(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Microempreendimento cresceu mais de 840% em sete anos

Economia Comentários 26 de outubro de 2017

Município é o terceiro maior em optantes deste sistema, ficando atrás, apenas, de Goiânia e Aparecida de Goiânia.


O número de optantes do Microempreendedor Individual (MEI), em Anápolis, registrou um crescimento superior a 840%, de 2010 (no início de sua implantação) até este ano, segundo estatística do Portal do Empreendor apurada pelo Jornal Contexto. Até o dia 30 de setembro último, o número de optantes já havia chegado a 16.180. Em 2010, primeiro ano após a vigência da lei que institui o MEI, o número de cadastrados era de, apenas, 1.719.
No Estado de Goiás, o número de optantes do MEI, apurado também até no final de setembro, foi de 265.865, sendo que os 10 municípios com maior número de optantes concentram 55,77% do total, ou seja: 148.271. Goiânia é o município com maior número de cadastros, com 72.341. A seguir, vêm: Aparecida de Goiânia (19.651); Anápolis (16.180); Rio Verde (7.261); Valparaíso de Goiás (6.899); Luziânia (6;671); Águas Lindas de Goiás (5.665); Senador Canedo (4.649); Trindade (4.515) e Jataí (4.439).
Comparativamente ao ano de 2016, o ranking permanece quase o mesmo. Só houve uma troca de posição. Trindade era o 10º colocado e avançou para a 9ª posição, que era ocupada por Jataí. No ranking de 2016, portanto, os 10 maiores municípios com optantes do MEI, eram: Goiânia (63.725); Aparecida de Goiânia (17.580); Anápolis (14.335); Rio Verde (6.372); Valparaíso de Goiás (5.988); Luziânia (5.871); Águas Lindas de Goiás (5.064); Senador Canedo (4.159); Jataí (3.879) e Trindade (3.836).
No ranking dos estados com mais optantes do MEI, Goiás ocupa a 8ª posição e a liderança disparada é de São Paulo (1.948.081). A seguir: Rio de Janeiro (920.695); Minas Gerais (830.042); Rio Grande do Sul (444.206); Bahia (434.637); Paraná (432..908); Santa Catarina (279.003); Goiás (265.865); Pernambuco (242.857) e Ceará (210.151). No Brasil, o total de optantes do MEI é de 7.509.837, segundo dados levantados até 30 de setembro último.

Atividades
Em Anápolis, as atividades que registram o maior número de optantes do MEI, conforme a lista do CNAE - Classificação Nacional de Atividades Econômicas - são: Comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios (1.535); Cabeleireiros, manicure e pedicure (1.219); Lanchonetes, casas de chás, sucos e similares (607); Comércio varejista de mercadorias em geral - supermercados (562); Obras de alvenaria (551); Promoção de vendas (402); Bares e outros estabelecimentos especializados em venda de bebidas (350); Comércio varejista de cosméticos, produtos de perfumaria e higiene pessoal (319); Instalação e manutenção elétrica (297) e Serviços de pintura de edifícios em geral (293).

Secretaria orienta quem deseja entrar para o microempreendedorismo
O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Agricultura e Turismo, Vander Lúcio Barbosa, comemora o crescimento no número de MEIs. Mas, ele ressalva que é importante o microempreendedor estar atento para tirar as vantagens que o programa oferece.
De acordo com Vander Lúcio, os microempreendedores já cadastrados e aquelas pessoas que buscam uma alternativa para entrarem neste segmento podem buscar orientação na Sala de Empreendedores, um projeto da Prefeitura de Anápolis que conta com profissionais capacitados para dar este atendimento. “É importante que os MEIs estejam atentos às suas vantagens e, também, às suas obrigações, para que possam manter o negócio em uma rota segura e para que possam crescer no futuro”, orienta o secretário.
Entre as vantagens de ser um MEI, o secretário aponta que o microempreendedor poderá vender para o Governo; pode ter acesso ao crédito bancário; tem baixo custo na manutenção do seu negócio; pode emitir nota fiscal, ter CNPJ e Alvará, além de apoio técnico, como o SEBRAE, por exemplo, que tem muitas ações direcionadas para este segmento, bem como o Município. Além, ainda, de poder contar com direitos e benefícios tributários: aposentadoria por idade, por invalidez, auxílio-doença, salário maternidade e pensão por morte para a família.
Por outro lado, o MEI deve estar atento e verificar se já recebe algum benefício previdenciário (salário-maternidade, auxílio-doença, auxílio-idoso, aposentadoria por invalidez, Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social. A formalização pode levar ao cancelamento do benefício. No caso de servidor público, é preciso consultar se a legislação permite ser MEI. Titular, sócio ou administrador de outra empresa não pode aderir ao programa.
“Quanto mais informação, mais segura será a tomada de decisão para que a pessoa possa aderir ao MEI e ter sucesso no seu empreendimento”, resume o secretário.

Autor(a): Claudius Brito

Clique aqui para ler a página em formato PDF


Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Município cai no ranking goiano de exportações

16/11/2017

Mais de US$ 1,4 bilhão. Este é o valor da corrente de comércio, representada pela soma das exportações e importações f...

Produto Interno Bruto de Goiás registra queda de 4,3% em 2015

16/11/2017

A economia goiana movimentou R$ 173,63 bilhões em 2015, valor R$ 8,62 bilhões acima do registrado no ano anterior (R$ 165,0...

Secretário se compromete a intermediar causas de empresários com a Companhia

09/11/2017

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Francisco Pontes, afirmou que vai intermediar um encontro para solucion...

Luta nacional transforma-se em uma “briga” caseira em Goiás

09/11/2017

O Governo de Goiás e o setor produtivo travam uma verdadeira batalha em torno do Decreto 9.075, de 23 de outubro de 2017, as...