(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Iris/Dilma no Entorno

Contexto Político Comentários 10 de setembro de 2010

Maior evento, até agora, na campanha da coligação Goiás Rumo ao Futuro (PMDB-PT-PC do B), o comício em Valparaíso com as presenças do presidente Lula e da presidenciável Dilma Rousseff (PT) está sendo considerado um divisor de águas para a campanha do peemedebista Iris Rezende ao Governo do Estado.


Iris/Dilma no Entorno
Maior evento, até agora, na campanha da coligação Goiás Rumo ao Futuro (PMDB-PT-PC do B), o comício em Valparaíso com as presenças do presidente Lula e da presidenciável Dilma Rousseff (PT) está sendo considerado um divisor de águas para a campanha do peemedebista Iris Rezende ao Governo do Estado.
Primeiro, porque, acredita-se na capacidade de Lula em transferir votos, como, ao que parece, tem funcionado para a sua candidata Dilma. Ao final de seu segundo mandato, Lula tem a aprovação de cerca de 80% ao seu governo, o que é um fato inédito na política brasileira e não pode ser desconsiderado. Em segundo, porque os aliados de peso dos petistas elevaram o tom das críticas ao PSDB, que tem como candidato o senador Marconi Perillo, no momento, liderando as pesquisas de intenção de votos ao Governo de Goiás.
Pelo sim pelo não, as próximas pesquisas poderão mostrar se, de fato, a eleição nacional terá alguma influência sobre o pleito regional.


Cuidado
Os candidatos anapolinos que disputam cargos na Assembleia Legislativa e na Câmara Federal, ficaram distantes do palanque do desfile de Sete de Setembro. Ninguém quis saber de encrenca com a Justiça Eleitoral.

Inovação
No desfile, o público pôde acompanhar a festa em duas arquibancadas montadas em frente à Praça Bom Jesus. De acordo com o prefeito Antônio Gomide, a ideia veio do incômodo que era as autoridades no palanque em frente e as pessoas em pé. “Fizemos para ver como ficaria e foi um sucesso”, comemorou.

Alcides Rodriques
O governador Alcides Rodrigues, sem citar nomes, comentou a manobra feita na Assembleia Legislativa para inviabilizar o texto original do acordo para sanar os problemas da Celg. Conforme disse, essa manobra quase inviabilizou o empréstimo de R$ 3,7 bilhões junto à Caixa Econômica. Os problemas, segundo ele, já estariam agora contornados para que haja a liberação da verba.

Conta
O Governo do Estado já solicitou à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), um aumento nas tarifas de energia, que estão congeladas desde 2006, devido à situação de inadimplência da Celg. Com o pagamento das dívidas, os reajustes poderão ser novamente autorizados e a pedida foi de 38,24%. Sobrou para quem...?

Crítica I
O Presidente Lula, ao participar da campanha de Iris Rezende em Valparaíso, endereçou ataques ao PSDB goiano, de mudar o projeto para a concessão de empréstimo à Celg. Foi um recado direto ao candidato do PSDB, Marconi Perillo.

Resposta I
O tucano Marconi Perillo, em comício em Goiânia, se defendeu lembrando que a proposta foi aprovada na Assembleia Legislativa, com votos de deputados do PMDB e de outros partidos da base do governador Alcides Rodrigues.

Crítica II
No discurso em Valparaíso, Lula também fez críticas endereçadas aos tucanos de Goiás, por terem votado contra a CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira), cujos recursos deveriam ser aplicados na saúde.

Resposta II
O candidato do PSDB, Marconi Perillo, afirmou que votou e votaria novamente contra a CPMF, “com a certeza de estar votando a favor do povo brasileiro”, disse, acrescentando que o voto contrário foi para proteger o bolso da população que, segundo ele, sofre com a elevada carga tributária do País.

História
Um fato histórico na Câmara Municipal: pela primeira vez, numa única legislatura, há três mulheres exercendo a vereança. E, este ano, outra peculiaridade: as três estão disputando eleições: Dinamélia Rabelo (PT) e Gina Tronconi (PPS) concorrem a uma vaga na Assembleia Legislativa e Miriam Garcia (PSDB), concorre a um cargo na Câmara Federal.

Rubens Otoni
O deputado federal Rubens Otoni (PT), candidato à reeleição para o cargo, foi surpreendido na última semana, por uma prática ultrapassada: a distribuição de panfletos apócrifos (sem identificação do autor). O material fartamente jogado nas ruas de Anápolis, inclusive, provocando poluição visual, denigre a imagem do candidato acusando-o de enriquecimento ilícito, mas desprovido de qualquer comprovação.

