(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Igreja completa 70 anos de existência na região

Cidade Comentários 28 de fevereiro de 2010

Em sete décadas, o trabalho evangelístico pentecostal deixou marcas profundas e perenes na história de Anápolis. Ao contrário do passado, entretanto, hoje os pentecostais convivem harmônica e pacificamente com outras denominações e outros credos religiosos, garantindo a paz social na cidade


A Igreja Assembleia de Deus está completando, este ano, 70 anos de implantação oficial em Anápolis. No Brasil ela comemora um século, no dia 18 de junho. Considerada a mais importante força da religião Evangélica no mundo inteiro, com representações em todos os continentes, sua presença é notada, não apenas no aspecto doutrinário. É que, por conta do elevado número de membros, a Assembleia de Deus é força ativa no comércio, na indústria, na prestação de serviços e, até, na política.
Tem-se como certo que, ao lado de outras denominações tradicionais ou “avivadas” a Assembleia de Deus colabora para dar a Anápolis o perfil de uma das cidades brasileiras com o maior número de cristãos evangélicos. São mais de 300 pontos de pregação, entre igrejas, congregações e templos espalhados por toda a cidade.

História
A história das igrejas Assembleia de Deus em Goiás começa com a chegada da missionária norte-americana Matilde Paulsen, em 1929, com o objetivo de pregar o Evangelho. Dois anos depois, o Estado começava a receber migrantes e trabalhadores que iriam construir a capital, Goiânia. Dentre eles, o pedreiro carioca Antônio Moreira, diácono da Assembleia de Deus de Madureira - RJ, que, tão logo chegou, solicitou aos seus superiores autorização para dirigir cultos, à noite, ali mesmo, no canteiro de obras. Depois ele escreveu ao seu pastor no Rio de Janeiro, Paulo Leivas Macalão, pedindo permissão para iniciar, oficialmente, a igreja na capital goiana. Naquela época, Antônio Moreira conheceu a missionária Matilde Paulsen, e, juntos, começaram a evangelizar, consolidando, assim, a Assembleia de Deus em Goiás.
No final de 1939, em Anápolis, José Inácio de Freitas, membro da Igreja Presbiteriana, soube das notícias dos “irmãos da Assembleia de Deus” e convidou então a estes para que viessem a Anápolis celebrar um culto em sua residência, o que aconteceu no dia 14 de janeiro de 1940.
No dia 9 de junho daquele ano, o Pastor Antônio Moreira realizou o primeiro batismo na Igreja em Anápolis, na piscina de uma chácara, emprestada pelo missionário e pioneiro do Evangelho em Anápolis, James Fanstone. No mesmo dia 9 de junho, Antônio Moreira trouxe consigo, e o designou para pastorear o pequeno rebanho, o diácono Abílio Alves, que servia na Assembleia de Deus em Goiânia.
Pensando em estabelecer a Igreja em local próprio, Antônio Moreira autoriza a José Inácio comprar o terreno na Avenida Tiradentes, 610. E em agosto daquele ano, iniciou-se a construção de um pequeno salão nos fundos da área que a igreja comprara. Em dezembro, Antônio Alves Moreira, já ordenado pastor, mudou-se para Anápolis e assumiu a direção efetiva da Igreja, presidindo-a até dezembro de 1941, quando voltou ao Rio de Janeiro, sendo substituído pelo pastor José Ludovico.
De dezembro de 1946 a novembro de 1948, a Assembleia de Deus em Anápolis esteve sob a presidência do Pastor Divino Gonçalves dos Santos, servindo como vice-presidente do Pastor Antônio Moreira, em Anápolis e Goiânia, e, em cuja gestão, foi construído o segundo templo, agora uma edificação de tijolos, maior e mais confortável.
Em março de 1957 o Ministério de Madureira designou o Pastor Antônio Alves Carneiro para presidir a Igreja em Anápolis. No final de 1960 o Pastor Carneiro (hoje falecido) apoiado pela maioria dos membros da Igreja, optou por desligar-se do Ministério de Madureira, fundando o Ministério de Anápolis, ao qual ficou pertencendo todo o patrimônio da Igreja. Tal fato resultou numa cisão entre os membros, pois alguns se recusaram a deixar o Ministério de Madureira.
Com duas vertentes, mas com a mesma proposta, a Assembleia de Deus - Anápolis foi uma das igrejas que mais cresceram na região. O Pastor Antônio Carneiro ampliou o número de templos, congregações e pontos de pregação. Nos anos 80 ele comandou a construção da Catedral na Praça da Bíblia, Jardim Bandeirantes, à época, um dos maiores templos evangélicos do Brasil. Hoje, a Assembleia de Deus - Anápolis tem como dirigente maior o Pastor José Clarimundo César e está espalhada por todo o Estado de Goiás, várias outras unidades da Federação e em muitos outros países.

