(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Jornal CONTEXTO e Polícia Civil se unem em campanha contra o crime

Segurança Comentários 12 de janeiro de 2018

A campanha “Anápolis contra o crime” vai ganhar as ruas, visando aproximar a polícia do cidadão


A campanha “Anápolis contra o crime”, uma parceria entre a Polícia Civil do Estado de Goiás e o Jornal CONTEXTO, será reeditada neste ano de 2018. Os detalhes para a segunda edição da iniciativa foram discutidos no final da tarde da última terça-feira, 09, durante reunião entre o Delegado Geral da Polícia Civil em Goiás, Álvaro Cássio e o jornalista Vander Lúcio Barbosa, Diretor do CONTEXTO.
O objetivo da campanha, segundo Álvaro Cássio, é promover uma maior interação entre a comunidade anapolina e a Polícia Civil. Interação esta que, segundo ele, é de fundamental importância para reforçar o trabalho de prevenção e combate à criminalidade no Município. “Quero uma Polícia Civil mais cidadã e mais próxima da sociedade”, frisou o Delegado, destacando que, novamente, será dada ênfase aos canais de comunicação da corporação com a sociedade, como o telefone 197, para denúncias anônimas e WhatsApp: (62) 8581-8197. Além disso, informou que o site da Polícia Civil vem, desde o início de sua gestão, sofrendo reformulações com o objetivo de ampliar o acesso às informações e acolhimento de denúncias. Uma das ferramentas, que deverá ser melhorada, é o canal de comunicação com o próprio Delegado Geral.
De acordo com Vander Lúcio Barbosa, a campanha não terá um foco único como, por exemplo, a questão dos homicídios, que é uma grande preocupação, tanto da Polícia, como da sociedade, mas alcançará outros temas importantes como a violência doméstica, o problema das drogas, a violência contra os idosos e os deficientes. “Será uma campanha ampla e muito objetiva, para conscientizar a população de que ela deve ser parceira em busca de uma melhor segurança para Anápolis”, ressaltou o Jornalista.
A campanha será composta por peças publicitárias (outdoors), além de outros materiais e canais de divulgação como o próprio Jornal e as emissoras de rádio. A intenção, destacam Vander Lúcio e Álvaro Cássio, é que outros parceiros como o Rotary Clube, a OAB e outras instituições e, mesmo, empresas e empresários, possam contribuir e participar dessa campanha, a fim de que a mesma seja ampliada e, em consequência, tenha um alcance ainda maior.

