(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Médicos da instituição fazem missão à Angola

Geral Comentários 18 de agosto de 2017

Destino foi a cidade de Lubango, que conta com quase 1 milhão de habitantes


Entre os dias 08 e 18 de julho, professores de Medicina do Centro Universitário de Anápolis – UniEVANGÉLICA passaram por uma experiência, que segundo eles foi “inesquecível”. Eles saíram de Anápolis com destino a Lubango, cidade de aproximadamente um milhão de habitantes, no sudoeste da África.
A viagem, proporcionada e idealizada pela coordenação de assuntos humanitários do NAI, teve escalas em Guarulhos, onde os professores participaram de uma reunião com médicos missionários, da Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP. Eles passaram também por Luanda, capital da Angola, onde tiveram um encontro com representantes da Aliança Evangélica da Angola.
Participaram da viagem o professor de pediatria, Dr. Afonso Henrique Teixeira Issa, a preceptora de cirurgia geral, Dra. Louinne Issa Teixeira, e a professora de habilidades de comunicação, Dra. Priscila Álvares Usevicius. “O professor Rocindes Correia fez todo o cronograma de ações, preparou hospedagem e traslado para mais de uma dezena de agenda que tivemos na semana. Ficou unânime entre nós a gratidão pelo cuidado do UniMISSÕES com os detalhes logísticos da viagem. Também ficamos felizes de ver a responsabilidade social da UniEVANGÉLICA, trazendo para nós uma oportunidade de contribuir com um país em reconstrução como é a Angola”, disse o Dr. Afonso.
A viagem teve entre seus objetivos o treinamento e capacitação de pessoas; assistência médica; articulação institucional – reuniões para estudos de possíveis parcerias; confraternização com irmãos angolanos e apoio aos missionários em campos transculturais.
“O impacto em nossas vidas foi tão grande que nos colocamos à disposição do Centro Universitário para projetos de longo prazo que possam exigir mudança de país, levando a família para um tempo de serviço a esta nação irmã. Enfim, estar na Angola é ser desafiado a não ficar alheio aos desafios deles. Estar em contato com a realidade do país que possui, segundo dados recentes da OMS, a maior mortalidade infantil do mundo, é poder repartir todo conhecimento e vida que temos com eles”.
“Como profissionais, foi uma oportunidade maravilhosa para realizarmos um trabalho em equipe não somente entre nós, mas com os angolanos que deixaram-nos aprender a trabalhar em lugares com recursos limitados e considerar a cultura local para buscar uma comunicação mais efetiva”, concluiu Dr. Afonso.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Secretaria de Cultura tem inscrição para ciclo de oficinas

10/01/2019

O aperfeiçoamento técnico e artístico na sétima arte é um dos focos do Anápolis Festival de Cinema (AFC). As inscriçõ...

Havan registra R$ 7 bilhões de faturamento em 2018

10/01/2019

O grupo Havan comemora os excelentes resultados obtidos em 2018. As 120 lojas (uma delas em Anápolis), juntas, somaram um fa...

Especialista dá dicas para comprar bem e economizar

10/01/2019

Para quem tem filhos, um dos maiores gastos do início do ano, sem dúvida, é o material escolar. A situação pode ficar ai...

Aprovada lei que exige identificação biométrica nos estádios em Goiás

10/01/2019

O Governador Ronaldo Caiado (DEM) sancionou sua primeira lei e a primeira do ano de 2019, no último dia 03, quinta-feira. Ap...