(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Menopausa e Andropausa

Saúde Comentários 04 de fevereiro de 2011

O brasileiro está vivendo mais tempo. Com isso, alguns problemas de saúde, até então raros, começam a surgir com mais frequência entre a população. É o caso da Menopausa e da Andropausa. Mas, que doenças são essas?


Dados fornecidos pelos organismos oficiais de saúde no Brasil têm apontado que, cada vez mais, as pessoas estão aumentando os índices de longevidade. Há três décadas, alguém com 60 anos, era considerada uma pessoa “velha”. Hoje em dia, é comum deparar-se com senhoras e senhores acima dessa idade, em pleno vigor físico, fazendo parte da massa produtiva e desempenhando atividades, antes tidas como proibitivas.
Acontece que, ao lado desse aspecto positivo, surgem, também, preocupações com a saúde. Duas espécies de mito permeiam a sociedade atual: a menopausa, ou climatério feminino e, a andropausa, que incide na população masculina. Uma pesquisa junto a vários especialistas e consultas a publicações, pretende auxiliar no esclarecimento e na orientação dos dois assuntos, que são presença, quase que obrigatória, em todas as famílias.

Menopausa
Trata-se de um estágio natural da vida em que todas as mulheres passam quando envelhecem. Embora seja natural, nenhuma mulher diria que os sintomas parecem normais. As ondas de calor, suor noturno, alterações de humor, cansaço e outros sintomas, podem fazer da menopausa uma das fases mais difíceis nos campos emocional e físico para uma mulher.
Este fenômeno ocorre quando os níveis de estrogênio começam a diminuir e provocar mudanças no ciclo menstrual. Durante a menopausa, a ovulação pára fazendo com que os períodos sejam menos frequentes, até pararem totalmente. Para muitas mulheres esse processo começa silenciosamente depois dos 40 anos, geralmente entre 45 e 55 anos.

Sintomas:
Ondas de calor
Diminuição do desejo sexual
Suor noturno
Ressecamento vaginal
Irregularidade dos ciclos menstruais
Insônia
Irritabilidade
Ansiedade
Depressão

O que acontece exatamente e quando?
Perimenopausa (Climatério) - Diminuição gradual dos níveis hormonais
Ocorre, geralmente, no final dos anos 30 até o meio dos anos 40. É um período de transição quando a mulher ainda está ovulando, mas começa a apresentar alguns sintomas da menopausa. A perimenopausa geralmente dura cinco anos, mas pode durar somente dois anos. Há casos, entretanto, em que pode chegar, até mesmo, a oito anos para algumas mulheres. Nesta fase começa uma diminuição gradual da produção hormonal dos ovários. Nos últimos dois anos é quando a mulher começa a sentir mais os sintomas da menopausa, pois a diminuição do estrogênio acelera.

Menopausa - Ciclos menstruais param
Geralmente ela é observada no final dos anos 40 até o meio dos anos 50. Os ovários param de liberar óvulos e produzir a maior parte de seu estrogênio. A mulher passa a não ter mais ciclos menstruais. Nesta fase, as mulheres podem apresentar os sintomas da menopausa com mais intensidade. Quando a mulher passa mais de um ano sem um período menstrual, considera-se que ela entrou no período pós-menopausa.
Pós-menopausa - Aumento dos riscos de saúde
Essa fase se verifica depois dos 50 anos. Esses são os anos depois da menopausa e os sintomas acalmam para a maioria das mulheres. No entanto, nesse período muitas mulheres começam a sofrer as consequências para a saúde (associadas à diminuição dos níveis de estrogênio e outros hormônios) como osteoporose e doenças do coração.

O que fazer?
Algumas mudanças na alimentação e estilo de vida podem ajudar as mulheres a lidarem melhor com essa fase da vida. Vejam a seguir o que pode ser feito.

- Dieta e Estilo de Vida:
Comer mais soja: Os cientistas começaram a se interessar mais pelo potencial da soja depois que estudos demográficos revelaram que apenas 9% das mulheres que vivem na Ásia, onde a dieta é rica em soja, sentiam ondas de calor durante a menopausa comparado a 80-90% das mulheres ocidentais que sofrem com a menopausa.
Muitos cientistas acreditam que as isoflavonas da soja, que são semelhantes aos estrogênios em estrutura, promovem a saúde ao se ligar aos receptores de estrogênio no organismo e, assim, produzir os benefícios do estrogênio sem os efeitos negativos.
A soja é conhecida por ter um impacto sobre o ciclo menstrual da mulher na pré-menopausa. Sociedades que têm um consumo alto de soja apresentam menor incidência de ondas de calor durante a menopausa.
Exercitar-se: As mulheres sedentárias estão mais propensas a ter ondas de calor do que as mulheres que se exercitam. Em um experimento, os sintomas da menopausa foram reduzidos imediatamente após o exercício aeróbico.

