(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Homicídios assustam o Bairro de Lourdes

Violência Comentários 18 de dezembro de 2015

Polícia procura pistas para desvendar assassinatos praticados na região


Dois homens foram mortos em 24 horas, em locais bem próximos, no Bairro de Lourdes, região Leste de Anápolis. O setor, de acordo com relatos e estatísticas das polícias Civil e Militar, em que pese o reforço do policiamento, passou a ser considerado de alto risco, devido à incidência preocupante de crimes contra a pessoa e contra o patrimônio. Há relatos de tiroteios durante a madrugada, assim como outros tipos de intimidação. Suspeita-se que existiria uma disputa de grupos organizados por espaço, principalmente com relação ao narcotráfico.
O primeiro desses crimes ocorreu no dia 16, pouco antes da meia noite, na Avenida Araguaia, uma das mais movimentadas do Bairro. Jônatas Rezende, apelidado de “Guru”, estava em casa, na companhia da tia Patrícia, se preparando para jantar, quando alguém chegou ao portão, gritando seu apelido. Deduz-se, com isso, que os matadores o conheciam e por ele eram conhecidos, tendo em vista as características do fato.
Ao abrir o portão, Jônatas foi alvejado por, pelo menos, dois disparos. Uma bala atravessou suas costas e a outra lhe acertou o queixo. A PM foi acionada e chegou instantes depois. Uma guarnição do Corpo de Bombeiros socorreu a vítima, levando-a para o Hospital de Urgências, aonde ela já chegou sem vida. Pessoas presentes no local se esquivaram de tecer qualquer comentário a respeito do homicídio. É a tradicional “Lei do Silêncio. Ninguém sabe, ninguém viu”.
O outro crime de morte foi praticado na Avenida Bandeirantes, também na parte central do Bairro de Lourdes, pouco depois de oito e meia da noite do dia 17. A vítima foi Lindomar Pires Oliveira Carvalho, de 41 anos. De acordo com seu irmão, Lizandro Gonçalves, ele estava em um bar na citada Avenida, quando foi abordado por dois elementos que desceram de uma moto. Sem dizer qualquer palavra, um dos ocupantes da moto sacou uma arma de grosso calibre e disparou várias vezes contra Lindomar. Ele recebeu quatro tiros Depois de praticarem o assassinato, os matadores desapareceram na escuridão. O crime durou poucos minutos e, da mesma forma do outro homicídio, praticado no dia anterior, ninguém quis revelar qualquer fato que possa levar aos autores do delito.
Nos dois casos, o Grupo de Homicídios da Terceira Regional de Polícia Civil iniciou o levantamento de dados e começou a ouvir pessoas próximas das duas vítimas, assim como a vida pregressa e o histórico dos dois homens mortos. No primeiro momento não se encontrou qualquer ligação entre um crime e outro, embora esta hipótese não esteja, totalmente, afastada pelos agentes policiais. Um deles disse que, em casos como esses, qualquer indício deve ser levado em consideração e nenhuma pista pode ser descartada.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Violência

Anápolis aparece em relação das cidades mais violentas do Brasil

09/06/2017

Em 2015, a taxa de homicídios por 100 mil habitantes de Anápolis, ficou em 40,9. Somada às Mortes Violentas com Causa Inde...

Governo diz que Goiás é um dos estados com menor índice criminal

09/06/2017

Os índices de criminalidade em Goiás apresentam queda sequenciada a partir de 2016. Na comparação entre janeiro e maio de...

Judiciário quer ações práticas para reduzir criminalidade em Anápolis

02/06/2017

A busca de soluções para o crescente aumento do índice de criminalidade em Anápolis foi debatida no final da tarde da úl...

Emanuelle Muniz e Emanuelle Ferreira: passageiras da agonia

04/05/2017

Emanuelle Muniz Gomes tinha 21 anos. Era transexual. Bela; extrovertida; meiga, alegre e filha carinhosa. Apesar da pouca ida...