(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Goiás bate recorde de participação nas exportações nacionais

Economia Comentários 17 de janeiro de 2014

Economia goiana contribuiu para aumentar a geração de riquezas no País. Além do volume, cresceu também o número de produtos comercializados para fora


Enquanto a balança comercial brasileira apresentou um saldo 86% inferior ao ano anterior, em Goiás foi registrado um crescimento de 0,6%, num total de U$2,2 bilhões, em 2013. Esses e outros dados referentes ao comportamento das exportações e importações goianas em 2013 foram apresentados na manhã desta quarta-feira, dia 15, pelo secretário interino de Indústria e Comércio, Rafael Lousa.
Em 2013 foram exportados US$ 7,07 bilhões, enquanto as importações atingiram US$4,8 bilhões. Esse índice representa um recorde no saldo comercial do Estado, desde que a balança comercial passou a ser mapeada em 1996, e o segundo maior índice alcançado com as exportações. A participação das exportações goianas no saldo das exportações nacionais também atingiu o recorde de 2,9%.
“Isso mostra a consolidação da nossa economia, ao atingimos índices favoráveis ao longo do ano. Esse recorde histórico de participação na balança comercial nacional demonstra a pujança da nossa economia e a credibilidade do setor produtivo que tem investido, arriscado o seu capital, e conseguido colher bons frutos”, analisou Lousa.
Outro dado favorável à economia goiana foi a ampliação da pauta das exportações que atingiu 948 tipos diferentes de produtos. Um incremento de 22 variedades. “Estamos ampliando a diversificação de nossa pauta, comercializando produtos com maior valor agregado e desenvolvimento tecnológico, como medicamentos e automóveis”, pontuou o secretário.
A soja, seguida de carnes e derivados se manteve na dianteira com relação ao valor de comercialização, crescendo 3% e 8%, respectivamente. No entanto, quando comparado o volume de vendas, o ouro assume a primeira colocação da lista, tendo ampliado em 100% o seu percentual de venda ao comércio externo, seguido das preparações alimentícias (88%), produtos farmacêuticos (87%), veículos (20%) e couros (19%).
Tradicionalmente, a China foi País que mais importou produtos goianos apresentando incremento de 13% em comparação ao ano anterior. Na sequência, destaca-se a Holanda, onde fica o Porto de Roterdã, principal porta de entrada dos produtos goianos para a União Europeia. Neste último destino foi registrado mais de 31% de aumento no volume dos negócios realizados, seguido da Rússia, Hong Kong e Índia. “Vale ressaltar que as missões goianas realizadas no último ano contribuíram consideravelmente para que os países asiáticos ampliassem suas negociações com Goiás”, reforçou Lousa.
Goiás comprou no ano passado mais produtos da Coreia, Alemanha, Estados Unidos, Japão e Tailândia.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Ministério Público quer implantar nova tecnologia para monitorar os preços dos combustíveis

21/09/2017

O projeto MP de Olho na Bomba, desenvolvido pelo Ministério Público de Goiás em parceria com o governo estadual com o obje...

Preços dos combustíveis variam até mais de 36% nos postos

21/09/2017

O Procon de Anápolis realizou, entre os dias 12 e 14 de setembro, pesquisa para aferir a variação de preços dos combustí...

Balança comercial registra o 44º superávit consecutivo

21/09/2017

O secretário de Desenvolvimento (SED), Francisco Pontes comemorou na última quarta-feira, 13, o resultado da balança comer...

Anápolis é a cidade do Estado com mais vagas de emprego

21/09/2017

O Sistema Nacional de Emprego é uma instituição criada pelo Governo Federal, com objetivo de promover a interação entre ...