(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Investimentos privados em Goiás podem chegar a R$ 34 bi até 2017

Economia Comentários 29 de maio de 2014

Estudo realizado pelo Instituto Mauro Borges destaca que os setores mineral, de transporte e logística e sucroenergético deverão concentrar os maiores montantes


Os investimentos privados em Goiás devem atingir um volume de, aproximadamente, R$ 34,7 bilhões, até o ano de 2017. É o que revela a Pesquisa de Intenção de Investimentos no Estado de Goiás, realizada pelo Instituto Mauro Borges (IMB), órgão ligado à secretaria estadual de Gestão e Planejamento. No total, há a expectativa de que se viabilizem 1.280 projetos empresariais, nos mais diversos segmentos da economia goiana. O que, se concretizando, resultaria na geração de 83,7 mil novos postos de trabalho.
Segundo a pesquisa do IMB, do total de investimentos previstos para Goiás até 2017, cerca de R$ 8,39 bilhões (24,2%) devem contemplar atividades ligadas ao setor de Mineração e Beneficiamento; R$ 6,32 bilhões (18,2%), o segmento Transporte e Logística; R$ 6,04 bilhões (17,4%), a atividade Sucroenergética; R$ 3,77 bilhões (10,9%), a Indústria de Alimentos e Bebidas e R$ 3,45 bilhões (9,9%), devem ser direcionados ao setor da indústria Metal-Mecânica. Estas quatro atividades, somadas, totalizam 80,6% das intenções de investimento.
A atividade Mineral e Beneficiamento, que aparece em destaque na pesquisa, conta com 35 projetos de implantação e expansão de plantas produtivas. Um dos projetos importantes trata-se da mineradora Anglo American, em Catalão, que anunciou o aporte de US$ 1,35 bilhão para aumentar a produção de nióbio e fosfato. Será US$ 1 bilhão para dobrar a produção de fosfato, a partir do segundo semestre deste ano, e US$ 350 milhões para aumentar a produção de nióbio. Outro importante projeto é a implantação de uma indústria para a exploração de jazida de terras raras - conjunto de elementos químicos utilizados em diversas indústrias - previsto para o município de Minaçu, localizado na região Norte do Estado. O investimento deve ser de, até, R$ 1,2 bilhão, pela Mineração Serra Verde, empresa do Grupo Mining Ventures Brasil (MVB).

Logística
O Instituto Mauro Borges constatou que, no setor de Transporte e Logística, são esperados 85 projetos envolvendo investimentos de, aproximadamente, R$ 6,31 bilhões. Um dos projetos refere-se à Plataforma Logística Multimodal de Goiás, sediada em Anápolis. “A Plataforma Logística, relacionada com o Distrito Agro Industrial e o Porto Seco (Estação Aduaneira de Interior) e com a adequação do Aeroporto Civil de Anápolis para um terminal de cargas, formatará um nó estratégico de distribuição de bens e serviços com abrangências nacional e internacional”, enfatiza o IMB.
O terceiro setor com maior participação no total de investimentos previstos é o Sucroenergético que apresentou, nesta pesquisa, 20 projetos, sendo cinco de implantação e 15 de ampliação, totalizando investimentos previstos de R$ 6,04 bilhões. Se comparado às pesquisas anteriores, este setor, de há muito, já não mostra a euforia e a explosão verificadas a partir de 2007. Em meados de 2009, a Pesquisa apontou que pelo menos 88 novas usinas seriam implantadas em Goiás, com investimento na casa dos R$ 19 bilhões, representando 62% de toda a intenção de investimento produtivo para o Estado. “De lá para cá, com a crise ocorrida no setor, esses números se reduziram drasticamente. A manutenção do preço da gasolina, combustível que concorre diretamente com o etanol e a falta de uma política adequada para o setor, inviabilizaram o sonho de o etanol avançar cada vez mais na matriz energética do País, desestimularam o setor e fizeram com que vários projetos de implantação de novas unidades industriais fossem adiados ou, simplesmente, cancelados”, deduz a pesquisa.
Outro setor de destaque na pesquisa de intenção de investimentos é o da Indústria de Alimentos e Bebidas. A GSA-Gamas Sucos e Alimentos assinou, no ano passado, protocolo de intenções para a ampliação e modernização da fábrica de Aparecida de Goiânia, na qual estão sendo investidos R$ 34,7 milhões. A nova fábrica irá produzir 400 pacotes de macarrão instantâneo por minuto.
Com 9,9% do total de investimentos a serem aplicados em Goiás está a indústria Metal-Mecânica, representando um montante de R$ 3,45 bilhões. O aumento registrado na procura por colheitadeiras de cana e pulverizadores no País levou a John Deere a investir, aproximadamente, US$ 40 milhões na expansão da sua fábrica em Catalão. A conclusão da expansão se dará no início de 2015 e proporcionará um incremento na capacidade de produção da fábrica em 30%. Do montante de R$ 34,7 bilhões previstos em investimentos no Estado, 18,7% estão localizados na região Metropolitana de Goiânia, influenciado pelo projeto do Veículo Leve sobre Trilho (VLT) e a construção do novo terminal de embarque do Aeroporto “Santa Genoveva” em Goiânia.