Balanço da SSP-GO mostra redução em vários tipos de ocorrências criminais
O Delegado Geral da Polícia Civil, Álvaro Cássio, em entrevista ao Jornal CONTEXTO, disse que a campanha “Anápolis contra o crime” e uma série de outras ações da corporação no Município, fizeram com que as estatísticas da criminalidade registrassem um quadro diferente. “De 2015 para 2016, já havíamos tido uma boa produtividade. Achávamos que seria difícil, mas conseguimos que 2017 fosse, ainda, melhor do que 2016, nos indicadores da criminalidade”, comemorou.
No comparativo entre janeiro e novembro de 2017, com o mesmo período do ano anterior (2016), de acordo com Álvaro Cássio, no Município de Anápolis, em 12 tipos de ocorrência, só houve aumento nos casos de furto a transeuntes. Nas demais, houve queda: homicídios (-3,8%); estupros (-41,94%); tentativas de homicídio (-12,5%); latrocínios (-14,29%); roubo a transeuntes (-27,58%); roubo de veículos (-24,83%); roubos em comércios (-61,54%); roubos em residências (-22,03); furtos de veículos (-12,52%); furtos em comércios (-11,26%) e furtos em residências (-1,93%).
Conforme ressaltou Álvaro Cássio, os números apontam que a produtividade da Polícia Civil vem melhorando cada vez mais, devido a uma série de fatores. Ele citou que, em sua gestão à frente da Diretoria Geral, foi implementada uma política permanente de valorização dos delegados, escrivães, agentes e demais servidores da corporação, inclusive, com entrega de premiação à produtividade de delegacia e de servidores, trabalho este que iniciou, ainda, quando esteve à frente da 3ª Regional da Polícia Civil, sediada em Anápolis, com cobertura em mais 21 municípios. Além disso, citou que a Academia da Polícia Civil, hoje, é uma das mais bem estruturadas do País.
“Entregamos kits com camisetas e distintivos para os nossos policiais, temos investido na formação e valorização dos nossos quadros e aperfeiçoando o serviço de inteligência. Tivemos a aprovação, na Assembleia Legislativa, da proposta que permite o reaproveitamento de policiais que se aposentaram nos últimos cinco anos. Vamos ter, em breve, mais um concurso com 100 vagas para delegados e 550 vagas para agentes e escrivães”, elencou Álvaro Cássio, completando que, ao lado de todas essas ações, a Polícia Civil de Goiás tem atuado em plena sintonia com as demais forças de segurança: Polícia Militar; Polícia Rodoviária Estadual; Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e, também, em sintonia com a sociedade organizada. “Unimos a Polícia Civil e devolvemos aos nossos policiais o orgulho de servir e de vestir a camisa da nossa corporação. Este, talvez, seja meu maior mérito como gestor da Polícia Civil”, enfatizou o Delegado Geral.
Especializadas
Ainda no balanço, Álvaro Cássio destacou a criação do Grupo Especial de Combate aos Crimes contra o Patrimônio (Gepatri), em Anápolis, e que veio reforçar o trabalho desenvolvido pela Delegacia Estadual de Furtos e Roubos de Cargas. O que resultou numa redução de cerca de 42% das ocorrências de furtos e roubos de cargas em Goiás, com 38 cargas recuperadas, evitando-se um prejuízo estimado em R$ 25 milhões. No final do ano, a Assembleia Legislativa aprovou mensagem criando mais seis delegacias especializadas, dentre elas, a Delegacia Especializada no Atendimento à Pessoa com Deficiência de Anápolis (DEAPD), que existia de fato, mas não de direito, ou seja, não estava legalizada. Esta mesma especializada foi aprovada para Goiânia e Aparecida de Goiânia. Além destas, a Delegacia Especializada no Atendimento à Pessoa com Deficiência de Aparecida de Goiânia (DEAPD), a Delegacia de Repressão a Crimes Cibernéticos (DERCC) e a Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Rurais (DERCR). Esta última funcionava como um grupo e, devido ao trabalho de referência que, inclusive, foi objetivo de uma matéria no programa Fantástico, da Rede Globo, agora funcionará como delegacia e deverá expandir seu trabalho.
Citando, ainda, alguns números para reforçar o trabalho desenvolvido pela Polícia Civil em 2017, no período de janeiro a novembro as delegacias regionais realizaram 3.868 operações; as especializadas mais 881 operações, totalizando 4.749 operações. 557 armas foram apreendidas. Foram efetuadas mais de 7,3 mil prisões, ao mesmo tempo em que 88% de resolutividade nos inquéritos.
“Foi um ano difícil, mas com bons resultados e é isso que os cidadãos esperam. A Polícia Civil não é dos delegados, dos agentes, dos escrivães. A Polícia Civil é da sociedade”, arrematou Álvaro Cássio.

Autor(a): Claudius Brito

Clique aqui para ler a página em formato PDF


Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Segurança

População já recebe alertas de desastres

19/01/2018

Goiás já recebe, desde a última segunda-feira,15, avisos por SMS (mensagens de celular) em caso de desastres naturais. É ...

Sequestro virtual vitima casal de idosos e extorque R$ 41 mil

19/01/2018

Policiais civis do Grupo Antissequestro da Deic (Delegacia Estadual de Investigações Criminais) localizaram n última segun...

Terceira Regional apresenta o balanço das atividades em 2017

12/01/2018

A 3ª Delegacia Regional da Polícia Civil de Anápolis, atualmente sob o comando da Delegada Aline Vilela, apresenta a estat...

Jornal CONTEXTO e Polícia Civil se unem em campanha contra o crime

12/01/2018

A campanha “Anápolis contra o crime”, uma parceria entre a Polícia Civil do Estado de Goiás e o Jornal CONTEXTO, será...