(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Henrique Meirelles: Um anapolino no topo do poder nacional

Política Comentários 26 de maio de 2016

Titular do superministério que envolve Fazenda e Previdência Social, ele chama a atenção do mundo econômico


O governo (até agora) provisório do Vice-Presidente Michel Temer, que assumiu no lugar da Presidente Dilma Rousseff, afastada do poder, deu a Anápolis notoriedade nacional e internacional. É que, o comandante das políticas econômica e previdenciária, tem ligações diretas com a Cidade onde nasceu e onde, ainda, tem laços familiares. Trata-se de Henrique de Campos Meirelles (nascido em Anápolis no dia 31 de agosto de 1945), um executivo do setor financeiro brasileiro e internacional, ex-presidente do Banco Central do Brasil (de 2003 a 2011). Ele foi, ainda, Presidente do Conselho de Administração da J&F, dona do Banco Original, JBS (grupo Friboi), Vigor, entre outras empresas. Em seu currículo consta ser ele membro do Conselho de Administração da Azul - Linhas Aéreas.
Henrique Meirelles é filho de Hegesipo de Campos Meireles, ex-advogado do extinto Banco do Estado de Goiás e Diva Silva de Campos, uma estilista de vestido de noivas. Saiu de Goiás para cursar Engenharia Civil na Escola Politécnica da USP, em São Paulo, onde se formou em 1972. Em 1974, concluiu um MBA em Administração pelo Instituto Coppead da Universidade Federal do Rio de Janeiro e já naquele ano, iniciou sua carreira no BankBoston onde trabalhou por 28 anos com atuação nacional e internacional.
Ainda, de acordo com o histórico de Henrique Meirelles, em 1984, por indicação de um membro do conselho do BankBoston, ele cursou o Advanced Management Program (AMP) pela Harvard Business School, um curso que prepara executivos para assumirem presidências de grandes corporações. Meirelles, também, recebeu um título honorário de doutor pelo Byant College. Em junho do mesmo ano, com o seu retorno ao Brasil, ele foi nomeado presidente do BankBoston no País, cargo que ocupou por 12 anos. Em 1996, Meirelles mudou-se para Boston, nos Estados Unidos, e assumiu os cargos de Presidente e COO do BankBoston mundial, onde ficou até 1999. Em 2002 se aposentou e retornou ao Brasil para comprar uma franquia do MCDonalds.
Perfil de Meirelles
A juventude de Henrique Meirelles foi marcada por atuações públicas. Ele fez parte do movimento estudantil de Goiânia e liderou greves contra o preço das passagens de ônibus e de material escolar, e, influenciado por uma família de políticos - seu avô, Graciano Antônio da Silva (Coronel Sanito) foi intendente (prefeito) de Anápolis por três vezes e seu pai ocupou o cargo de secretário no Governo de Goiás por duas vezes e teve um tio (Jonas Duarte) Governador - Meirelles iniciou a partir de então sua carreira política a qual se dedicou de 2002 a 2014.
Em 2002, se candidatou a deputado federal em Goiás pelo PSDB e foi eleito com o maior número de votos no Estado - 183 mil votos. No ano seguinte, Meirelles renunciou ao cargo de deputado federal e desfiliou-se do PSDB para assumir a presidência do Banco Central do Brasil, onde ficou por oito anos. Em 2005, foi o primeiro presidente do BCB a obter formalmente o status de ministro do estado.
Em 2011, três meses após o anúncio da sua saída do comando do Banco Central e a convite da presidente Dilma Rousseff, Meirelles assumiu o cargo no Conselho Público Olímpico. A função, com mandato de quatro anos, foi de coordenar todos os investimentos para a realização dos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, com um orçamento de R$ 30 milhões. Deixou a função em 2015. Com a posse de Michel Temer como presidente interino da República, em maio de 2016, Henrique Meirelles foi nomeado Ministro da Fazenda e Previdência Social.
Gestão no Banco Central