Parar de fumar: Fumar cigarros pode estar muito relacionado às ondas de calor em mulheres que estão passando pela menopausa. Estudos preliminares mostraram que mulheres que têm ondas de calor são mais provavelmente as fumantes. Outro estudo preliminar mostrou que mulheres que buscavam reposição hormonal para tratar os sintomas da menopausa eram mais frequentemente fumantes.


Andropausa
Os homens, em geral, começam a experimentar transformações no corpo entre 30 e 45 anos de idade. Todos os estudos científicos produzidos nos melhores centros de pesquisa do mundo apontam o desequilíbrio hormonal como a base fundamental da menopausa masculina (andropausa). O grande problema é que os sintomas vão se instalando durante anos a fio, de forma lenta e gradual, confundindo-se, na maior parte das vezes, com os chamados "processos naturais" do envelhecimento. Ocorre, então, um gradual declínio do apetite sexual e do bem estar. Vai se tornando cada vez mais difícil "manter a forma" e os níveis de energia passam a declinar. A composição corporal se altera de forma dramática, ocorrendo um crescente acúmulo de gordura, seguido imediatamente por atrofia progressiva da massa muscular. Se negligenciado, provoca, a médio e a longo prazos, consequências e danos muito mais severos para os homens do que a própria menopausa para as mulheres.
O problema nos homens torna-se mais grave por que, ao contrário das mulheres, que experimentam apenas declínio dos hormônios femininos, os homens, à medida que sofrem declínio dos hormônios masculinos, têm, ao mesmo tempo, aumento dos níveis de hormônios femininos, produzindo efeitos desastrosos no seu metabolismo.

Reflexos
Uma quantidade de sintomas que decorrem desse processo é enorme e inclui fadiga, má qualidade do sono, insônia, aumento da gordura corporal, atrofia muscular, diminuição do desejo sexual, distúrbios da ereção, e ejaculação, nervosismo, ansiedade, irritabilidade, dores articulares, perda de massa óssea, queda de cabelos, enrugamento e ressecamento da pele, lapsos e enfraquecimento da memória, depressão, redução dos níveis de energia, apatia, intolerância à glicose, aumentando a predisposição ao diabetes tipo II e diminuição da resposta imunológica, dentre outros tantos.
Uma incontável quantidade de trabalhos científicos comprova uma direta conexão entre os sintomas descritos acima e o declínio da produção hormonal masculina de testosterona e hormônio do crescimento humano, e aumento dos níveis de estradiol feminino.
Às esposas, companheiras e namoradas, recomenda-se que façam a elas próprias e à relação com a pessoa amada, um grande favor: avisem aos seus parceiros que o equilíbrio hormonal masculino pode (e deve) ser fácil e seguramente corrigido. Conscientizem-nos de que a saúde hormonal desempenha um papel central na manutenção do equilíbrio metabólico, e que um homem, em deficiência hormonal, envelhece a uma velocidade pelo menos três vezes maior.
De acordo com os médicos especialistas, seria extremamente positivo que se, ao invés de dar remédios para tratar a "velhice" masculina, os médicos passassem a dosar os seus hormônios, pois uma quantidade imensa de problemas, e doenças, poderia ser simplesmente eliminada através da utilização dos seguros e eficazes protocolos de modulação hormonal masculina.

Autor(a): Nilton Pereira

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Saúde

Mudanças no programa Farmácia Popular preocupam vereadores

22/06/2017

O Vereador Antônio Gomide (PT) falou na tribuna, na última segunda-feira, 19, sobre o possível fechamento da Farmácia Pop...

Município anuncia importantes reformulações na área da saúde

15/06/2017

Uma das áreas mais sensíveis da Administração, a pasta da Saúde, tem desafios que extrapolam os limites do Município. P...

Anvisa ouve reivindicações dos laboratórios goianos

15/06/2017

Anápolis recebeu, no último dia 09, a presença do médico sanitarista e epidemiologista, Jarbas Barbosa da Silva Júnior, ...

Projeto atende a quase 800 pacientes que estavam na fila

26/05/2017

Há dois anos, a auxiliar de limpeza, Lídia dos Reis, 38, sentia fortes dores de vesícula. As pedras acumuladas no órgão ...