(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Hospital Municipal sofre com a sobrecarga de procura

Saúde Comentários 26 de maio de 2012

Unidade de Pronto Atendimento, construída com recursos do Governo Federal, deverá entrar em funcionamento no segundo semestre deste ano


O secretário municipal de Saúde, Luiz Carlos Teixeira fez, na manhã de quinta-feira, 24, a primeira visita oficial ao Hospital Municipal “Jamel Cecílio”, após assumir o cargo. Quarto gestor a ocupar a Pasta na atual administração, ele reconheceu que a unidade sofre com uma exaustiva carga de atendimentos - diariamente, são cerca de 700, sendo a maioria de urgência.
Em funcionamento há mais de 40 anos, o Hospital Municipal já passou por várias reformas. Já foi interditado pelo Ministério Público e pela Vigilância Sanitária. Hoje, ele funciona a plena carga, inclusive, contando com equipamentos mais modernos, como um aparelho de tomografia computadorizada. Entretanto, alguns problemas pontuais ainda persistem como a avaria de um equipamento de Raios-X que vem causando dificuldades aos profissionais e técnicos para a manutenção da prestação dos serviços requeridos pela população.
Durante a visita, o secretário percorreu todas as instalações do hospital e conversou com funcionários e usuários que formavam filas, sobretudo, na parte de atendimento ambulatorial e de exames médicos. O fim desse drama, de acordo com Luiz Teixeira, está próximo. Segundo ele, no final de agosto ou início de setembro próximo, deve entrar em funcionamento a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) localizada na Vila Esperança, construída em parceria com o Governo Federal.
Além disso, adiantou o secretário, o Mini-Cais Abadia Lopes da Fonseca, no Jardim Calixto, vai funcionar 24 horas, como a UPA, também absorvendo parte da demanda que sobrecarrega o Hospital Municipal. “Essa procura é elevada por que Anápolis é um pólo. Daí, recebermos pessoas de diversas localidades. Tanto é que o número de cartões do SUS emitidos no Município é o dobro do que deveria ter”, explicou. Outra providência para melhorar o atendimento ao público, destacou Luiz Teixeira, é a reforma e a ampliação de oito unidades básicas que fazem parte do programa Estratégia de Saúde da Família (antigo PSF).

Médicos
Questionado sobre o relacionamento que espera ter com a classe médica, devido a vários conflitos que pontuaram o relacionamento com a Administração, inclusive, queixas feitas pelo próprio Prefeito Antônio Gomide, o secretário ressaltou que espera ter uma convivência pacífica e produtiva. “Queremos que haja o entendimento de que os profissionais têm compromisso, não apenas com a gestão pública, com o Prefeito ou com o Secretário, mas, acima de tudo, o compromisso com a população. Vamos acompanhar o cumprimento de carga horária”, sublinhou.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Saúde

Mudanças no programa Farmácia Popular preocupam vereadores

22/06/2017

O Vereador Antônio Gomide (PT) falou na tribuna, na última segunda-feira, 19, sobre o possível fechamento da Farmácia Pop...

Município anuncia importantes reformulações na área da saúde

15/06/2017

Uma das áreas mais sensíveis da Administração, a pasta da Saúde, tem desafios que extrapolam os limites do Município. P...

Anvisa ouve reivindicações dos laboratórios goianos

15/06/2017

Anápolis recebeu, no último dia 09, a presença do médico sanitarista e epidemiologista, Jarbas Barbosa da Silva Júnior, ...

Projeto atende a quase 800 pacientes que estavam na fila

26/05/2017

Há dois anos, a auxiliar de limpeza, Lídia dos Reis, 38, sentia fortes dores de vesícula. As pedras acumuladas no órgão ...