(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Homenagem ao centenário do poeta Jarbas de Oliveira

Cultura Comentários 30 de outubro de 2015

Falecido há cinco anos, escritor deixou uma vasta contribuição para as letras anapolinas


Aconteceu na manhã desta quinta-feira, 29, na sede da ULA, União Literária Anapolina, solenidade especial em homenagem ao centenário do escritor e poeta, Jarbas de Oliveira, falecido há cinco anos. Na oportunidade, foi servido um café da manhã aos convidados que se reuniram no plenário da entidade, onde teve lugar uma série de atividades com objetivo de lembrar a vida e a obra do homenageado.


Jarbas de Oliveira, nascido no Rio de Janeiro e radicado em Anápolis desde a década de 1950, publicou quase duas dezenas de livros entre poesia, prosa, teatro e crônicas em geral. Foi, juntamente com os poetas Paulo Nunes Batista e Laurentina Murici, um dos três fundadores da ULA. Em Anápolis teve grande atuação como jornalista e escritor, sendo reconhecido por todos como pessoa de grande inteligência e dono de um enorme grupo de amigos.


Entre as diversas pessoas que compareceram a solenidade, estavam amigos, escritores, jornalistas e parentes. Como parte da homenagem ao poeta, a entidade literária fez inaugurar o plenário da casa que, a partir de agora será denominado “Jarbas de Oliveira”.


A presidente da ULA, Natalina Fernandes, fez questão de salientar as qualidades intelectuais do homenageado lembrando sua condição de amigo, de importante escritor e de pessoa simples e despojada. O escritor e membro da ULA, David Pereira, foi escolhido para falar em nome da ULA, discorrendo sobre a trajetória da vida do poeta e comentando a respeito de suas principais produções literárias. Os filhos, Jarleo e Jeane Valverde, também, falaram sobre o pai, destacando aspectos da vida desse importante escritor que se estivesse vivo completaria 102 anos.


 


DESFILE DOS ANOS (trecho do poema do livro intitulado VERSOS)


Depois que os anos se passaram


Rápidos, aos pares, às dezenas,


Muita coisa mudou em minha vida:


O peso dos anos me dificultou os passos


E a proximidade do fim, me fez pensar melhor...


 


Teria sido inútil toda a luta


Travada na arena da existência


se eu não houvesse aprendido as lições


que me ensinaram a nobreza da humildade,


que me revigoram o espírito e a mente.


Se não houvesse sofrido assim, como sofri,


Não teria amado tanto e não teria, confesso,


Feito do amor, que inda me abrasa,


O meu grande prêmio da vida sobre a Terra.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Cultura

Divulgada a lista dos filmes que vão concorrer no 8º Festival de Cinema

20/12/2018

Com o número recorde de 249 inscrições, a 8ª edição do Anápolis Festival de Cinema (AFC) já tem os 24 filmes selecion...

Peça enfoca obsessão por atuar e dramas existenciais

13/12/2018

Um ator obcecado pela atuação em uma peça entra em confronto com os dramas de sua existência. Esse é o ponto de partida ...

Escola de Artes “Oswaldo Verano” comemora 50 anos

07/12/2018

Há 50 anos começava uma história de dedicação ao ensino artístico na cidade. Nascia a Escola de Artes Oswaldo Verano, e...

Espetáculo resgata atrizes de Hollywood em Anápolis

23/11/2018

A busca de refúgio da vida turbulenta pela fama, recomeço após frustrações na carreira ou simplesmente aproveitar as fé...