(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Futuro político de Gomide começa a ser traçado

Política Comentários 18 de janeiro de 2014

Diretório Regional se reúne no próximo dia 25 para definir apoio à pré-candidatura do Prefeito de Anápolis à sucessão de Marconi Perillo


O futuro político do Prefeito Antônio Gomide começa a ser pautado a partir do dia 25 próximo. Naquela data, a executiva estadual do Partido dos Trabalhadores irá se reunir e deliberar sobre o lançamento da pré-candidatura. Se for dado o sinal verde, no dia 08 de fevereiro será realizado em Anápolis o primeiro de uma série de encontros regionais, com o objetivo de fortalecer o projeto político petista para a sucessão de Marconi Perillo (PSDB).
Na última terça-feira, 14, o Diretório Municipal do PT se reuniu, juntamente com dezenas de lideranças ligadas à legenda, para discutir o assunto. O encontro contou com a presença de Gomide que, poucas horas antes, havia saído de um encontro, em Goiânia, com o Prefeito da Capital, Paulo Garcia, que desistiu de colocar o seu nome como pré-candidato. Dessa forma, apenas Gomide estaria no páreo como pré-candidato do PT.
Após a abertura da reunião, feita pelo presidente Antônio Júlio, o presidente do Diretório Regional, Céser Donizete, fez um breve histórico sobre a situação da oposição, lembrando que em Anápolis, na eleição de Prefeito (que elegeu Gomide), 14 partidos formaram a aliança, dentre eles, o PMDB. De lá para cá, vem se mantendo a unidade e a aliança PT-PMDB, que foi consolidada em nível nacional e que deve se repetir na eleição presidencial deste ano. Em meados de 2013 - disse o dirigente petista - havia dois nomes à disposição do PT: de Antônio Gomide e Paulo Garcia e, numa reunião ocorrida no final do ano passado, em São Paulo, com a direção nacional, houve o aceno positivo para que o partido pudesse trabalhar uma pré-candidatura. Há poucos dias, o Prefeito Paulo Garcia refluiu da sua pré-candidatura. Agora, a missão - completou Céser Donizete - é referendar a candidatura internamente “e convencer os outros partidos que o nome de Antônio Gomide é o melhor para o momento político atual”.

Condições
Antônio Gomide ressaltou que, uma vez referendada a sua pré-candidatura, na reunião da executiva estadual, será desenvolvido um trabalho junto às bases, para que o projeto ganhe “musculatura”. “Se daqui a dois meses a gente avaliar que estamos bem, vamos seguir em frente”, disse. Se sair candidato, Gomide terá de renunciar ao mandato atual. Mas, na sua avaliação, este é um risco calculado e, conforme enfatizou, não entrará numa “aventura política”. “Nós só vamos se pudermos, realmente, ter boas condições de disputar e ganhar as eleições”, frisou, acrescentando se tratar de um marco importante para Anápolis.
Para Gomide, embora seja uma decisão particular, a pré-candidatura depende de uma série de condições. “A primeira condição é reforçar a candidatura à reeleição da Presidente Dilma Rousseff, unificando os partidos que dão sustentação ao seu Governo; a segunda condição é nós unirmos as oposições em Goiás num projeto consistente e a terceira é termos condições, não só de disputar, mas de ganhar a eleição”, enumerou. “Não vamos deixar uma Prefeitura como a de Anápolis, se for uma aventura eleitoral”, reiterou.

Densidade
Segundo Gomide, ao final de dois meses, os partidos, sobretudo o PT e o PMDB, irão avaliar os nomes com maior densidade, com maior capacidade de dialogar e de aglutinar forças e, a partir daí, apontar o candidato das oposições que, conforme enfatizou, pode ser do PT ou do PMDB. Tudo vai depender do quadro apresentado e, o que estiver em melhores condições, terá o apoio dos demais.
Por enquanto, afirmou Antônio Gomide, o trabalho será desenvolvido sem atropelar a decisão a ser tomada pelo Diretório Estadual. Se a sua pré-candidatura obtiver respaldo, daí o PT inicia “o trabalho de formiguinha, de militância, que é aquilo que nós sabemos fazer e que é o nosso diferencial, para ganharmos forças e mostrar a nossa capacidade. Se eles (o PMDB) estiverem melhor, não tem problema algum, nós vamos dar todo o apoio”, destacou.
Nos próximos dias, Antônio Gomide deve abrir um espaço maior em sua agenda para os encontros políticos. Ele já disse contar com o apoio dos quatro deputados estaduais e os dois federais. E, corre atrás dos prefeitos e vereadores do Partido, para buscar apoio à sua pré-candidatura. Ao mesmo tempo, será feita a interlocução com os demais partidos da oposição, tarefa essa que deverá ser compartilhada com o Deputado Federal Rubens Otoni.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Política

Deputado apoia luta contra erotização precoce

15/02/2018

Presidente da Comissão da Criança e Adolescente da Assembleia Legislativa de Goiás e da Frente Parlamentar Interestadual d...

Ex-Governador Irapuan Costa Jr. assume o comando da segurança

15/02/2018

O governador Marconi Perillo deu posse nesta quinta-feira, 15, ao novo secretário de Segurança Pública, o ex-governador e ...

Projeto proíbe partidos de mudarem de nome ou sigla

15/02/2018

Tramita na Câmara dos Deputados projeto de lei (PL 8546/17) da deputada Maria do Rosário (PT-RS) que proíbe os partidos po...

Senador Ronaldo Caiado quer DEM e MDB coligados para eleições 2018

15/02/2018

De passagem por Anápolis, no feriado de carnaval, o Senador Ronaldo Caiado (DEM) admitiu ter seu nome disponibilizado para a...