(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Mercado de trabalho começa 2018 com saldo positivo em vagas

Economia Comentários 08 de maro de 2018

Em janeiro Anápolis gerou 372 novas vagas de empregos formais, número que não era alcançado há mais de dois anos


Apesar de ficar na quinta colocação entre as cidades goianas que mais abriram vagas de emprego com carteira assinada em janeiro, o mercado de trabalho começou aquecido em Anápolis, em 2018. De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), no primeiro mês do ano foram criadas 372 novas vagas de empregos formais em Anápolis, um número que não era alcançado pelo Município há mais de dois anos.
Os números mais próximos são de agosto do ano passado, quando foram geradas 361 vagas e, em outubro, quando foram criadas outras 342 novas vagas. As 372 vagas abertas em janeiro revertem também um quadro negativo registrado em dezembro de 2017, quando 400 vagas de empregos formais foram fechadas em Anápolis, quebrando umas série de saldos positivos ao longo do ano passado e que não se repetiu somente no último mês do ano.
Os números do Caged mostram que as 372 novas vagas de empregos formais abertas em janeiro foi o resultado de 3.276 contratações e 2.904 desligamentos. A indústria de transformação foi o segmento da economia local que mais gerou empregos, com 274 novas vagas, seguida pelo setor de serviços, com 106 novos empregos e a construção civil, que abriu outras 46 novas vagas.

Ranking
Em contrapartida, os demais segmentos fecharam o primeiro mês do ano com saldo negativo. A liderança ficou com o comércio, que fechou 40 vagas, seguido pelo serviço industrial de utilidade pública, com um saldo negativo de 8 vagas e a agropecuária, que fechou outras 4 vagas. A lista de saldo negativo se completa, com a extração mineral e a administração pública, ambas com um saldo negativo de 1 vaga.
Os dados do Caged mostram ainda que entre as 3.276 contratações, 242 foram para o primeiro emprego e 2.928 para o reemprego. Do total de 2.904 demissões, 1.749 ocorreram sem justa causa, 35 por justa causa, 371 devido ao fim de contratos de trabalho e outras 9 por falecimento. A mesma estatística mostra também que as funções que mais admitiram foram as de alimentador de linha de produção, auxiliar de escritório em geral, vendedor de comércio varejista, servente de obras e faxineiro.
Em janeiro, a liderança no ranking das cidades goianas que mais geraram empregos ficou com o Município de jataí, com 943 novas vagas, seguido por Goiânia, com 862, Aparecida de Goiânia, com 825, Jataí, com 452 e Anápolis, com as 372 vagas de empregos formais abertas naquele mês. Em contrapartida, municípios economicamente importantes fecharam um grande número de empregos celetistas, liderados por Formosa, com um saldo negativo de 752 vagas, seguido por Goiatuba, com 568 vagas fechadas, Morrinhos, onde foram extintas 531 vagas, Jaraguá, com saldo negativo de 305 vagas e Minaçu, onde foram fechados 268 postos formais de trabalho.

No Estado
Depois do registro de um saldo negativo de 14.345 vagas fechadas em dezembro, o mercado de trabalho em Goiás começou 2018 no azul, com um saldo positivo de 5.732 novas vagas abertas em janeiro. Segundo o Caged, este foi o melhor saldo para janeiro nos últimos cinco anos, superando em 20% a marca registrada no mesmo mês de 2017.
Com esse resultado, o Estado teve o segundo melhor desempenho na Região Centro-Oeste e o sétimo em todo o País, também de acordo com a última estatística do Caged. Os setores que mais se destacaram foram o de serviços, com 1.770 novas vagas, seguido pela indústria de transformação, com 1,646, a construção civil, com 1.566 e a agropecuária, com 1.259.
Os demais segmentos registraram saldo negativo, liderado pelo comércio com 432 vagas fechadas, o serviço industrial de utilidade pública, seguido pela extração mineral, com saldo negativo de 92 vagas, o serviço industrial de utilidade pública, que extinguiu 30 vagas e a administração pública, com saldo negativo de 15 vagas.
No País, os dados do Caged apontam o melhor resultado para janeiro desde 2012, com a abertura de 77.822 novos postos de empregos celetistas. O saldo foi positivo também em três das cinco regiões do País. A região Sul foi a que mais abriu novos empregos formais, com 46.751 novas vagas, seguido pelo Sudeste, com 21.924 e o Centro-Oeste, com 20.421 vagas. A região Norte fechou 6.035 vagas e, a Nordeste outras 5.242 vagas.

Autor(a): Ferreira Cunha

Clique aqui para ler a página em formato PDF


Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Embaixador italiano apoia projeto do polo de defesa no Município

24/05/2018

O Embaixador da Itália no Brasil, Antonio Bernadini, esteve em Anápolis na última terça-feira,22, a convite do Comitê da...

Projeto de educação fiscal para despertar a consciência cidadã

24/05/2018

Nesta sexta-feira, 25, é comemorado o Dia Nacional de Respeito ao Contribuinte. Uma data pouco lembrada e, até, desconhecid...

Mais de duas mil pessoas prontas para o mercado de trabalho

17/05/2018

Não é novidade que o mercado de trabalho está cada vez mais competitivo. É fundamental que o candidato procure se qualifi...

Primeiro quadrimestre registrou queda elevada de exportações

17/05/2018

As exportações feitas por Anápolis, de janeiro a abril deste ano, registraram queda de 68,77%. Por outro lado, as importa...