(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Hora de prestar contas, definir orçamentos e mudar gestões

Geral Comentários 01 de janeiro de 2017

O início do ano é também a época de se fazer as assembleias nos condomínios para as devidas prestações de contas, aprovação de orçamentos e em alguns casos, as eleições para síndico e demais membros da futura gestão


As assembleias, previstas no Código Civil como Assembleias Ordinárias, devem obrigatoriamente ocorrer no primeiro trimestre do ano e nelas serão apresentadas todas as receitas e despesas ocorridas no ano que se encerra, o que as tornam excessivamente demoradas, pois essas informações devem ser detalhadas, com o direito de todos os condôminos presentes darem aquela “interrompidinha” para sanar dúvidas e todos devem ter a devida paciência e interesse, para depois não julgar que o dinheiro não foi aplicado como deveria.
Outro item tratado, também obrigatório, é a previsão orçamentária para o ano que se inicia e esse assunto é de suma importância, razão pela qual a presença dos condôminos é de enorme relevância, pois ali se definirá o valor da nova taxa condominial, a forma de rateio das despesas, descontos, previsão de obras e manutenções, além de aquisições e possíveis alterações de contratos. Enfim, o futuro do condomínio estará sendo definido, lembrando que a fixação de taxa e demais assuntos, na maior parte das convenções, permite que seja votada pela maioria simples dos presentes, ficando decisões tão relevantes, nas mãos de poucos.
Então, para que tudo possa transcorrer conforme as leis e visando beneficiar a todos democraticamente, uma boa administradora de condomínios pode auxiliar no processo, com a presidência da mesa, confecção de ata e das apresentações, com a inovação do voto eletrônico, entre outros benefícios que começam com um edital de convocação apropriado, cumprindo prazos, com redação adequada, elencando os itens que serão tratados, além das demais orientações aos moradores, lembrando que os inquilinos devem apresentar procurações para poderem votar.
A prestação de contas deve ser apresentada, se possível, em Datashow ou impressa resumidamente, para ser entregue aos participantes, para que estes tenham tempo e consigam assim, visualizar as informações transmitidas, o que garante a transparência do que está sendo apresentado, com dados claros e ainda, as pastas dos últimos doze meses colocadas sobre a mesa, para acesso daqueles que estiverem interessados em olhar mais minuciosamente. É fundamental citar o valor da inadimplência, preservando os nomes dos inadimplentes, a fim de evitar constrangimentos e possíveis ações judiciais.
Quanto à previsão orçamentária, esta não pode ser feita aleatoriamente, sem um estudo adequado do ano que se encerra, é preciso uma análise profunda para se estabelecer uma taxa fixa mensal, sequenciando as despesas ordinárias obrigatórias, mensais ou esporádicas, como mão de obra, segurança, portaria, manutenção de câmeras e equipamentos eletroeletrônicos, troca de extintores, ARTs, CERCON, limpeza de caixas d’água, pinturas e demais investimentos que mantenham o condomínio e sua estrutura caminhando contra a depreciação natural, para não haver a desvalorização do imóvel por falta de cuidados e ainda, que a taxa seja suficiente para que não falte dinheiro para realizar todos os serviços citados.
Outra forma de arrecadação das taxas condominiais, que pode ser aprovada em assembleia, é a taxa por rateio das despesas realizadas no mês anterior, a qual reflete a realidade dos gastos e possibilita uma maior compreensão por parte dos moradores na hora de pagar o boleto, entretanto, por ser uma taxa variável, pode causar questionamentos quando essa alteração de um mês para outro for muito significativa, assim, a decisão de como cobrar as taxas, será da assembleia que, saberá as vantagens e desvantagens de cada opção.
Mas, embora tudo isso pareça maçante demais e as assembleias sejam atos formais e muitas vezes com algumas situações inconvenientes, a participação dos condôminos é imprescindível, para que não haja questionamentos futuros sobre as decisões tomadas, as quais obrigam a todos, ausentes ou discordantes, por isso, as reuniões devem ser objetivas e céleres.
E neste caminho, é preciso mudar a imagem das assembleias de condomínio onde haviam discussões, vozes alteradas e moradores saindo indignados, com pouca ou nenhuma vontade de se fazer presente novamente. As assembleias podem e devem ser realizadas com harmonia e dentro de uma simplicidade, com direito a risos, brincadeiras saudáveis e opiniões divergentes sendo respeitadas. Elas devem ser momentos nos quais, os debates são saudáveis e as ideias são avaliadas com atenção, afinal são vizinhos que desejam o melhor para a coletividade e acima de tudo, desejam viver bem.
Assim, participe e leve sua gentileza para fazer parte das decisões. (Fonte: http://www.dottus.com.br)

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Lei mira a perturbação do sossego público

14/09/2017

O Prefeito Roberto Naves (PTB) encaminhou à Câmara Municipal um projeto promovendo modificações na Lei Complementar 279/2...

Aumenta demanda por atendimento

08/09/2017

Revelados nesta segunda feira (4), pela dirigente do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), Eriz...

Prazo para adesão próximo de acabar

31/08/2017

Contribuintes que estão inadimplentes com a Prefeitura de Anápolis têm até o dia 14 de setembro para quitar suas dívidas...

Ação contra Carla Santillo prescreveu

31/08/2017

A 2ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO) entendeu estar prescrita a ação em desfavor de Carl...