(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Marconi pede ajuda federal para municípios afetados pelas chuvas

Geral Comentários 13 de janeiro de 2012

Governador incluiu Anápolis entre os municípios que necessitam de recursos extras para a realização de obras emergenciais


O governador Marconi Perillo, na companhia de prefeitos das cidades afetadas por cheias provocadas pelas chuvas, se reuniu na última quarta-feira11, com o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, para solicitar ajuda financeira para a recuperação dos locais afetados pelas inundações e obras preventivas. Participaram da reunião os prefeitos de Luziânia, Célio Silveira; de Goiás, Márcio Caiado; de Porangatu, José Osvaldo, e de Itumbiara, José Gomes da Rocha. O governador pediu ajuda ainda aos municípios de Palmeiras de Goiás, Goiânia e Anápolis, que também foram afetados por enchentes e necessitam de recursos extras para a realização de obras de emergência.
A Defesa Civil de Goiás calcula em R$ 31 milhões os recursos imediatos necessários para atender às obras urgentes dos municípios. Fernando Bezerra pediu aos prefeitos que apresentem um minucioso relatório dos problemas causados pelas chuvas em suas cidades e prometeu que os recursos serão liberados imediatamente após a apreciação desses relatórios. “O ministro, mais uma vez, foi bastante atencioso com as reivindicações de Goiás e vai nos ajudar neste momento difícil para as comunidades dessas sete cidades”, comentou o governador.
Paralelamente a esse processo, o governador Marconi Perillo determinou atenção especial da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros para socorrer as cidades afetadas. Para atender às famílias que perderam suas casas ou foram removidas de áreas de risco, o governador determinou a liberação imediata de cheque-moradia para reforma e construção de novas residências. Também solicitou à Agetop que socorra os prefeitos que tiveram problemas com queda de pontes ou deslizamentos em estradas vicinais e estaduais.

Celg
Ainda em Brasília, Marconi Perillo se encontrou com o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, e diretores da Eletrobrás, para reafirmar os compromissos dos dois governos em investir, até 2015, R$ 1,2 bilhão no que é chamada hoje de “Nova Celg”. O ministro e a diretoria da Eletrobrás garantiram que os recursos serão investidos dentro do cronograma que está sendo elaborado para atender às necessidades da empresa na extensão de novas linhas de transmissão e construção de novas subestações.
Durante o encontro, ficou acordado ainda que a “Nova Celg” terá uma diretoria provisória, com mandato de dois meses, a quem caberá a tarefa de indicar os futuros componentes da nova administração da empresa. A Eletrobrás terá 51% da “Nova Celg”, o mesmo percentual que a estatal utilizará como parâmetro para as futuras negociações com outras empresas do setor elétrico. “Esta negociação servirá de modelo para outros acordos entre a Eletrobrás e empresas estatais de energia. A próxima deverá ser a do Amapá. Também com eles a Eletrobrás negocia uma participação majoritária”, comentou o governador.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Cartões do Renda Cidadã estão no radar do MPF

20/04/2018

O Ministério Público Federal em Goiás (MPF/GO), por meio de sua Procuradoria Regional Eleitoral (PRE), instaurou, na últi...

Memorial resgata parte da história do classismo e da economia local

20/04/2018

Um acontecimento casual levou à descoberta de um acervo importante para o resgate da história da Associação Comercial e I...

Mãe se diz punida, apenas, pelo seu inconformismo

20/04/2018

Desde a morte do filho, Paulo Gabriel Lopes Tonetto, ocorrida em novembro de 2014, quando o mesmo contava, então, com 24 ano...

PRF se engaja em campanha “Eu sou do bem, Eu sou de Deus”

20/04/2018

Na manhã da última quarta-feira, 18, mais um passo importante foi dado para tornar nacionalmente difundida a campanha “Eu...