(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Lideranças contestam nomeação de novo delegado

Segurança Comentários 24 de junho de 2011

Antes mesmo de tomar posse, o novo titular da Terceira Regional de Polícia Civil já tem a rejeição de setores organizados e da própria instituição


O que parecia ser uma atividade de rotina está causando grande polêmica em Anápolis. A nomeação do novo titular da Terceira Regional de Polícia Civil, delegado Carlos Roberto Teixeira, para substituir ao delegado Jerônimo Rodrigues, que se afastou do cargo, mobilizou diversos setores comunitários que se mostram contrários à indicação. O ato do Secretário de Segurança Pública, João Furtado de Mendonça Neto encontrou resistências dentro da própria Polícia Civil, assim como de alguns setores da política, inclusive da base de sustentação do Governador Marconi Perillo e de representantes classistas.
No dia 20, segunda-feira, uma comitiva de Anápolis foi ao Gabinete do Secretário demonstrar a insatisfação com o ato administrativo, sob a alegação de que a comunidade gostaria de ver um delegado de Anápolis no comando da Terceira Regional. O grupo chegou, inclusive, a apresentar uma lista tríplice para a ocupação do cargo. Surpreso, o titular da Segurança Pública pediu um tempo para rever o assunto. Enquanto isso, o delegado nomeado, Carlos Roberto Teixeira, está em gozo de férias, atitude tomada assim que saiu a portaria o designando para Anápolis. Por hora, o delegado Fernando Sakuraba vem respondendo pela Terceira Regional.
Rejeição
Integrante da comissão que visitou o Secretário em Goiânia, o deputado estadual Carlos Antônio (PSC) se disse contrariado por dois motivos especiais. O primeiro deles, pela atitude do delegado que decidiu sair de férias antes mesmo de assumir o novo posto. “Ele não levou em conta a importância do cargo nem a importância da cidade”, disse o parlamentar. O outro ponto descrito pelo deputado é de que, realmente, em Anápolis existem vários nomes à altura de desempenhar a tarefa. Além do mais, nos bastidores, percebe-se, com facilidade, o grau de insatisfação, não só de delegados, como, também, de agentes e outros profissionais da Polícia Civil em Anápolis ante à nomeação feita.
Também comunga desta ideia o Presidente da Associação Comercial e Industrial de Anápolis, Wilson de Oliveira, que esteve presente no encontro com o Secretário João Furtado. Segundo o empresário, a Cidade, “por sua importância logística e pelo fato de contar com excelentes profissionais na Polícia Civil, pode, perfeitamente, indicar um nome para comandar o policiamento civil na região”. Oliveira declarou que não existe nada de pessoal contra o delegado Carlos Roberto, mas pelas circunstâncias apontadas, não seria, mesmo, a melhor opção.
A comitiva de Anápolis contou, ainda, com a participação do Presidente da Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil, Antônio Heli de Oliveira, da advogada Andréia Oliveira e de outros membros. Na oportunidade, o Secretário de Segurança ponderou que há total interesse do Governo em atender às reivindicações e solicitou um prazo até o dia 30, quinta-feira, para que o problema seja revisto. Ressalte-se que, recentemente, João Furtado de Mendonça esteve em Anápolis, se avistando com lideranças locais, na busca de soluções para vários problemas, dentre eles, a falta de espaço físico para o funcionamento de delegacias especializadas, falta de delegados, além de outras carências da segurança no Município.
Nomes
Para o encontro com o Secretário, a comitiva de Anápolis levou em mãos os nomes de três delegados que atuam no Município, como sugestões para a indicação para o comando da Terceira Regional. Um deles é o do delegado Fernando Sakuraba, com vasta experiência e que já ocupou várias distritais ao longo de muitos anos em Anápolis. Outro nome sugerido foi o do delegado Gleysson Resende Reis, atualmente no comando do Terceiro Distrito Policial. Gleysson, além de policial, é professor em uma faculdade de Direito em Anápolis e tem experiência de vários anos na função. O terceiro nome foi o do titular do GENARC (Grupo de Combate ao Narcotráfico), delegado Luiz Teixeira. Igualmente, ele tem experiência acumulada como policial e como político, já tendo sido deputado estadual e prefeito na cidade de Niquelândia. E, durante os debates, um quarto nome surgiu como opção: o do delegado Fábio Vilela, titular da Delegacia de Homicídios em Anápolis. Mas, a definição somente vai ocorrer após o prazo solicitado pelo Secretário. Até lá, o assunto ainda promete render muito.

Autor(a): Nilton Pereira

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Segurança

Comitiva do Ministério da Ciência e Tecnologia visita a ALA 2

12/10/2017

Na última terça-feira,11, uma comitiva do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) visitou...

Implantação do Polo de Defesa poderá ter linha de crédito federal

12/10/2017

Resultado da reunião ocorrida na última terça-feira, 10, com o ministro da Defesa, Raul Jungmann, o projeto de implantaç...

Fugas expõem fragilidade na segurança da Cadeia Pública

06/10/2017

No domingo, primeiro de outubro, quatro presos conseguiram escapar do Centro de Inserção Social “Monsenhor Luiz Ilc” ap...

ALA 2 começa a se preparar para receber os primeiros caças Gripen

08/09/2017

Denominada de Base Aérea de Anápolis até dezembro do ano passado e, a partir de então, de ALA 2, a unidade local da Forç...