(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Guardiões do Cerrado: Em defesa do patrimônio dos goianos

Geral Comentários 02 de outubro de 2009

Entidade que começou com um pequeno grupo de idealistas, hoje tem uma brigada com cerca de 60 participantes. O foco principal é proteger a riqueza da fauna e da flora no bioma cerrado


Há cerca de quatro anos, um pequeno grupo de pessoas se uniu em torno de um ideal: proteger uma dos maiores patrimônios dos goianos: o bioma do Cerrado. Esse grupo cresceu de lá para cá e, em 2009 ganhou personalidade jurídica, como forma de respaldar e dar transparência às suas ações. Sem, é claro, modificar a essência do seu trabalho: o voluntariado e o amor à causa.
O ambientalista Nilton Horvath Pereira, é um dos pioneiros do grupo e foi eleito o primeiro presidente dos Guardiões do Cerrado. A entidade, neste início de trajetória, já conseguiu alguns feitos importantes, como ter a sua sede própria, cinco viaturas, Carroças, cavalos e cães - que são essenciais para algumas tarefas desenvolvidas pela Organização Não-governamental.
O tenente Sirismar Fernandes Silva, também um dos pioneiros, e integrante da diretoria dos Guardiões do Cerrado, ressalta que a finalidade principal da ONG é trabalhar na proteção do bioma do Cerrado, o que inclui a flora e a fauna. A principal arma é a conscientização da população sobre o que representa este bioma. “Até pouco tempo, a idéia que se tinha era de que se tratava de terras pobres. E isso, paradoxalmente, veio contribuir, de certa, forma para a sua devastação”, sublinhou.
“O que nos entristece é ver que estão acabando os cajueiros, os pequizeiros, as mangabeiras. Também causa tristeza, ver o avanço das grandes lavouras de cana de açúcar, soja, pastagens e boa parte da vegetação virando carvão para alimentar grandes siderúrgicas e a ganância capitalista”, ressaltou o tenente Sirismar, observando que os Guardiões do Cerrado atuam na fiscalização, trabalhando em parceria com os órgãos públicos governamentais, e também promovendo palestras em escolas, feiras e empresas, fazendo exposições de trabalhos sobre o Cerrado, animais empalhados e outros suportes para mostrar a importância da preservação do importante bioma.
A atuação do grupo, entretanto, foi reforçada com a criação dos brigadistas, que recebem treinamento especial e atuam em situações como salvamento e devolução de animais ao habitat natural. Hoje, a brigada dos Guardiões do Cerrado conta com cerca de 60 integrantes, que são selecionados com critério. “Nós acreditamos que a ONG vai continuar crescendo, mas temos por princípio adotar alguns critérios de seleção para nortear a escolha dos membros e brigadistas. Neste último caso, até mais exigente”, observou o tenente Sirismar. Inclusive, disse ele, para se evitar que haja qualquer tipo de exploração de cunho meramente político partidário. “Nosso foco e realmente o meio ambiente e o cerrado”, reforçou.
Além da parte educativa e de fiscalização, os Guardiões do Cerrado também têm um viveiro de mudas de plantas originais do Cerrado, criado com as sementes coletadas e que são destinadas a replantios em áreas degradadas.
Atualmente, a prioridade é atender Anápolis. Mas os Guardiões do Cerrado recebem, constantemente, convites para realizarem atividades em outras cidades goianas e de estados vizinhos como o Tocantins.

Cerrado: patrimônio nacional
O Congresso Nacional tem em sua pauta a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 115/95, que considera o Cerrado como patrimônio nacional. O Dia do Cerrado é comemorado em 11 de setembro e, naquela oportunidade, o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, participou de audiência conjunta das comissões de Legislação Participativa e de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, fazendo um apelo para que a população se mobilize visando pressionar a aprovação da matéria, que há 14 anos está em tramitação e enfrenta resistências por parte da chamada bancada ruralista.
O deputado federal Pedro Wilson (PT-GO), autor da proposta, lembrou que, além do Cerrado, a PEC também beneficia outros dois biomas importantes para o País - a Caatinga e a Mata Branca do Nordeste.
O Bioma Cerrado localiza-se, principalmente, no Planalto Central do Brasil. Ocupa 24% do território nacional, pouco mais de dois milhões de quilômetros quadrados. Segundo estudos atuais, restam 61,2% desse total, em áreas distribuídas no Planalto Central e no Nordeste.
É a segunda maior formação vegetal brasileira depois da Amazônia, e a savana tropical mais rica do mundo em biodiversidade. Além disso, o Bioma Cerrado é favorecido pela presença de diferentes paisagens e de três das maiores bacias hidrográficas da América do Sul. Concentra nada menos que um terço da biodiversidade nacional e 5% da flora e da fauna mundiais. (Agência Câmara/Agência Embrapa)

SERVIÇO
Guardiões do Cerrado
Endereço: Rua 7, Alto da Bela Vista
Telefones:
Nilton Horvath - Presidente (9622-3813)
Tenente Sirismar - Diretor (9991-2295)

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

PROCON vê medidas para impedir os abusos nos preços

16/11/2017

A superintendente do Procon Goiás, Darlene Araújo, afirmou na última terça-feira, 14, que, em conjunto com a Delegacia do...

Dona de casa tem direito aos benefícios do INSS?

16/11/2017

A Previdência Social é o ombro amigo da população brasileira, e tem como um dos princípios a solidariedade que busca amp...

Conferência debate os rumos da saúde

16/11/2017

A 10ª Conferência Municipal de Saúde será realizada nos dias 04, 05 e 06 de dezembro próximo. Na oportunidade, serão de...

Joanápolis sedia a Festa do Milho

16/11/2017

Agregar valor à produção local e movimentar a economia. É com este objetivo que a Prefeitura, via Secretaria Municipal de...