Regiões
O estudo do IMB mapeou as regiões de planejamento aonde irão se concentrar os volumes mais expressivos dos investimentos e concluiu que a maior parte deverá ficar na região do Sudeste Goiano, com cerca de 14% do total dos investimentos previstos. A seguir, as regiões do Centro Goiano (13,9%) - onde está Anápolis; Sul Goiano (12,9%); e Sudoeste Goiano (7,9%).
As demais regiões totalizam 19,6% do montante previsto. De acordo com o Instituto, em torno de 13,5% referem-se a projetos que permeiam vários municípios goianos ou ainda não possuam lugar definido para sua implantação.

Metodologia da Pesquisa
A metodologia utilizada pelo Instituto Mauro Borges para levantar as intenções de investimentos no Estado de Goiás consistiu na coleta de informações primárias dos prováveis projetos a serem implantados nos setores industriais e de serviços, divulgadas pelos principais meios de comunicação. O levantamento desses dados, também, é obtido junto à Secretaria de Indústria e Comércio, através dos projetos econômico-financeiros entregues a ela para o requerimento de incentivos do programa PRODUZIR, bem como dados do Censo Produzir/Fomentar; ao Fundo Constitucional do Centro-Oeste, através da aprovação das Cartas consultas e à Goiás Fomento.
Após a verificação dos dados coletados e a confirmação das empresas a serem implantadas e expandidas no Estado, verificou-se a existência de dupla contagem dos dados. Depois de consolidados, os dados foram apresentados sob a forma de tabelas e gráficos contendo o volume e a participação dos investimentos por atividade, por Região de Planejamento e quantitativo de projetos e empregos a serem gerados. (Com informações do Instituto Mauro Borges (IMB)Secretaria Estadual de Gestão e Planejamento)

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Ministério Público quer implantar nova tecnologia para monitorar os preços dos combustíveis

21/09/2017

O projeto MP de Olho na Bomba, desenvolvido pelo Ministério Público de Goiás em parceria com o governo estadual com o obje...

Preços dos combustíveis variam até mais de 36% nos postos

21/09/2017

O Procon de Anápolis realizou, entre os dias 12 e 14 de setembro, pesquisa para aferir a variação de preços dos combustí...

Balança comercial registra o 44º superávit consecutivo

21/09/2017

O secretário de Desenvolvimento (SED), Francisco Pontes comemorou na última quarta-feira, 13, o resultado da balança comer...

Anápolis é a cidade do Estado com mais vagas de emprego

21/09/2017

O Sistema Nacional de Emprego é uma instituição criada pelo Governo Federal, com objetivo de promover a interação entre ...