(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Ganância (sem limites) acima da lei de proteção ambiental

Meio Ambiente Comentários 21 de setembro de 2012

Incorporadora destrói mata úmida e soterra cursos de água para abertura de ruas e construção de casas


Depois de 40 anos de poeira, moradores do Anápolis City – Etapa 2 - comemoram o asfaltamento de todas as ruas do bairro, em contraste com a devastação de uma importante área verde, às margens do Ribeirão das Antas, crime ambiental de proporções alarmantes cometido por uma incorporadora que está destruindo a natureza para a construção de unidades habitacionais.
Enquanto a antiga invasão da Avenida Perimetral foi erradicada para a preservação ambiental, uma brecha na lei ambiental permitiu a edificação da portaria do condomínio São Marcos em cima de curso de água canalizado. Em desafio à natureza e à lei, a incorporadora agora extermina áreas verdes e soterra cursos de água para a abertura de ruas e construção de casas. Ganância sem limites. Ato gravíssimo, em comparação com a infração que embargou a construção Supermercado Bretas.
Além da suspensão das obras, o Código Florestal determina a reparação do dano causado à natureza que levará mais de décadas para recompor a mata úmida. As áreas úmidas prestam serviços importantes para o meio ambiente e os seres humanos, tais como armazenamento e purificação de água, retenção de sedimentos, recarga do nível de água do solo, regulação do clima local e regional e a manutenção de uma grande biodiversidade.
O futuro de Anápolis está ameaçado pela ganância de parte do mercado imobiliário, que deveria levar a sério as regras da sustentabilidade para construir uma imagem de responsabilidade ambiental e restabelecer a sua credibilidade perante a opinião pública. Implantar ruas em cima de cursos de água e destruir a mata para a edificação de residências é mais que infração ao Código Florestal. É crime contra a vida.

Artigo de responsabilidade de MANOEL VANDERIC – jornalista e ambientalista;criador do Bosque City Park; fundador do Grupo da Cidadania e do Meio Ambiente do Bairro Anápolis City – Etapa 2, e relações públicas da ONG Amigos da Mãe Natureza

Autor(a): Manoel Vanderic

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Meio Ambiente

Audiência pública debate poluição em mananciais

11/10/2018

A adoção de medidas práticas no sentido de preservar e despoluir os mananciais de Anápolis, especialmente o Ribeirão Ext...

Goiás é o quinto no ranking de estados

20/09/2018

Desenvolvimento econômico e social combinado com sustentabilidade ambiental. Esse é o retrato de Goiás verificado no Ranki...

Ribeirão Antas sofre com a poluição

23/08/2018

A formação de densas camadas espumosas de origem desconhecida sobre o leito do Ribeirão Antas continua sendo um desafio pa...

Justiça concede liminar contra cobrança irregular do AVTO

09/08/2018

A Promotora Sandra Mara Garbelini, que atua na érea de meio ambiente, comunicou, durante reunião com empresários na Associ...