(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Indústria e serviços puxam crescimento da economia

Economia Comentários 28 de maio de 2010

Conforme dados da Secretaria de Planejamento, o segmento da indústria foi o que maior apresentou crescimento na arrecadação do ICMS. Entre 2007 e 2009, houve incremento de 78,8%


A notícia de que o Governo do Estado adquiriu uma área de 42 alqueires para ampliar o parque industrial de Anápolis, demonstra que este setor vai indo muito bem. Mas não é só a indústria que tem dado bons resultados para os indicadores econômicos do Município. O comércio atacadista e o segmento de prestação de serviços, também, têm sinalizado uma considerável espiral de crescimento nos últimos três anos, conforme balanço sobre a arrecadação de ICMS divulgado pela Superintendência de Estatística, Pesquisa e Informação, órgão ligado à Secretaria Estadual de Planejamento e Desenvolvimento.
O maior avanço na arrecadação do Imposto sobre Comercialização de Mercadorias e Serviços, entre 2007 e 2009, foi o da indústria, que registrou um crescimento de 78,83%, vindo, a seguir, o setor de prestação de serviços, com crescimento de 52,03% e o comércio atacadista, com índice de 40,53%, ambos para o período, também, entre 2007 e 2009. O comércio varejista acumulou alta de 19,7%. Em contrapartida, a arrecadação de ICMS sobre a produção agropecuária, no período avaliado, teve um decréscimo de 42,6%.
Em valores nominais, a arrecadação do ICMS na indústria anapolina fechou em R$ 138,6 milhões em 2007. Em 2008, ano da crise mundial, esta arrecadação ficou em R$ 179,5 milhões e, no ano passado, fechou em R$ 248 milhões. No segmento de prestação de serviços, a evolução na arrecadação do ICMS foi a seguinte: 2007, R$ 8,9 milhões; 2008, R$ 11 milhões e, 2009, 13,5 milhões. No setor atacadista, os resultados foram: 2007, R$ 77,7 milhões; 2008, R$ 91,5 milhões e 2009, R$ 109,4. Já o segmento varejista teve as seguintes arrecadações: 2007, R$ 35,6 milhões; 2008, R$ 42,6 milhões e 2009, R$ 49,1 milhões.
Os dados mostram, no geral, uma escala crescente da arrecadação do ICMS, no Município, em todo o período de 1999 a 2009, com um crescimento acumulado de 293%. Só para se ter uma ideia, o ICMS arrecadado em 1999, foi de R$ 108,8 milhões e, no ano passado, bateu à casa de R$ 427,7 milhões.
A concentração da riqueza, medida pelo Produto Interno Bruto, mostra um quadro semelhante. Em 1999, o PIB de Anápolis ficou em R$ 1,5 bilhão. E, em 2007, último dado consolidado, fechou em R$ 4,6 bilhões. O PIB per capita, que seria uma média da distribuição da riqueza entre a população/ano, pulou de R$ 6.012,49 para R$ 14.379,78 em 2007. Isso significa que a média de renda, em 1999 era de R$ 501,04 passando para 1.198,31 em 2007. Portanto, havendo ai uma desconcentração significativa da renda, com uma média de crescimento em torno de 15% ao ano.
RAIS
Dados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) que, dentre outros objetivos, coleta dados para estatísticas do trabalho, revelam que o emprego formal (com carteira assinada) no Município cresceu quase 100% entre 1999 e 2009. Segundo a estatística, em 1999 a RAIS registrou 35.641 empregos formais e, em 2008, 70.145. O rendimento médio do trabalhador, por este indicador, passou de R$ 396,24 em 1999, para R$ 1.030,57 no ano de 2008.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Município cai no ranking goiano de exportações

16/11/2017

Mais de US$ 1,4 bilhão. Este é o valor da corrente de comércio, representada pela soma das exportações e importações f...

Produto Interno Bruto de Goiás registra queda de 4,3% em 2015

16/11/2017

A economia goiana movimentou R$ 173,63 bilhões em 2015, valor R$ 8,62 bilhões acima do registrado no ano anterior (R$ 165,0...

Secretário se compromete a intermediar causas de empresários com a Companhia

09/11/2017

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Francisco Pontes, afirmou que vai intermediar um encontro para solucion...

Luta nacional transforma-se em uma “briga” caseira em Goiás

09/11/2017

O Governo de Goiás e o setor produtivo travam uma verdadeira batalha em torno do Decreto 9.075, de 23 de outubro de 2017, as...