(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Homem é preso em Anápolis por estuprar netas durante anos

Violência Comentários 12 de junho de 2014

Crime foi denunciado por filha, mãe de uma das vítimas, que também sofreu abusos do pai na infância


Reviver um pesadelo. Essa deve ter sido a sensação da filha de Sebastião Rodrigues dos Santos, quando descobriu que ele violentava sua filha, assim como fazia com ela quando era criança. Ele foi preso na última terça-feira, em Anápolis. Além desta neta, ele, também, é acusado de abusar de outras netas e da afilhada.
Sebastião está preso preventivamente e será julgado pelo crime de estupro de vulnerável com pena prevista de 8 a 15 anos de reclusão. E, apesar de negar as acusações, para a Polícia, não há dúvidas sobre a autoria dos crimes.
De acordo com a titular da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente, Cynthia Christyane Alves Costa, para não ser descoberto, Sebastião ameaçava as meninas. Até que uma das netas, já farta de toda a situação, contou para a mãe. Imediatamente, a mãe que já havia passado pela mesma situação, quando criança, procurou a polícia e fez a denúncia. “A filha relata que quando ela, ainda na infância, começou a ser molestada pelo pai. Os abusos continuaram até ela atingir a idade de 14 anos, quando se casou para fugir, já que a mãe não acreditava. Ela achava que o pai já não fazia mais isso, que teria acontecido, apenas, com ela”, relatou a delegada.
Hoje, as vítimas, netas e afilhada, já são adolescentes. Mas, os estupros começaram, ainda, na infância. Segundo a delegada, esse tipo de crime, geralmente, pode demorar a ser descoberto. As vítimas, ainda na infância, não contam por medo das ameaças que o agressor faz se cumprirem. Ao crescerem e atingir certa maturidade, não o fazem por vergonha. Na maioria dos casos, os agressores são próximos às vítimas: pais; padrastos; avós; tios; vizinhos, primo, amigo, etc. Mas também, ocorrem com desconhecidos, principalmente por meio do uso da internet, o pedófilo se vale de diversos métodos para atrair as suas vítimas.

Autor(a): Wanessa Mereb

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Violência

Anápolis aparece em relação das cidades mais violentas do Brasil

09/06/2017

Em 2015, a taxa de homicídios por 100 mil habitantes de Anápolis, ficou em 40,9. Somada às Mortes Violentas com Causa Inde...

Governo diz que Goiás é um dos estados com menor índice criminal

09/06/2017

Os índices de criminalidade em Goiás apresentam queda sequenciada a partir de 2016. Na comparação entre janeiro e maio de...

Judiciário quer ações práticas para reduzir criminalidade em Anápolis

02/06/2017

A busca de soluções para o crescente aumento do índice de criminalidade em Anápolis foi debatida no final da tarde da úl...

Emanuelle Muniz e Emanuelle Ferreira: passageiras da agonia

04/05/2017

Emanuelle Muniz Gomes tinha 21 anos. Era transexual. Bela; extrovertida; meiga, alegre e filha carinhosa. Apesar da pouca ida...