(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Mamografia: Exame deve ser feito a partir dos 40 anos

Saúde Comentários 09 de outubro de 2015

Pesquisa realizada por cientistas britânicos mostrou que iniciar o rastreamento nessa idade reduz em 12% o risco de morrer por câncer de mama


ulheres saudáveis que começaram a fazer a mamografia anualmente a partir dos 40 anos tiveram 12% de redução no risco de morrer por câncer de mama. É o que diz um estudo publicado recentemente na revista científica The Lancet.


A pesquisa, realizada por cientistas britânicos, avaliou dados epidemiológicos de 160.000 mulheres da Grã-Bretanha. Destas, 53.883 (grupo de intervenção) começaram a fazer o exame anualmente, a partir dos 40 anos. As outras 106.953 (grupo de controle) receberam a indicação padrão, ou seja, fizeram sua primeira mamografia aos 50 anos e repetiram o exame a cada três anos. Durante o estudo, foram registradas as ocorrências de câncer e as estatísticas de sobrevivência.


Após 17 anos de acompanhamento, os resultados mostraram que menos mulheres do grupo de intervenção morreram de câncer de mama em comparação com as do grupo de controle. As pacientes que fizeram a mamografia a partir dos 40 anos tiveram uma redução de 12% no risco de morte. Nos primeiros 10 anos de acompanhamento, essa redução foi ainda maior: 25%, em comparação com o grupo de controle.


Na Grã-Bretanha, onde o estudo foi realizado, a recomendação é que o monitoramento comece aos 50 anos, e seja refeito a cada três anos, devido a uma associação entre a doença e os efeitos da menopausa. Já no Brasil, a recomendação padrão do Instituto Nacional do Câncer (Inca) é que as brasileiras realizem a mamografia também a partir dos 50 anos, porém que o repitam com uma periodicidade de dois anos. Começar a realizar o exame na faixa etária entre 40 e 49 anos é indicado somente em casos de risco aumentado ou de exame clínico alterado.


Entretanto, Fernando Maluf, oncologista e diretor do Instituto Vencer o Câncer e chefe do Centro Oncológico Antônio Ermírio de Moraes, da Beneficência Portuguesa de São Paulo, afirma que as diretrizes atuais são heterogêneas. "Muitos centros no mundo e inclusive no Brasil sugerem que o exame seja realizado a partir dos 40 anos. Essa revisão britânica comprova isso.", afirma.


"Este estudo mostrou que, para cada 1400 mulheres que fazem mamografia anualmente a partir dos 40 anos, uma morte é evitada. Estes resultados podem mudar a recomendação de vários lugares, incluindo do Inca já que essas mulheres terão uma diminuição do risco de morte por câncer, caso comecem essa avaliação mais precocemente", diz o oncologista.


 

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Saúde

Nova força-tarefa para combater a dengue, zika e chikungunya

16/11/2017

Durante solenidade realizada no Teatro Municipal, na última terça-feira,14, o Prefeito Roberto Naves reuniu dezenas de repr...

Dengue - Redução de casos economiza R$ 3,6 mi

09/11/2017

Com a chegada do período chuvoso, a Prefeitura de Anápolis volta a intensificar os cuidados com a dengue, chikungunya e zik...

Anápolis vai sediar campanha para doação de medula óssea

03/11/2017

Jovens e mães, Eva e Karise são duas amigas que enfrentam o mesmo problema: a leucemia. Eva Araújo, ex-servidora da Prefei...

Anápolis tem alta incidência de sífilis

20/10/2017

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou o Boletim Epidemiológico da Sífilis, publicação técnica da Coordenação Estad...