(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Medidas para mais vagas em creches

Educação Comentários 02 de fevereiro de 2017

Prefeituras de dez municípios, dentre o de Anápolis, foram chamados para conhecer a iniciativa que visa reduzir o déficit de vagas


O governador Marconi Perillo reuniu nesta quinta-feira, 02, os prefeitos e os secretários de Educação de dez municípios, entre eles Goiânia, Aparecida de Goiânia, Anápolis, Trindade e Rio Verde, para definir medidas de fortalecimento do Ensino Público Infantil através do Programa Goiás Mais Competitivo e Inovador (GMCI). A proposta de Marconi é realizar parcerias para a construção de creches e reduzir o déficit de vagas nas unidades destinadas às crianças.
Denominado Aliança Municipal pela Competitividade, a articulação visa aumentar a oferta de vagas em creches municipais, construir novas unidades, reduzir desperdícios e cuidar da manutenção diária dos prédios onde as escolas municipais estão instaladas. A secretária de Educação, Cultura e Esporte (Seduce), Raquel Teixeira, apresentou estudo técnico realizado pela pasta que aponta que em 39 dos 246 municípios goianos não há sequer uma única creche.
O levantamento também revela que dez municípios concentram 65,26% do déficit de vagas no Ensino Infantil, que é de responsabilidade das prefeituras e é um dos maiores desafios dos gestores municipais. O prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha, atentou para o aumento das despesas de custeio. “O senhor bota o dedo na ferida”, disse o governador na reunião, para quem é importante o envolvimento do governo federal, por meio do Ministério da Educação e Cultura, para que a articulação ganhe força.
Marconi propôs que o estudo da Seduce seja apresentado ao Ministro da Educação, em audiência que ele vai agendar, com a presença dos dez prefeitos. “É uma falácia dizer que o Fundeb é dinheiro do governo federal”, afirmou Marconi na reunião. Pelo estudo apresentado, Goiás repassou, em 2016, R$ 2,7 bilhão para o governo federal e recebeu de volta R$ 1,9 bilhão. A diferença, de R$ 867 milhões, foi inteiramente redistribuída aos municípios.
“A União faz a intermediação de um dinheiro que não é dela”, enfatizou Marconi. A ideia é defender que o Ministério da Educação (MEC) garanta contrapartidas do governo federal para serem aplicadas no fortalecimento do Ensino Infantil em Goiás.
Participaram da plenária do GMCI, o vice-governador José Eliton, os secretários Raquel Teixeira (Educação), Joaquim Mesquita (Gestão e Planejamento), Luiz Maronezi (SED), os prefeitos Gustavo Mendanha (Aparecida de Goiânia), Roberto do Órion (Anápolis), Hildo do Candango (Águas Lindas), Sônia Chaves (Novo Gama), Pabio Mossoró (Valparaíso), Jânio Darrot (Trindade), Cristóvão Tormin (Luziânia), os presidentes da Associação Goiana de Município (AGM), Cleudes Baré, e da Federação Goiana de Municípios (FGM), Haroldo Naves, além dos secretários municipais de Educação de Goiânia, Marcelo Ferreira da Costa de Souza, e de Rio Verde, Miguel Rodrigues Ribeiro.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Educação

Câmpus do IFG Anápolis tem nova diretora eleita

30/11/2017

A Comissão Eleitoral Central publicou no final da noite desta quarta-feira, 29, o resultado preliminar da eleição para dir...

Associação Educativa Evangélica celebra os 500 anos da Reforma Protestante

03/11/2017

Serão necessários mais 500 anos para que as futuras gerações tenham a noção da importância da celebração realizada n...

Saúde na Escola atende a quase 40 mil estudantes

20/10/2017

A Prefeitura de Anápolis, em parceria com o Governo Federal, está desenvolvendo o Programa de Saúde na Escola (PSE), um co...

Oficinas gratuitas oferecidas no programa Semana Cidadã

06/10/2017

A 1ª edição da Semana Cidadã, uma parceria entre a UniEVANGÉLICA e a Prefeitura Municipal de Anápolis, através da Secr...