(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Mãe busca resposta para morte do filho de 24 anos

Violência Comentários 20 de fevereiro de 2015

Circunstâncias do crime, que ocorreu em Cocalzinho de Goiás, ainda são um mistério para a Polícia


Uma mãe em busca de resposta para a morte precoce de um filho. Este é o drama de Elza Maria Parreira Lopes Tonetto. O filho dela, Paulo Gabriel Lopes Tonetto, de 24 anos, veio a óbito em circunstâncias que ainda são objeto de investigação da polícia. O caso ocorreu no dia 28 de novembro do ano passado. O jovem, segundo Elza Maria, estava em um evento da Escola de Filosofia Nova Acrópole, numa fazenda localizada próxima do povoado de Girassol - Município de Cocalzinho de Goiás.
De acordo com Elza Maria, no laudo que apontou a morte de seu filho consta que ele foi vitimado por dois disparos - na mão e no olho direito. E, teria recebido assistência na hora, na tentativa de reanimá-lo. Depois, foi encaminhado para atendimento em Cocalzinho, onde faleceu no dia seguinte.
A mãe de Paulo Gabriel disse que espera, ansiosa, por informações sobre o caso e que não tem tido esta oportunidade. Ela acrescentou que não tem dinheiro para pagar um advogado e que espera a chegada de uma sobrinha que mora em São Paulo para ajudar a acompanhar o caso.
O delegado de Cocalzinho de Goiás, Adriano Pereira Melo, informou ao CONTEXTO, por telefone, que tem procurado, na medida do possível, prestar informações a Elza Maria. Porém, disse que não pode ficar todo o tempo disponível e que, alguns questionamentos feitos por ela, fogem do objeto da investigação.
O delegado declarou que espera concluir o inquérito em 30 dias e ressaltou que se trata de um caso “complexo e bastante difícil”. Ainda assim, disse, está sendo feito um trabalho minucioso, com o objetivo de dar a melhor resposta possível, sobre o que ocorreu, à família da vítima.
Procurada pela reportagem, a Nova Acrópole afirmou: “Lamentamos profundamente o acidente ocorrido, mas tendo em vista orientações expressas pelas autoridades responsáveis pelo caso, buscando o bom andamento das investigações, que estão na sua fase final, não iremos nos pronunciar neste momento”.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Violência

Operação conjunta prende suspeitos de homicídios

10/08/2017

Operações realizadas pelo Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) da Polícia Civil, de Anápolis e Luziânia, cumprir...

O que mudou 11 anos depois de aprovada a Lei “Maria da Penha

03/08/2017

Embora se admita que o sexo feminino tenha experimentado mais poderes na última década, a Lei Maria da Penha, que completar...

Índice de mortes violentas ainda assusta a população anapolina

28/07/2017

A aparente tranquilidade que vinha sendo registrada no que diz respeito aos crimes contra a vida, em Anápolis, foi interromp...

Vereador do PSDB alerta sobre onda de assaltos em farmácias

06/07/2017

Os proprietários e funcionários de farmácias de Anápolis vivem com medo com a frequência de assaltos nos estabelecimento...