(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Lula e Alcides assinam contrato de R$ 3,7 bi para salvar a Celg

Geral Comentários 15 de outubro de 2010

Com empréstimo, empresa vai pagar dívidas e poderá, novamente, reajustar a tarifa de serviços nas contas dos consumidores que estava congelada desde 2006


O governador Alcides Rodrigues assinou na última quarta-feira,13, em Brasília, o contrato referente à liberação de R$ 3,7 bilhões junto à Caixa Econômica Federal para o pagamento de dívidas da Celg. Participaram da solenidade o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ministro da Fazenda, Guito Mantega, o ministro de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, o secretário da Fazenda, Célio Campos e o presidente da Celg, Carlos Silva.
O dinheiro é importante para a retomada da adimplência, valorização da empresa no mercado de ações e o pagamento do ICMS devido ao Governo do Estado, aproximadamente R$ 40 milhões por mês. A dívida total da Celg gira em torno de R$ 6 bilhões. Um segundo contrato concede à companhia cerca de R$ 700 milhões, que serão utilizados para pagamento de ICMS devido aos municípios goianos.
Do montante a ser liberado, cerca de R$ 1,7 bilhão serão usados para quitar dívidas do Governo do Estado com a Celg, e os R$ 2 bilhões restantes vão fortalecer o capital da distribuidora de energia elétrica. Com o pagamento das dívidas vencidas a Celg poderá reajustar a tarifa cobrada do consumidor, congelada desde 2006, o que deve gerar um fluxo de caixa da ordem de R$ 15 milhões mensais, dinheiro que vai financiar novos investimentos para a ampliação e melhoria dos serviços prestados à comunidade.
Com a negociação 6% das ações da empresa serão repassadas à Eletrobrás, que fará aporte de capital da ordem de R$ 140 milhões e terá representantes no quadro administrativo da companhia.

Pagamento
O Governo de Goiás terá 20 anos para quitar o empréstimo de R$ 3,7 bilhões, com dois anos de carência para o pagamento da primeira parcela, a juros de 0,8% ao ano mais Taxa de Juros de Longo Prazo - TJLP. Já o empréstimo de R$ 700 milhões, que deve ser liberado ainda este mês, será quitado em janeiro com recursos da segunda parcela do empréstimo. Os repasses serão feitos em três parcelas. Em novembro (R$ 1,2 milhão); janeiro de 2011 (R$ 1,5 bilhão) e em janeiro de 2012 (R$ 1,028 bilhão).

Investimentos
A adimplência vai representar também acesso a financiamentos dos recursos do programas Luz para Todos e Baixa Renda, algo em torno de R$ 250 milhões mensais. Atualmente o Tesouro Estadual vem bancando as despesas com os programas que não estão recebendo o repasse da União devido a inadimplência.
No ano passado a Celg investiu R$ 214 milhões de reais na ampliação e manutenção dos serviços prestados à comunidade; captou R$ 120 milhões em empréstimos bancários e pagou R$ 520 milhões de financiamentos. Segundo Carlos Silva, apesar da dívida da empresa, que hoje está na casa dos R$ 6 bilhões, a Celg tem um ponto positivo, o alto fluxo de caixa.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Adoção de selo eletrônico é adiada

22/06/2017

A Secretaria da Fazenda informa que a obrigatoriedade de uso do Selo Fiscal Eletrônico para as embalagens descartáveis de ...

Jovem anapolino abre portas para o difícil universo das fragrâncias

15/06/2017

O jovem anapolino Helder Machado Owner é um exemplo de que o empreendedorismo não tem barreiras. A primeira coisa para aven...

Subseção da OAB entrega Moção a juíza de Anápolis

09/06/2017

A juíza titular da 2ª Vara de Família e Sucessões da comarca de Anápolis, Aline Vieira Tomás, recebeu, na segunda-feira...

Controle da folha de pagamento é um desafio para a Prefeitura

02/06/2017

Dentro do que preconiza a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), o Prefeito Roberto Naves e a equipe econômica apresentaram, ...