(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Governo diz que Goiás é um dos estados com menor índice criminal

Violência Comentários 09 de junho de 2017

Secretaria de Segurança faz ressalvas sobre os números apresentados pelo Atlas da Violência 2015


Os índices de criminalidade em Goiás apresentam queda sequenciada a partir de 2016. Na comparação entre janeiro e maio de 2017 e o mesmo período do ano passado, a redução do número de homicídios chega a 17,6%. Os números constam de estudo apresentado nesta terça-feira, dia 06, pela Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP).
No documento, a SSPAP faz uma análise da publicação do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o Atlas da Violência, que traz estatísticas no país relativas ao período de 2005 a 2015. Goiás ficou em classificação intermediária, ou seja, na 11ª posição entre as maiores variações em quantidades de homicídios das unidades da federação de acordo com o Atlas da Violência (2005-2015).
Ao analisar esses números, a SSPAP esclarece que, em 2015, ocorreram 2.736 homicídios dolosos, uma taxa de 39,64 por 100 mil habitantes. Em 2016, o número foi reduzido para 2.486 homicídios, ou taxa de 37,61 por grupo de 100 mil habitantes.
Sobre os 30 municípios mais violentos do país, que, segundo o Atlas, englobam as cidades goianas de Novo Gama, Luziânia, Senador Canedo e Trindade, a SSPAP afirma que “graças ao trabalho do setor de inteligência e às ações ostensivas das forças de segurança pública, essas quatro localidades já apresentam significativa redução nos índices de criminalidade desde 2016”, afirma.
A taxa de homicídios por 100 mil habitantes caiu, na comparação entre 2016 e 2015, de 84,94 para 49,82, em Senador Canedo; de 58,89 para 45,98, em Trindade; de 78,48 para 72,15, em Luziânia, e de 80,08 para 60,93, em Novo Gama, afirma a nota da SSPAP. “Em 2017, a queda nos índices deve ser ainda mais significada”, completa.
A SSPAP destaca, também, que, com a realização de ações policiais integradas de repressão qualificada, entre elas as realizadas em conjunto com outros estados e com foco nas fronteiras, as forças policiais estão conseguindo retirar uma grande quantidade de armas irregulares das ruas. “Este ano, já foram apreendidas cerca de 2 mil armas”, conclui a nota.
VEJA A ÍNTEGRA NOTA:
A respeito da publicação do Atlas da Violência 2017, que traz números de homicídios relativos ao período de 2005 a 2015, a Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP) informa o que se segue:
De acordo com o Atlas da Violência, no período 2005-2015, Goiás ficou em classificação intermediária, ou seja, na 11ª posição entre as maiores variações em quantidades de homicídios das unidades da federação.
Os índices de criminalidade em Goiás vêm apresentando queda sequenciada a partir do ano de 2016. Quando se compara o período de janeiro a maio de 2017 com o mesmo período de 2016, Goiás alcançou redução de 17,6% nessa modalidade criminal.
Em 2015, ocorreram 2.736 homicídios dolosos, uma taxa de 39,64 por 100 mil habitantes. Em 2016, o número foi reduzido para 2.486 homicídios, ou taxa de 37,61 por grupo de 100 mil habitantes.
Sobre os 30 municípios mais violentos do país, que englobam as cidades goianas de Novo Gama, Luziânia, Senador Canedo e Trindade, esclarece que, graças ao trabalho do setor de inteligência e às ações ostensivas das forças de segurança pública, essas quatro localidades já apresentam redução nos índices de criminalidade desde 2016.
A taxa de homicídios por 100 mil habitantes caiu, na comparação entre 2016 e 2015, de 84,94 para 49,82, em Senador Canedo; de 58,89 para 45,98, em Trindade; de 78,48 para 72,15, em Luziânia, e de 80,08 para 60,93, em Novo Gama. Em 2017, a queda nos índices deve ser ainda mais significada.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Violência

Operação conjunta prende suspeitos de homicídios

10/08/2017

Operações realizadas pelo Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) da Polícia Civil, de Anápolis e Luziânia, cumprir...

O que mudou 11 anos depois de aprovada a Lei “Maria da Penha

03/08/2017

Embora se admita que o sexo feminino tenha experimentado mais poderes na última década, a Lei Maria da Penha, que completar...

Índice de mortes violentas ainda assusta a população anapolina

28/07/2017

A aparente tranquilidade que vinha sendo registrada no que diz respeito aos crimes contra a vida, em Anápolis, foi interromp...

Vereador do PSDB alerta sobre onda de assaltos em farmácias

06/07/2017

Os proprietários e funcionários de farmácias de Anápolis vivem com medo com a frequência de assaltos nos estabelecimento...