(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Marconi comemora bom desempenho da economia goiana

Economia Comentários 03 de maro de 2012

O chefe do Executivo goiano apresentou um balanço das atividades do Fundo Constitucional Centro-Oeste e anunciou avanço no projeto do trem pequi


O governador Marconi Perillo comemorou os números recordes que a economia de Goiás alcançou em 2011. Durante a solenidade de divulgação do relatório de atividades do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) relativo a 2011, realizada no Palácio das Esmeraldas, em Goiânia, o chefe do Executivo goiano afirmou que o Estado está tendo um desempenho em sua economia acima da expectativa, demonstrando que as ações de governo estão no rumo certo.
Em relação ao FCO, as contratações de Goiás cresceram 30,41% em relação a 2010 e representaram 37% do total contratado pelos três estados do Centro-Oeste e pelo DF, que compõem o fundo, sem falar que foi o Estado que teve a menor taxa de inadimplência (1,27%). Em setembro de 2010, todo o recurso inicialmente destinado a Goiás, ou seja, R$ 1,3 bilhão, já havia sido aplicado. Ao final do ano, foram fechados contratos que totalizaram mais de R$ 2 bilhões.
De acordo com dados passados pelo governador, o Estado de Goiás teve, no ano passado, um crescimento industrial de 6,3%, o segundo maior do País, ficando atrás apenas de Espírito Santo. Marconi destacou também que esse crescimento foi, proporcionalmente, 20 vezes maior que o experimentado pelo Estado de São Paulo. O Governo tinha uma meta de alcançar, até o final de 2011, R$ 10 bilhões de investimentos privados no Estado e a meta foi alcançada em outubro. Uma outra meta ambiciosa, de acordo com Marconi, era chegar ao final de 2012 a R$ 100 bilhões de PIB. E, já no ano passado, o Estado chegou a R$ 102,5 bilhões.
Marconi aproveitou o encontro com empresários, secretários estaduais, representantes do Banco do Brasil e do Governo Federal para pedir apoio para que Goiás consiga atrair, ainda mais, investimentos privados e que consiga também ter plataforma no Porto de Itaqui, no Maranhão. “Eu queria fazer um acordo com o superintendente da Sudeco, Marcelo Dourado, pedindo que ele nos ajude a trazer, por meio dos contatos da Sudeco, pelo menos R$ 5 bilhões de investimentos para Goiás este ano. Quero também pedir a Vossa Excelência apoio para que Goiás possa ter a sua plataforma lá no porto de Itaqui, o que irá nos ajudar nas nossas exportações e importações.”
O governador anunciou, durante o evento, que o Termo de Referência do VLT entre Brasília e Luziânia será assinado na próxima semana e que, com a composição do Fundo de Desenvolvimento do Centro-Oeste (FDCO), Goiás terá recursos para a construção do Trem Pequi e, principalmente, para combater as desigualdades regionais, focando no desenvolvimento do Entorno de Brasília e do Norte e Nordeste do Estado.
“O VLT vai ser uma revolução para a região. Imagine uma ferrovia que está praticamente subutilizada, apenas com uma ou duas viagens por dia para transporte de carga, sendo utilizada para o transporte de passageiros, levando pessoas de Luziânia e região para Brasília em 50 minutos. Eu tenho conversado também com Marcelo Dourado sobre o Trem Pequi, a ferrovia que vai ligar Goiânia a Brasília. Nós temos um plano para essa ferrovia e de certa forma combinados com o governador do Distrito Fedral, Agnelo Queiroz, que os recursos que forem disponibilizados do FDCO para Goiás e para o DF seriam colocados na construção da ferrovia de passageiros entre Goiânia e Brasília. Isso mudaria definitivamente a nossa região. Com uma boa equipe, com um bom entrosamento entre instituições privadas e públicos e um excelente entrosamento com o Governo Federal, Goiás será transformado em uma das maiores potências brasileiras.”, afirmou.
O superintendente da Sudeco, Marcelo Dourado, representando o Governo Federal no evento, reafirmou que o FCO, comparativamente a todos os fundos existentes no Brasil, bateu todos os recordes, com mais de 30,4% de crescimento, graças à força produtiva do Centro-Oeste. E que Goiás, neste cenário, bateu “o recorde dos recordes”, ultrapassando 37% de aplicação dos recursos totais do FCO, em 2011. “A economia do Estado de Goiás está em franca ascensão. O FCO é uma caixa d´água cheia de água. A gente enche e Goiás bebe tanto que é preciso colocar cada vez mais água. A sede por recursos é muito grande”, ilustrou.
Chamando a atenção de todos para a necessidade da construção de ferrovias para o escoamento da produção e para o transporte de passageiros, Marcelo Dourado ressaltou que o Fundo de Desenvolvimento do Centro-Oeste (FDCO), criado pelo Governo Federal para implantação de grandes obras de infraestrutura e logística no Centro-Oeste, deve disponibilizar R$ 1,4 bilhão para os Estados da região já este ano. (Fonte: Goiás Agora)

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

CDL diz que vendas tendem a reagir

14/09/2017

Com um índice inferior ao registrado no conjunto dos municípios goianos, as vendas no comércio varejista de Anápolis caí...

Corrente de comércio supera US$ 1,2 bi

08/09/2017

Dados divulgados pelo Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior apontam que o volume de importações e...

Produção de 2017 daria para alimentar goianos por 13 anos

08/09/2017

Em 2017, a produção agrícola de Goiás alcançou 22 milhões de toneladas. Esta produção seria suficiente para alimentar...

Casa do ex-prefeito Anapolino de Faria está sendo restaurada

18/08/2017

Projetada por um dos mais importantes e conhecidos arquitetos do Brasil, Oscar Niemeyer, a casa do ex-prefeito Anapolino de F...