(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Goiás, a terceira maior indústria mineral do País

Economia Comentários 08 de maio de 2014

Com os bons resultados do setor, elevou-se o IDH de alguns municípios onde estão concentrados importantes investimentos


O Estado de Goiás, em parceria com o setor privado, tem incentivado o desenvolvimento econômico e social por meio de apoio à implantação de novos projetos minero-industriais. São projetos que impulsionam o desenvolvimento e rompem os desequilíbrios regionais, as desigualdades e as injustiças sociais e garantem a valorização do trabalho e das atividades produtivas.
A consolidação da indústria mineral depende de fortes investimentos em pesquisas e também nas atividades exploratórias. O Governo de Goiás tem buscado, dentro de um ambiente político democrático, promover um ambiente regulatório claro e estável. Para tanto, o Estado vem trabalhando na geração e difusão de informações geológicas e apresentando soluções em tecnologia mineral, fazendo do setor um suporte para o desenvolvimento goiano.
Na Secretaria de Estado de Indústria e Comércio (SIC), este setor está sob jurisdição do Gabinete de Gestão da Mineração, ao qual está vinculado o Fundo de Fomento à Mineração (FunMineral). Este, por sua vez, tem como objetivos fomentar as atividades de prospecção e pesquisa mineral; o aproveitamento das jazidas goianas; e financiar projetos e empreendimentos de prospecção, pesquisa, lavra e industrialização de bens minerais; entre outros.
A mineração é considerada uma atividade fundamental para o desenvolvimento econômico e social de muitos países - os minerais são essenciais para a vida moderna. De acordo com pesquisa do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), as cidades que sediam mineradoras em Goiás apresentaram, na última década, crescimento no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH)bem acima da média dos demais municípios. As cidades do entorno do empreendimento mineral também demonstraram impactos positivos na economia.
Alto Horizonte, Campinorte e Nova Iguaçu de Goiás apresentaram crescimento médio de 27% no IDH. Alto Horizonte, por exemplo, chegou ao patamar de alto desenvolvimento. Subiu 81 posições no ranking dos municípios goianos ao sair da 136ª para 55ª colocação no índice que mede o progresso de uma nação. Pilar de Goiás teve um salto de 42% no IDH, chegando ao patamar entre médio e alto desenvolvimento humano, com destaque na área de educação, com melhoria de 118%.
Principais investimentos previstos para Goiás
Nos últimos três anos (2011-2013), o setor mineral goiano recebeu mais de R$ 3 bilhões em investimentos privados. Para o período 2014-2016, os investimentos devem chegar a R$ 4 bilhões.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Caracal ainda sem previsão de início de produção em Anápolis

20/04/2018

Anunciada em abril do ano passado, portanto, há um ano, como um grande projeto industrial para ser instalado no Município e...

Exigência para dar alvará é polêmica

20/04/2018

Uma notificação da Prefeitura Municipal vem causado preocupação para donos de estabelecimentos comerciais em Anápolis. P...

Município cai várias posições no ranking do comércio exterior

13/04/2018

As exportações feitas por Anápolis, no primeiro trimestre deste ano, comparativamente ao mesmo período do ano passado, re...

Ministro Baldy elogia empreendimentos

13/04/2018

O Ministro das Cidades, Alexandre Baldy, comemorou o resultado de abertura de empresas em Goiás no último trimestre. Segund...