(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Impostos atrasados rendem R$ 1 bilhão

Geral Comentários 26 de outubro de 2017

Foram muitos os débitos regularizados


A Secretaria de Estado da Fazenda de Goiás (Sefaz) recuperou, até o momento, neste ano R$ 1,06 bilhão ao regularizar débitos de ICMS, IPVA e ITCD, com pagamentos à vista e parcelados. É com o dinheiro dos impostos que governo paga o salário dos servidores públicos, mantém a estrutura administrativa de atendimento ao cidadão funcionando, paga os programas sociais, faz repasses para as prefeituras e financia obras de infraestrutura em todos os municípios goianos. Em 2014, foram recuperados R$ 650 milhões, em 2015 outros R$ 457 milhões, e em 2016, mais R$ 972 milhões.
O superintendente-executivo da Receita Estadual, Adonídio Neto Vieira Júnior, destaca que os programas de recuperação de crédito do Governo de Goiás foram “decisivos para que o Estado enfrentasse a maior crise econômica da história do Brasil”. Para isso, a Receita Estadual cria mecanismos para inibir a sonegação fiscal e, nos casos de inadimplência, notifica as empresas para a rápida regularização dos débitos ou, em última análise, executa programas de recuperação de créditos. Adonídio relatou que de 2016 para 2017 o trabalho dos auditores fiscais resultou no incremento de “30% da arrecadação” do governo.
Os auditores da Receita Estadual lavraram mais de 210 mil autos de infração em 2017, o que resultou num crédito atualizado de R$ 5,77 bilhões. “Isso demonstra a enorme sonegação e inadimplência, como também o forte combate por parte do Fisco Goiano”, disse o superintendente-executivo da Receita Estadual em entrevista ao jornal O Popular.
Ele entende, com base em critérios técnicos, que os débitos com o Tesouro Estadual constituem um “obstáculo” à atividade empresarial, que afeta a “competitividade” das empresas que, devido à inadimplência, perdem os benefícios fiscais de ICMS.
O Programa de Recuperação de Créditos da Fazenda Pública Estadual (Recuperar), por exemplo, oferece descontos nas multas, juros de mora e na correção monetária, com possibilidade de parcelamento e, neste caso, quanto menor o prazo de parcelamento, maior é o desconto, com a aprovação da Assembleia Legislativa de Goiás e do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz).

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

PROCON vê medidas para impedir os abusos nos preços

16/11/2017

A superintendente do Procon Goiás, Darlene Araújo, afirmou na última terça-feira, 14, que, em conjunto com a Delegacia do...

Dona de casa tem direito aos benefícios do INSS?

16/11/2017

A Previdência Social é o ombro amigo da população brasileira, e tem como um dos princípios a solidariedade que busca amp...

Conferência debate os rumos da saúde

16/11/2017

A 10ª Conferência Municipal de Saúde será realizada nos dias 04, 05 e 06 de dezembro próximo. Na oportunidade, serão de...

Joanápolis sedia a Festa do Milho

16/11/2017

Agregar valor à produção local e movimentar a economia. É com este objetivo que a Prefeitura, via Secretaria Municipal de...