(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Goiás tem legislação própria para enfrentar o crack

Geral Comentários 14 de outubro de 2011

Política Estadual de Enfrentamento do Crack tem como principal objetivo a integração de ações para a prevenção, tratamento e reinserção social dos usuários da chamada droga do mal


Foi sancionada pelo Governador do Estado, e já está em vigor a Lei nº 17.421/11, de autoria do deputado Hildo do Candango (PTB), que Institui a Política Estadual de Enfrentamento do “Crack” e outras Drogas (PECD). A Política Estadual de Enfrentamento do “Crack” e outras Drogas - PECD - visa a integração e a articulação permanente entre as políticas e ações de saúde, assistência social, segurança pública, educação, desporto, cultura, direitos humanos e juventude.
Entre os objetivos da nova Lei estão: integração, articulação e ampliação de ações voltadas para a prevenção do uso, o tratamento e a reinserção social dos usuários de “crack” e outras drogas, contemplando a participação dos familiares e a atenção aos grupos vulneráveis. Entre os grupos de risco crianças, adolescentes e população em situação de rua.
Pela ei, a Política Estadual de Enfrentamento do “Crack” e outras Drogas terá as seguintes diretrizes: responsabilidade do poder público por sua elaboração e financiamento, articulação das políticas públicas estaduais, integração dos esforços do poder público e da sociedade civil para sua execução, participação da sociedade civil na elaboração, acompanhamento e monitoramento das políticas públicas. Estão previstas ainda políticas de reinserção familiar, social e ocupacional dos usuários de crack e outras drogas.
São fontes de recursos para os programas criados para efetivação da política de que trata esta lei dotações consignadas no orçamento do Estado, recursos provenientes de fundos estaduais e financiamentos internos e externos.
As medidas serão implantadas pelo Poder Executivo, em articulação com os Municípios, com o objetivo de promover a integração e a articulação permanente entre as políticas e ações de saúde, assistência social, segurança pública, educação, desporto, cultura, direitos humanos e juventude. A Lei busca contemplar prioritariamente a criança e o adolescente.
"Vejo como um grande avanço a instituição da Lei de minha autoria, e entendo que a partir de agora surgem novas ferramentas para que possamos enfrentar com mais força esse mal que vem destruindo tantas famílias", ponderou o deputado Hildo do Candango.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Prefeitura quer novas regras para a exploração do serviço funerário

27/04/2017

A Prefeitura de Anápolis vai criar novas regras para a exploração do serviço funerário. As atuais são consideradas obso...

Membros do Conselho da Juventude empossados em concorrida solenidade

27/04/2017

Aconteceu na manhã da última terça-feira, 25, no miniauditório da Prefeitura de Anápolis, a posse dos membros do Conselh...

Município quita dívidas trabalhistas de ex-servidores comissionados

19/04/2017

A Prefeitura de Anápolis começa a quitar dívidas trabalhistas do município, que estão pendentes desde 2011, para ex-serv...

Ovos de chocolate com diferenças salgadas, aponta pesquisa do Procon

12/04/2017

O Procon de Anápolis divulgou a pesquisa sobre os preços de produtos para a páscoa- ovos de chocolate e caixas de bombons....