Solidariedade
A questão dos panfletos teve imediata repercussão na Câmara Municipal. A vereadora do PSDB, Miriam Garcia, que é candidata também ao cargo de deputada federal, lamentou o episódio, classificando-o como um retrocesso. O vereador Amilton Batista (PTB), disse que o parlamentar tem larga folha de serviços prestados para Anápolis e não merecia tal tratamento. Já o vereador Domingos de Paula, que é candidato pelo PTB à Câmara Federal, destacou que foi um ataque injustificável e que, infelizmente, baixa o nível da campanha. A mesma opinião foi manifestada pelos vereadores Mauro Severiano (PDT), Wesley Silva (PMDB) e Carlos Antônio (PSC).

Amarelinhos I
O vereador Wesley Silva (PMDB) fez críticas contundentes à ação dos agentes de trânsito que, segundo ele, estariam utilizando as suas prerrogativas para fortalecer a “indústria da multa”, ao invés de exercerem o papel de orientadores que, em sua opinião, deveria ser prioritário. O vereador Carlos Antônio (PSC) pontuou que, caso as afirmações do seu colega sejam verdadeiras, a Câmara Municipal poderia tomar providências mais enérgicas para apurar possíveis casos de abusos de autoridade. O vereador Amilton Batista (PTB) lembrou que não se trata de um fato novo e disse: “quando falei sobre isso, tive mais quatro multas”.

Amarelinhos II
Ninguém questiona a importância dos agentes de trânsito, que cumprem uma missão fundamental: organizar o tumultuado trânsito de Anápolis. Há condutores de veículos que, realmente, abusam, estacionando carros e motos nas calçadas, em locais destinados a portadores de deficiência e, muita gente falando ao celular dirigindo. Agora, obviamente, o bom senso é que haja bom senso em alguns casos e, principalmente, bom trato e boa educação, de ambas as partes.

Arrombados
Fatos, no mínimo, estranhos, têm ocorrido na Câmara Municipal. Mais precisamente, nos gabinetes dos vereadores Domingos de Paula (PTB) e Gina Tronconi (PPS), que foram arrombados duas vezes. A última foi recente e fez com que o corregedor da Casa, o vereador Cabo Jacinto, buscasse apoio da polícia para averiguar a ação dos “amigos do alheio” que insistem em visitar os gabinetes dos edis.

Roriz
O ministro Carlos Ayres Britto, do Supremo Tribunal Federal (STF), julgou improcedente pedido feito pela defesa de Joaquim Roriz contra decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que manteve o indeferimento do registro de candidatura do político, que concorre ao cargo de Governador do Distrito Federal. Mas, Roriz ainda pode ingressar com novo recurso, para que a matéria seja analisada pelo plenário do STF.

Social
O candidato a governador pela Coligação Goiás no Rumo Certo, Vanderlan Cardoso (PR) defende que os programas sociais do governo que, atualmente, estão sendo administrados por diferentes pastas (Secretaria de Cidadania, OVG e Secretaria de Ciência e Tecnologia). Segundo ele, essa unificação diminuiria a burocracia para o acesso aos programas e, ao mesmo tempo, economizaria verbas para reaplicação nos mesmos. Ele também defende que haja uma política estimulando a abertura de portas de saída dos programas sociais, para que as famílias não fiquem indefinidamente dependentes dos benefícios.

“É grave se [a violação de sigilo] for por questão política e é gravíssimo se não for, porque milhares de pessoas tiveram seus sigilos violados.” (Marina Silva, candidata à Presidência da República pelo PV)

"A Polícia Federal deveria ouvir muita gente, deveria ouvir o Secretario da Receita, deveria ouvir os dirigentes da campanha da Dilma, deveria ouvir muita gente.” (José Serra, candidato à Presidente da República pelo PSDB)

“Eu não entendo as razões que levam o candidato da oposição a levantar contra a minha campanha uma acusação tão leviana, uma acusação que não tem provas, nem fundamento.” (Dilma Rousseff, candidata à Presidência da República pelo PT)

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Contexto Político

Clique na imagem para ver a coluna - Ed.634

10/08/2017

Contexto Político...

Clique na imagem para ver a coluna - Ed.633

03/08/2017

Contexto Político...

Clique na imagem para ver a coluna - Ed.632

28/07/2017

Contexto Político...

Clique na imagem para ver a coluna - Ed.631

20/07/2017

Contexto Político...