(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Juiz defende que criminoso indenize a sua vítima

Geral Comentários 09 de dezembro de 2016

Magistrado assegura que muitos criminosos têm recursos que podem atenuar sofrimentos


O Juiz Mateus Milhomem de Souza, titular do Primeiro Juizado Especial da Comarca de Anápolis diz ser favorável a que o autor de crime contra a pessoa (homicídio, latrocínio, tentativa, lesões corporais, etc.) faça o ressarcimento, ou, a indenização à vítima e/ou à sua família, como forma de reparar o dano. De acordo com o Magistrado, “todo crime resulta em repercussões cíveis e enseja pena corpórea e pena de multa”, o que, em sua opinião, cabe, perfeitamente, o pagamento pecuniário pelo dano.
Conforme defende o Juiz Mateus Milhomem, o autor de um crime pode ser obrigado a proceder a indenização social e a indenização à vítima direta, dentre as quais, as custas do processo Ele assegura que muitos criminosos têm recursos suficientes para esse reparo. “Se não dispuser de reservas, a justiça pode, muito bem, requerer direitos que ele porventura venha a possuir, incluindo-se, até, o saldo do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS)”, desde que se respeite um limite para este saque. O Juiz disse que há mecanismo para isso, inclusive a possibilidade de se retirar parte do Auxilio Reclusão, percebido por alguns sentenciados. Entende o Magistrado que uma retirada de, até, 35 por cento do que o sentenciado dispõe, seria razoável. Mateus Milhomem de Souza afirmou que já há entendimentos e mecanismo que pacificam esta tese, inclusive decisões de mérito, ou seja, penalidades já aplicadas. Concluiu que “dívida de crime não é dívida comum e pode ser cobrada, tanto do autor, quanto de sua família, caso a situação assim o defina”.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Força-tarefa para agilizar fila de processos parados

18/05/2017

Imagine que você tenha terreno e recursos para iniciar uma obra, mas esteja impedido de dar prosseguimento por conta da falt...

Força-tarefa para agilizar fila de processos parados

18/05/2017

Imagine que você tenha terreno e recursos para iniciar uma obra, mas esteja impedido de dar prosseguimento por conta da falt...

Convênios públicos têm nova regulamentação

11/05/2017

A Câmara Municipal realizou audiência pública nesta quinta-feira,11, em conjunto com a Prefeitura de Anápolis, para trata...

Corpo encontrado em lago é de empresário anapolino

04/05/2017

Na noite desta quinta-feira, 04, informação colhida pelo Jornal “A Voz de Anápolis”, junto a um irmão de Edmar Almeid...