Trabalho prosseguiu
Independentemente da cisão, a Igreja Assembleia de Deus - Madureira manteve sua linha e continuou crescendo e, como em 1940, seus membros voltaram a se reunir na casa de José Inácio. No início de 1962, adquiriram um lote na Avenida Tiradentes, 1299 e construíram um templo.
Em 1969, a Igreja recebe como presidente o Pastor Guilson Guilhardi, vindo da Assembleia de Deus do Setor Fama, em Goiânia que lançou o desafio de construir um templo maior. No dia 29 de maio de 1977, com a presença do presidente do Ministério de Madureira, Pastor Paulo Leivas Macalão, foi inaugurada a nova sede da Igreja em Anápolis.
Um ano depois a Convenção Nacional enviou para Anápolis o Pastor José Brandão Porto que, em 1991, iniciou-se a construção da Catedral das Assembleias de Deus - Madureira em Anápolis, obra concluída em novembro de 2002. O Pastor Brandão Porto encerrou seu ministério eclesiástico, inaugurando a catedral e solicitou a sua jubilação. A igreja então o elege seu presidente de honra. Na mesma data, elegeu como presidente o Pastor Bertiê Adais Magalhães, que já vinha servindo como 1º vice-presidente há onze anos. Em julho de 2008, a Igreja adquiriu a Rádio Imprensa de Anápolis, para ter mais um instrumento de divulgação de suas atividades.

Desdobramentos
Atualmente, indiferentes à cisão verificada nos anos 60, as igrejas Assembleias de Deus em Anápolis convivem harmonicamente. Tanto é assim, que os 70 anos de implantação na cidade, vão ser celebrados em atividades conjuntas, inclusive com os membros de uma igreja visitando a outra nos dias 5 e 6 de março, respectivamente. Os dirigentes maiores, pastores José Clarimundo César e Bertiê Adais Magalhães entendem que, “ao contrário de dividir, a igreja se multiplicou”, fazendo alusão ao crescimento que ambas as vertentes observaram.
Hoje, além dos templos, pontos de pregação e congregações, que são centenas em Anápolis e outras cidades do Estado, do País e do exterior, as Assembleias de Deus têm projetos sócio educativos, como creches, escolas seculares, seminários e outros, assim como, reúnem um “grande exército” de fiéis, composto de representantes de todos os setores da sociedade. Convém destacar, ainda, que outras ramificações com a mesma denominação de Assembleia de Deus surgiram a partir destas duas correntes e, igualmente, continuam crescendo, tanto em Anápolis, quanto em outras regiões. São igrejas com CNPJ diferente, administrações próprias, mas com a mesma proposta evangelizadora. Algumas vieram de outras regiões do País. Todavia, as maiores são, realmente, as dos ministérios de Madureira e de Anápolis.

Autor(a): Nilton Pereira

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Cidade

Cemitérios Municipais recebem obras para o feriado de Finados

20/10/2017

A Secretaria de Obras e Serviços Urbanos da Prefeitura está concluindo a limpeza e a manutenção, realizadas no Cemitério...

Iniciada a construção de calçadas em toda a Avenida Brasil Norte

20/10/2017

A Avenida Brasil ainda está em transformação. A via recebe, neste momento, intervenções que já deram um novo perfil par...

Estado vai repassar o prédio da Rodoviária para a Prefeitura

20/10/2017

O prédio do Terminal Rodoviário “Josias Moreira Braga” será incorporado ao patrimônio do Município. A transferência...

SANEAGO reconhece falhas, mas não admite a falta de água

20/10/2017

Várias ocorrências de desabastecimento de água foram registradas em Anápolis, entre quarta e quinta feiras (dias 18 e 19 ...