá e a cinco quilômetros de Cocalzinho. É uma belíssima região, remanescente do Cerrado Brasileiro. Vale a pena conferir!
Trata-se da “Fazenda ou Casa de Retiro Dona Agnes”, que tem este nome por causa da doadora da propriedade, a missionária inglesa Agnes Waddel Chagas, cunhada do famoso médico sanitarista, cientista e bacteriologista brasileiro, que trabalhou como clínico e pesquisador, Carlos Justiniano Ribeiro Chagas (1878-1934), Ele se destacou ao descobrir a tripanossomíase americana, conhecida como “Doença de Chagas”, ou, “Mal de Chagas”. Este cientista foi o primeiro, e o único, na história da medicina a descrever, completamente, uma doença infecciosa: o patógeno, o vetor (Triatominae), os hospedeiros, as manifestações clínicas e a epidemiologia.

Construção colonial
Na fazenda, hoje propriedade da Igreja Presbiteriana Central de Anápolis, existe um casarão, construído na década de 50, que conta com 14 quartos e demais dependências. Embora antigo, sua estrutura ainda se encontra em bom estado de conservação por conta da constante vigilância e zelo de seus atuais mantenedores. A concepção arquitetônica é única em toda a região e ele desperta a curiosidade de qualquer pessoa que o avista, mesmo que à distância.
Por causa da visão inovadora de Dona Agnes, a casa serviu, inicialmente, como uma escola, isto no início da década de 70. Depois, foi transformada em um centro de treinamento para moças pobres da região, que eram preparadas para se tornarem domésticas. Ali, elas aprendiam a cozinhar pratos sofisticados; lavar roupas, limpar residências e atender a casa de pessoas moradoras na cidade, que precisavam de auxiliares domésticas qualificadas.
Mas, o que chama a atenção é o espírito de solidariedade e de desprendimento de que era possuidora a missionária. Antes de morrer, ao invés de vender todo o seu patrimônio, ela doou os 1.000 alqueires de terra que possuía na região, ficando a metade para o Orfanato Bethel que, atualmente, abriga a mais de 200 crianças. A instituição denominada “Mocidade Para Cristo” também foi beneficiada com grande extensão de terra, que a vendeu para a Missão Vida. Esta instituição implantou ali um grande centro de recuperação de alcoólatras, drogativos e outros dependentes químicos. Dona Agnes, ainda, criou um grupo de conselheiros e curadores que tinham a tarefa de doar áreas para a construção de acampamentos. Ali na região, hoje funcionam o ABA - Acampamento Brasiliense Aliança (da Igreja Cristã Evangélica); o Acampamento da Assembleia de Deus; e o Acampamento El Rancho (propriedade da Igreja Presbiteriana de Anápolis). Além disso, foram distribuídas pequenas glebas de terras entre os antigos funcionários da fazenda, numa espécie de reforma agrária.
O prédio principal da fazenda ainda mantém as características originais, com uma aparência rústica e antiga, embora esteja em bom estado de conservação. Ao lado, ficava a tapera, supostamente um ponto de parada onde os bandeirantes descansavam nas suas longas trajetórias. Infelizmente a tapera ruiu com o passar dos anos, mas ainda se constitui num importante sítio para avaliações e estudos sobre a história do local.

Preservação
Há, entre os mantenedores, segundo o pastor Samuel Vieira, presidente do Conselho da Igreja Presbiteriana Central, uma proposta de se restaurar o casarão, mantendo, entretanto, a concepção original, transformando-o numa referência para a região. A Fazenda Dona Agnes, que já tem servido de retiros para famílias, treinamentos espirituais, de lideranças e recursos humanos, além de encontros para pequenos grupos interessados em um aprofundamento na espiritualidade cristã, tem também a possibilidade de uso do seu o espaço para aluguel de pequenos eventos, comportando, em média, 35 pessoas. O ambiente é rústico, mas aconchegante, com duas lareiras na sala de estar.
Essas dependências da Fazenda Dona Agnes fazem parte de um apoio logístico do Acampamento El Rancho, mantido por esta mesma organização religiosa, com capacidade para acolher 144 pessoas em retiros, congresso e seminários, dentre outros eventos.

Localização:
A Casa de Retiro “Dona Agnes” está localizada a 120 quilômetros de Goiânia; a 110 de Brasília, a 60 de Anápolis e a cinco de Cocalzinho. Trata-se de uma área estratégica pela riqueza de turismo da região. A cidade de Pirenópolis, que é um marco de turismo hoje em Goiás e no Brasil, fica a 25 km desta instituição. A propriedade se situa a 500 metros do asfalto, portanto, de fácil acesso por rodovia (BR 414).
Ao lado do Acampamento El Rancho, que faz divisa com a Fazenda e a Casa de Retiro Dona Agnes, encontra-se o belíssimo Salto de Corumbá, com uma queda d´água que chega a 52 metros, que também fazia parte das terras da antiga proprietária. O Morro dos Pirineus, que é o pico mais alto de Goiás, fica a seis quilômetros do local e pode ser acessado por carro ou pelas trilhas entre as fazendas. Toda a região é marcada por trilhas magníficas, incluindo um pequeno cânion chamado "A Garganta", um lugar paradisíaco com lindas formações rochosas.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Especial

Equipe realiza Seminário de Educação em Kuito

12/01/2018

A equipe que participa do projeto EDUKA+ANGOLA realizou entre os dias 03 a 05 de janeiro, na cidade do Kuito, na província d...

Força tarefa investiga morte de agentes prisionais em Anápolis

05/01/2018

Em entrevista coletiva na manhã da última quarta-feira, 03, o Delegado Geral da Polícia Civil, Álvaro Cássio, anunciou a...

RETROSPECTIVA 2017 - Um ano de muitas conquistas para o setor cultural anapolino

29/12/2017

O ano de 2018 foi positivo para o setor cultural de Anápolis, apesar das dificuldades enfrentadas pela Prefeitura. A avalia...

RETROSPECTIVA 2017 - A economia tenta retornar aos trilhos do desenvolvimento

29/12/2017

Balanço do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho revelou que 2016 fechou com saldo negativ...