(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Marconi quer reunião de urgência com ministra Presidente do STF

Segurança Comentários 05 de janeiro de 2018

Governador afirma que Estado gastou R$ 3 bi em segurança em 2017 e recebeu, da União, menos de 1% do investimento


O governador Marconi Perillo solicitou à presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, o agendamento, em caráter de emergência, de reunião com os governadores e o ministro da Justiça, Torquato Jardim, para a discussão de medidas para a crise do sistema prisional brasileiro. Marconi telefonou para Cármen Lúcia para discutir e avaliar a crise nas unidades de detenção do País. A presidente do STF afirmou que marcará rapidamente o encontro.
Marconi também solicitou reunião da presidente com os chefes dos três poderes em Goiás — Executivo, Legislativo e Judiciário, o procurador-geral de Justiça, Benedito Torres, e da defensora pública-geral, Lúcia Silva Gomes. “Conversei com a Ministra Carmen Lúcia no início da noite sobre a crise no sistema prisional brasileiro. Tivemos diálogo respeitoso e colaborativo, por telefone, e a ministra Carmen Lúcia me disse que agendará rapidamente as duas reuniões”, relatou o governador, após a conversa.
O governador Marconi Perillo disse que está propondo um debate um nacional com o Ministro da Justiça, Torquato Jardim, sobre Segurança e o sistema de execução penal. “No dia e hora que ele desejar. Vou provar de onde parte o desleixo”, afirmou, acrescentando que o governo do Estado investiu R$ 3 bilhões na área em 2017, enquanto a União repassou a Goiás apenas R$ 30 milhões. “É muito pouco, representa apenas 1% de todo o nosso investimento”, observou.
Para ele, o maior problema no sistema prisional, disparado, são os crimes resultantes do tráfico e contrabando de armas. “E estes são de responsabilidade Federal, mas quem arca com o ônus são os governos estaduais”, afirmou, acrescentando que Goiás fez um grande trabalho com a criação dos Comandos Operacionais de Divisa, que estão espalhados por todas as divisas goianas e nos últimos três anos apreendeu mais de 60 toneladas em drogas.
Essa argumentação do governador se sustenta nas estatísticas nacionalmente divulgadas e conhecidas de que 80% dos crimes cometidos hoje em todo o Brasil têm origem no tráfico de drogas e que é ele também o responsável pela formação dos grupos organizados de bandidos, como o Primeiro Comando da Capital (PCC) e o Comando Vermelho
Em vídeo publicado no Facebook na tarde desta quarta-feira, o governador Marconi Perillo detalhou as medidas que o Governo de Goiás tomou para melhorar o sistema prisional depois da rebelião no Complexo de Aparecida de Goiânia, na segunda-feira, e chamou atenção mais uma vez para a omissão do governo federal em assuntos relacionados à Segurança Pública.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Segurança

População já recebe alertas de desastres

19/01/2018

Goiás já recebe, desde a última segunda-feira,15, avisos por SMS (mensagens de celular) em caso de desastres naturais. É ...

Sequestro virtual vitima casal de idosos e extorque R$ 41 mil

19/01/2018

Policiais civis do Grupo Antissequestro da Deic (Delegacia Estadual de Investigações Criminais) localizaram n última segun...

Terceira Regional apresenta o balanço das atividades em 2017

12/01/2018

A 3ª Delegacia Regional da Polícia Civil de Anápolis, atualmente sob o comando da Delegada Aline Vilela, apresenta a estat...

Jornal CONTEXTO e Polícia Civil se unem em campanha contra o crime

12/01/2018

A campanha “Anápolis contra o crime”, uma parceria entre a Polícia Civil do Estado de Goiás e o Jornal CONTEXTO, será...