(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Mantidas alíquotas reduzidas para automóveis e indústria moveleira

Economia Comentários 14 de agosto de 2014

Medida contribuirá para melhor desempenho dos setores no segundo semestre


O Imposto sobre produtos industrializados - IPI reduzido para os automóveis será mantido até o fim deste ano, anunciou, esta semana, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, depois de reunir-se com representantes do setor automotivo. O ministro observou que foi firmado o compromisso de manter o emprego dos trabalhadores da indústria e disse acreditar que a medida vai contribuir para aumentar as vendas de veículos.Com a decisão, os automóveis de, até, 1.000 cilindradas e utilitários permanecem com a alíquota de 3%, os de até 2.000 (flex), de 9% e, 2.000 (gasolina), 10%. A renúncia fiscal estimada é de R$ 800 milhões entre julho e dezembro, somando R$ 1,6 bilhão no ano.
O presidente da Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores - ANFAVEA, Luiz Moan, disse, após o encontro, que a expectativa é de que o comportamento do setor no segundo semestre deverá ser melhor do que o do primeiro, com a manutenção da alíquota reduzida. “O objetivo é o de contribuir para o ritmo de crescimento de nossas vendas”, afirmou.Sobre o compromisso de manutenção de empregos, Moan afirmou que o setor vem mantendo o quadro e que os desligamentos ocorridos fazem parte de um programa de demissão voluntária, voltado para trabalhadores que estão prestes a se aposentar.

Supermercados e móveis
O Ministro Mantega se reuniu, também, com representantes do setor de varejo, de supermercados e da indústria moveleira e observou que recebeu indicadores positivos da Associação Brasileira de Supermercados. Entre eles, o fato de que 35 itens que representam 80% do faturamento desse segmento tiveram, em média, variação de preço de 4,2% em doze meses, abaixo, portanto do IPCA. “É um indicador positivo, que ajuda a reconstituir o poder de compra dos consumidores”.O ministro, também, lembrou que nesses setores o segundo semestre tem sido sempre melhor do que no primeiro, reconheceu ainda que há uma oferta menor de crédito, mas que a inadimplência encontra-se em patamar mais baixo do que nos últimos tempos.
O prognóstico do ministro é de melhora dos índices de confiança. “O sucesso da Copa ajudou a influenciar a confiança, a mudança de humor. Alguns analistas achavam que seria um fracasso e está sendo um sucesso”. Ainda foram mantidas inalteradas, até 31 de dezembro de 2014 as alíquotas de IPI vigentes para a indústria moveleira. A renúncia fiscal estimada para o período de julho a dezembro é de R$ 161,6 milhões. O setor emprega 300 mil trabalhadores diretamente e, considerando atividades associadas e empregos também indiretos o número chega a cinco milhões de pessoas.A medida atinge diretamente os segmentos de móveis, revestimentos, painéis e luminárias.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Inadimplência das micro e pequenas cresce no Brasil

16/02/2018

Em dezembro/2017 o número de micro e pequenas empresas inadimplentes chegou a 4,937 milhões, de acordo com estudo da Serasa...

Inadimplência no comércio varejista tem acréscimo de 16,85% em janeiro

15/02/2018

A inadimplência nas vendas a crediário e com cheques pré-datados no comércio varejista aumentou 16,85%, conforme revela a...

Ministro das Cidades prestigia celebração dos 82 anos da ACIA

09/02/2018

A Associação Comercial e Industrial de Anápolis comemorou, na última quarta-feira, 07, o aniversário de 82 anos de funda...

Contribuintes municipais terão ano fiscal com mais alívio no bolso

01/02/2018

O contribuinte anapolino deve ter um pouco mais de dinheiro no bolso este ano. A secretaria municipal da Fazenda está finali...