(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Marconi defende novo modelo de gestão para a Celg

Política Comentários 29 de agosto de 2010

Tucano manifestou preocupação com os destinos da estatal e defendeu, caso seja eleito, uma gestão feita por quadros técnicos e que a empresa honrará todos os compromissos


O candidato do PSDB ao Governo de Goiás, senador Marconi Perillo, defendeu, durante o encontro com lideranças do setor produtivo goiano, promovido pela Federação das Associações Comerciais, Industriais e Agropecuárias do Estado de Goiás (Facieg), no último dia 24, que a Celg deve ter um modelo baseado em uma gestão “absolutamente técnica”.
O senador/candidato se reuniu, recentemente, com representantes da Agência Nacional de Energia Elétrica para discutir o problema da Empresa que, na sua avaliação, “é um caso sério”. Segundo informou, a Aneel não pretende abrir o processo de caducidade até as eleições. O que significa afastar o risco de perda da concessão por causa da inadimplência. Marconi observou que a CPI da Assembleia Legislativa apurou 11 problemas referentes à Celg e que o maior deles foi a venda da Usina de Cachoeira Dourada. Essa operação, disse, teria sido responsável por 65% do desequilíbrio financeiro da empresa.
Marconi comprometeu-se, caso seja eleito Governador, que irá destinar a primeira parcela do empréstimo exclusivamente a pagar encargos intrassetoriais da Empresa. Além disso, destacou que pretende fazer a escolha de técnicos graduados para gerirem a Celg em sua nova fase, após o saneamento. Inclusive, sinalizou que poderão ser solicitados quadros da Eletrobrás e da Aneel, para essa gestão técnica. Ainda em relação ao empréstimo, afirmou que o valor de R$ 1,2 bilhão será utilizado integralmente para quitar as contas e que, se for necessário, “vamos vender parte das ações até completar o pagamento da divida”, pontuou.
Também, durante o encontro na Facieg, Marconi Perillo adiantou alguns pontos de seu plano de governo. Dentre eles, citou a proposta de ampliar a qualificação de mão-de-obra. “Vamos usar cem escolas, que já existem, voltadas para qualificação de trabalhadores, identificar nas regiões onde há exigência de mão-de-obra qualificada, e adequar essas escolas já existentes para que esse cursos sejam ministrados com professores e monitores adequados”. Também adiantou que, uma vez eleito, pretende firmar parcerias com instituições educacionais que se interessem em vender serviços para o Estado, de acordo com as necessidades de cada região.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Política

Câmara Municipal vai homenagear o ex-prefeito Pedro Sahium

22/03/2019

A Câmara Municipal aprovou, na sessão ordinária da última terça-feira, 19, a concessão do Título de Cidadão Beneméri...

Lideranças vão a Caiado para “destravarem” projetos de Anápolis

22/03/2019

Nesta sexta-feira, 22, será entregue ao Governador Ronaldo Caiado um documento elaborado em conjunto entre a Associação Co...

Projeto visa tornar todos os assentos especiais

22/03/2019

Está em tramitação no Legislativo Anapolino, um Projeto de Lei Ordinária, de autoria do vereador Wederson Lopes (PSC...

Prefeito e Administração aparecem bem avaliados em pesquisa de TV

15/03/2019

A TV Record está exibindo em sua programação, uma pesquisa encomendada junto à empresa Real Big Data, avaliando a perform...