(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Goiás caminha para recorde no comércio internacional

Economia Comentários 06 de novembro de 2014

Saldo da balança comercial de Goiás, de janeiro a outubro deste ano, já superou o resultado obtido no ano passado


O saldo da balança comercial de Goiás no acumulado deste ano já ultrapassou o resultado de 2013 em US$ 110 milhões e a tendência é de que 2014 tenha um crescimento de cerca de 10%. De janeiro a outubro, a diferença entre exportações e importações ficou em US$ 2,3 bilhões. No ano passado, este indicador fechou em US$ 2,2 bilhões. O cenário positivo de 2014 ficou evidente em outubro, quando as compras das carnes pelos russos puxaram um saldo superavitário de US$ 180 milhões.
No último mês, as exportações fecharam em US$ 568 milhões e as importações em US$ 388 milhões. Isso significa que mais dinheiro de fora foi injetado na economia local. As vendas das empresas goianas para outros países cresceram 9,65%, na comparação com setembro, e 1,97% em relação a outubro de 2013. O cenário é diferente do registrado no País, na comparação outubro 2014/2013, quando as exportações brasileiras recuaram 19,6% e as importações, 4,19%. O resultado do Brasil foi o pior em 16 anos.
“A tendência é de que o saldo da balança comercial nacional encerre o ano com déficit. Mas em Goiás o cenário é diferente. Já vislumbramos um recorde histórico de nossa balança. Estamos trabalhando para isso”, afirma o secretário de Indústria e Comércio, William O’Dwyer. O principal produto exportado por Goiás em outubro, a exemplo dos últimos meses, foi a carne. As partes de bovinos, aves e suínos representaram 29,5% de tudo o que foi vendido para fora. A Rússia se posicionou como o principal comprador de carnes e o segundo maior parceiro do Estado no mês. A situação é fruto de acordos feitos por Goiás junto à embaixada do país.
A surpresa foi o milho. O grão apareceu na segunda colocação, representando 17,76% do total vendido por Goiás. O’Dwyer explica que fatores ligados ao cenário interno e externo puxaram a alta. “Tivemos uma alta produtividade que, somada à desvalorização do real, contribuiu para que a venda de milho para países asiáticos fosse ampliada”, explica. O produto representou 17,76% do total exportado. A soja, por sua vez, ficou na terceira colocação (14,55%), seguida do açúcar (14,55%) e ferroligas (7,98%).
O Estado foi responsável por 3,16% das vendas do País. Este foi o melhor índice de participação na balança comercial do País para o período. O secretário comentou que, se não fosse pelo desempenho de Goiás, o déficit comercial de US$ 1,871 bilhão apresentado pela balança comercial brasileira poderia ter maior: “Reafirmamos que Goiás tem sido muito importante no contexto econômico do País. Caminhos para expandir essa participação, com a venda de produtos de maior valor agregado”, disse.
Já as importações do mês passado mantiveram o perfil de investimentos realizados pela indústria local. Os veículos automóveis, tratores e suas partes lideraram a lista de produtos importados por Goiás, com 29,34% do total. Produtos farmacêuticos (23,33%); caldeiras, máquinas, aparelhos e instrumentos mecânicos (10,45%). “Tivemos uma alta nas importações, muito por conta do câmbio. O importante de dizer é que as compras feitas pelas empresas goianas continuaram sendo de investimentos na geração de empregos e no avanço da produção”, comenta o secretário. (Com informações da SIC/GO)

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

CDL diz que vendas tendem a reagir

14/09/2017

Com um índice inferior ao registrado no conjunto dos municípios goianos, as vendas no comércio varejista de Anápolis caí...

Corrente de comércio supera US$ 1,2 bi

08/09/2017

Dados divulgados pelo Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior apontam que o volume de importações e...

Produção de 2017 daria para alimentar goianos por 13 anos

08/09/2017

Em 2017, a produção agrícola de Goiás alcançou 22 milhões de toneladas. Esta produção seria suficiente para alimentar...

Casa do ex-prefeito Anapolino de Faria está sendo restaurada

18/08/2017

Projetada por um dos mais importantes e conhecidos arquitetos do Brasil, Oscar Niemeyer, a casa do ex-prefeito Anapolino de F...