Durante os oito anos de governo Lula (2003-2010), Meirelles foi o presidente do Banco Central do Brasil que ficou mais tempo no cargo. Sua gestão se iniciou num momento em que a economia do País estava em crise. Com inflação de 12,5% ao ano, taxa de juros real de 18,5%, reservas internacionais de US$ 38 bilhões - considerada baixa - e com o câmbio do dólar próximo a R$4,00. Segundo o IBGE, o período de gestão de Henrique Meirelles foi o que apresentou o mais longo ciclo de crescimento da história recente do País, com uma taxa de 3% ao ano por mais de 60 meses.
Ao final de sua gestão, Meirelles apresentou um crescimento no caixa do País que passou de R$ 38 bilhões para R$ 280 bilhões. Segundo especialistas, esse foi um fator primordial para que o Brasil passasse pela crise internacional de 2008 e 2009 sem maiores consequências. Henrique Meirelles foi considerado o responsável por reduzir a inflação à metade e baixar a taxa de juros ao menor patamar da história, em 2009.
Vida empresarial
Henrique Meirelles foi convidado por Joesley Batista para presidir o Conselho de Administração da J&F, a holding controladora das empresas JBS, Banco Original, sistema bancário social MMM subsidiária do Banco Zions; Vigor Alimentos; Eldorado Brasil (papel e celulose); Flora Higiene Pessoal, Floresta Agropecuária e Canal Rural assumindo o cargo em 05 de Março de 2012. A ele foi confiada a função de profissionalizar a companhia criando mecanismos de tomada de decisão mais independentes. Foi delegado a Meirelles também a responsabilidade pela expansão do negócio dentro e fora do País, através da cobrança de resultados de executivos e definição de estratégias objetivando a abertura de Capital da empresa, no futuro.
Principais títulos
Presidente do Conselho da J&F Investimentos.
Membro do Conselho da Lloyd's de Londres.
Membro do Conselho de Administração da Azul Linhas Aéreas.
Conselheiro do reitor da John F. Kennedy School of Government, de Harvard.
Conselheiro do Reitor da MIT, em Cambridge.
Conselheiro do Centro de Estudos Latino Americanos da Washington University.
Chairman da Sociedade de Revitalização da Cidade de São Paulo.
Fundador e Presidente Associação Brasileira das Empresas de Leasing.
Membro da FTI Consulting.
Presidente a Associação "Viva o Centro" que defende a revitalização da região central da cidade de São Paulo.
Presidente emérito da Associação Brasileiras de Bancos Internacionais.
Diretor da Câmara do Comércio de São Paulo.
Membro do conselho das instituições de ensino Harvard Kennedy School of Government, Sloan School of Management do MIT , Carroll School of Management do Boston College, Conservatório de Música da Nova Inglaterra e do Instituto de Arte Contemporânea de Boston.
Brasileiro do Ano na Economia - Revista Isto É.
Melhor Banqueiro Central das Américas - Revista The Banker, Londres.
Melhor Banqueiro da América Latina em 2006.
2010 - Prêmio Lide - Personalidade do Ano.
2008 - Prêmio Bravo Awards - Financista do Ano.
2008 - Prêmio Emerging Market Awards - Melhor Banqueiro Central para América Latina.

Autor(a): Nilton Pereira

Clique aqui para ler a página em formato PDF


Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Política

Vereador defende mudança no pacto federativo

08/12/2017

O vereador Leandro Ribeiro (PTB) usou a tribuna durante a sessão ordinária da última quarta-feira, 06, para defender mudan...

Prefeito pode fazer uma reforma administrativa no começo do ano

08/12/2017

O Prefeito Roberto Naves (PTB) deverá ampliar a reforma em sua equipe, a partir de janeiro próximo. É que algumas Pastas e...

Vereador busca solução sobre fechamento de ruas

30/11/2017

O vereador Leandro Ribeiro (PTB), primeiro secretário da mesa diretora da Câmara Municipal, informou na tribuna do plenári...

“Estamos cansados de esperar o Governo”, desabafa Roberto

30/11/2017

“A Cidade não aguenta mais esperar”. A afirmação é do Prefeito Roberto Naves (PTB), que não esconde mais a sua insat...