(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Goiás e Argentina estreitam laços para aumentar volume de negócios

Cidade Comentários 26 de abril de 2018

Câmara de Comércio Goiás-Argentina abre espaço de oportunidades para empresários do Estado e do País vizinho


Na manhã da última quarta-feira, 25, o Embaixador da Argentina no Brasil, Carlos Margariños, participou do I Seminário e Encontro de Negócios da Argentina em Goiás. Realizado pela Associação Comercial e Industrial de Anápolis (ACIA), o encontro aconteceu nas dependências do Park Hotel Imperial, com a presença de várias autoridades políticas e classistas do Município e do Estado.
Na oportunidade, foi apresentado o nome do empresário Moacir Lázaro de Melo, para presidir a Câmara de Comércio Goiás-Argentina. Ele ressaltou que aguarda a implementação dos atos formais para que a Câmara possa, efetivamente, realizar o seu trabalho e, a partir de então, será estabelecida uma estratégia de ação. “Para servir, você precisa ser chamado. E vou dar o melhor de mim nesta missão. Percebi, neste evento, que há muitas oportunidades, de ambos os lados. Falta um melhor diálogo”, ponderou.
O superintendente executivo de Comércio Exterior da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, William O´Dwyer, na oportunidade representando o Governador José Éliton e o titular da SED-GO, Leandro Ribeiro, apresentou alguns dados que reforçam a importância do estreitamento de laços com a Argentina, hoje um dos grandes parceiros comerciais do País. Porém, no Estado, ainda há, conforme assinlou, muito espaço para se avançar. Os dados por ele apresentatdos demonstram que do total das exportações de Goiás, a participação argentina é de apenas 0,5% e de importações, apenas 2%. No ano passado, Goiás exportou, no total, US$ 7 bilhões, sendo que para a Argentina, o valor foi de US$ 50 milhões. Goiás importou, no total, US$ 3 bilhões, aproximadamente, sendo que, da Argentina, o montante foi de apenas US$ 70 milhões.
O presidente da ACIA, Anastácios Apostolos Dagios, observou que a Argentina tem um saldo deficitário da balança comercial com Goiás e, por isso mesmo, quer ampliar os negócios com o Estado. Ele salientou que a ponte, do ponto de vista diplomático, já está feita e, a partir de agora, é avançar no sentido prático. Ele informou que está sendo trabalhada uma agenda para um encontro exclusivamente de negócios de empresários goianos com empresários argentinos.

HISTÓRIA
O embaixador Carlos Margariños, que completou sua quinta visita a Goiás, disse que o cenário para as relações comerciais de Goiás com a Argentina é um cenário bastante promissor. Como diplomata que é, ele ganhou aplausos ao mencionar que a data do seminário, primeiro passo para a consolidação da Câmara Goiás-Argentina, coincide com a assinatura do documento oficial de doação de uma lavra de terra ao patrimônio de Nossa Senhora de Sant´Anna, para a formação do povoado (hoje, o Município de Anápolis). Isso foi no dia 25 de abril de 1870, ou seja, há exatos 148 anos.
O Vice-Prefeito Márcio Cândido e o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Adriano Baldy, representaram o Prefeito Roberto Naves, que tinha agenda em Brasília e não pôde estar presente. Os representantes do poder público local, no entanto, afirmaram que apoiam a iniciativa e que a intenção é, cada vez mais, fortalecer este vínculo.

MÃO DUPLA
O empresário Francisco Gonzaga Pontes, diretor para Assuntos do Distrito Agro Industrial da ACIA e ex-secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, apontou que Goiás tem muito a oferecer para a Argentina, em áreas como a mineração, alimentos, dentre outras e, inclusive, citou que está sendo trabalhado junto com a Universidade Estadual de Goiás (UEG), a implentação do Polo Tecnológico em Anápolis, o qual poderá, futuramente, receber investimentos de empresas argentinas de tecnologia.
O vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), Wilson de Oliveira, destacou que o Brasil e a Argentina devem somar esforços não apenas para ampliar as relações comerciais mas, também, para vencer outros obstáculos de mercado. Ele citou que o Brasil e a Argentina vendem muitas commodities, como o café, açúcar, carne e a soja. E, lá fora, estes produtos agregam valor. Na sua avaliação, os dois países devem trabalhar para que os produtos citados e outras commodities possam ter valor agregado nos dois países e ganhar o mundo através das exportações.
Também participaram dos painéis Javier Dufourquet, Adido Agrícola e Chefe da Seção Econômica da Embaixada da Argentina; Gustavo Segré, Membro Diretivo da Câmara Argentina em San Pablo; Andres Murchison, Secretário de Alimentos e Bioeconomia do Ministério da Agroindústria da Argentina; Margarita Gonzales Casartelli, da Agência Argentina de Investimentos e Comércio Internacional .

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Cidade

Arraiá do Instituto será neste sábado

19/07/2018

Engana-se aquele que pensa que a temporada de festas juninas já acabou. Quadrilha, comidas típicas, barraca do beijo, corre...

Arraiana é o grande destaque dos festejos do aniversário da Cidade

19/07/2018

Ajudar é show! Esta é a tônica do ArraiAna, evento idealizado pela Prefeitura para comemorar os 111 anos da cidade em gran...

Campanha incentiva o uso racional de água tratada no dia-a-dia

19/07/2018

Em tempos de crise hídrica e para formar cidadãos mais conscientes, uma campanha no site da Empresa de Saneamento de Goiás...

Obras na Avenida Universitária vão dar mais mobilidade no trânsito

19/07/2018

Falta pouco para a conclusão das obras realizadas na Avenida Universitária. O trabalho estrutural inclui o sistema de drena...